As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

O cristão pode beber vinho?

É importante compreendermos que o cristão não está debaixo da lei, no sentido de faça isto, não faça aquilo (Col. 2:20,21). Sabemos que todas as coisas são lícitas àquele que crê, mas nem tudo convém (I Coríntios 6:12).


O primeiro milagre do Senhor foi em uma festa de casamento onde se serviu bebida alcoólica. E o milagre foi justamente produzir mais bebida! Não quero com isto dizer que o Senhor é a favor da bebedice mas também não podemos ser ingênuos como alguns que afirmam que não se tratava de vinho e sim de suco de uva. Longe de querer incentivar a bebedice, o Senhor mostrou que só Ele era capaz de trazer alegria ao coração do homem (Salmo 104:15).

Creio que em nossos dias a bebida alcoólica tomou um rumo diferente daquele nos tempos de Cristo quando tratava‑se de vinho puro de fermentação natural e fazia parte da alimentação normal, como acontece ainda em alguns países.

Hoje em dia o homem tem criado bebidas cada vez mais fortes com a intenção não de alegrar o coração do homem, mas de embebedá‑lo tornando‑o inconsciente de seus próprios atos. A bebida se tornou uma fuga e uma fonte de (falsa) coragem. Cabe, então, muito bem a passagem de Oséias 4:11 que diz que "o vinho e o mosto tiram a inteligência".

Mas como já disse, o cristão não deve ser guiado pela lei mas pelo Espírito. Costumo tomar vinho de vez em quando durante a refeição como meu pai, que era descendente de italianos, já fazia imitando as gerações que vieram antes dele. Aqueles que são italianos ou descendentes sabem que o vinho faz parte dos próprios costumes daquele país e é raro se encontrar uma refeição onde não se tome vinho. Não para se embebedar, mas apenas como bebida acompanhando a refeição.

Finalmente, creio que a posição de qualquer cristão não só em relação ao vinho, mas a qualquer fonte de alegria e prazer nesta vida, deve ser sempre a da noiva em Cantares 1:1-4:


"...melhor é o Teu amor do que o vinho... em Ti nos regozijaremos e nos alegraremos; do Teu amor nos lembraremos, mais do que do vinho."

Mais acessadas da semana

Loading...