As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Posso me casar com uma incrédula?



https://youtu.be/cF9ufy8EZII

Recebi sua carta de 1 de setembro e vejo que têm passado por dificuldades quanto às questões que costumam afligir a todo jovem. Antes de mais nada, devo lembrar‑lhe que o verdadeiro cristão não anda segundo os seus sentimentos ou segundo os conselhos e costumes deste mundo, e nem mesmo segundo o seu próprio coração, que é enganoso, mas segundo Deus e a Sua Palavra. Você está pronto a aceitar a vontade de Deus conforme ela é mostrada na Sua Palavra? Se assim for, você será feliz, pois Ele sabe o que é melhor para nós.

Suas perguntas giram em torno de casamento e sexo, preocupações estas bastante normais aos jovens. Pelo que me falou da jovem por quem tem afeição, não posso considerá‑la uma crente em Cristo. Ser membro de uma denominação não é o mesmo que ser crente, pois se assim fosse eu não poderia ser considerado crente, pois não pertenço a nenhuma denominação.

Ser crente é crer verdadeiramente em Cristo como Salvador. E, quando assim cremos, recebemos o Espírito Santo que convence o mundo do pecado. E, tendo ele habitando em nós, passamos a ter aversão ao pecado, como aconteceu com você quando foi convidado a fazer o que era contrário à vontade de Deus. Porém uma pessoa que leva uma vida tão leviana, não tem as características de alguém que verdadeiramente crê em Cristo. E um crente nunca deve se unir em matrimônio com uma incrédula.

Que Deus não aceita o casamento de Seus filhos com os filhos das trevas, é algo bastante claro nas Escrituras. "Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor" (Ef 5.8). "Éramos por natureza filhos da ira" (Ef 2.3). O incrédulo permanece nas trevas; continua sendo um filho das trevas; continua andando segundo "o príncipe das potestades do ar" (Ef 2.2). Talvez você ame uma jovem e não veja nela mais do que o exterior, mas Deus declara que, se ela ainda não é salva, ela continua nas trevas e por que você iniciaria um relacionamento nesta vida, sabendo que logo vocês se separariam, indo você para o Senhor e ela para o tormento eterno? Não seria um relacionamento feliz, evidentemente.

Leia 2 Coríntios 6.14‑18 e você verá que Deus não admite nenhuma união, seja casamento, sociedade, etc., com algum que não seja salvo. O "jugo" de que fala ali é o que costumamos chamar de "canga", um pedaço de madeira que, colocado sobre as espáduas de dois bois, os unem para que juntos puxem um arado ou carroça. No Antigo Testamento, falando em figura, Deus proibiu que se atrelasse um boi e um jumento, por exemplo, sob um mesmo jugo. Eles têm alturas diferentes, passos diferentes, força diferente, etc. Não daria certo. A passagem de 2 Coríntios revela o que Deus quis dizer. Um convertido não pode ser "atrelado" a um incrédulo, pois seu andar é diferente. Como somos sempre mais propensos ao mal, logo o crente estaria acompanhando os passos de seu parceiro ou parceira incrédulo(a).

Alguns têm dúvidas sobre 1 Coríntios 7:12, como se fosse uma permissão para o casamento com incrédulos, mas o assunto ali é claramente sobre pessoas que já estavam casadas quando um dos dois se converteu: "Mas aos outros digo eu, não o Senhor: Se algum irmão tem mulher descrente, e ela consente em habitar com ele, não a deixe... Porque o marido incrédulo é santificado no convívio da esposa, e a esposa incrédula é santificada no convívio do marido crente. Doutra sorte, os vossos filhos seriam impuros; porém, agora, são santos." Obviamente o texto também pode se aplicar a alguém que errou ao se casar com um incrédulo e depois acha que poderia se separar por isso.

Se ler o livro de Neemias, verá no cap. 3 a construção dos muros (separação) e das portas. No versículo 1 Eliasibe edifica a porta, mas nada diz sobre colocar fechaduras e ferrolhos. Os que constroem as outras portas (vers. 3, etc.) sempre colocavam fechaduras. Eliasibe deixou sua porta aberta.

Tobias era inimigo de Israel (Ne 2:10, 4:3, 4:7, etc.). Mas Eliasibe, que deixou a porta sem fechadura, acaba se aparentando com Tobias e, pela porta aberta, permite que seja construída uma casa para Tobias dentro do templo!!! Veja isso no capítulo 13. É o resultado de não nos guardarmos contra o mal, de nos aparentarmos com os inimigos de Deus, de termos jugo desigual com incrédulos. Quando menos esperamos, o mal está dentro e até mesmo onde mesmo suspeitaríamos que ele tivesse a audácia de entrar.

Mais sobre o assunto:
O que Deus não uniu o homem pode separar?
O que você pensa do divórcio?
Só posso ser batizado se estiver legalmente casado?
Quem deve celebrar o casamento?
A Bíblia condena o sexo antes do casamento?
Posso me casar com uma incrédula?
Jesus era casado com Maria Madalena?

Mais acessadas da semana