As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Como diz que se converteu se já era espiritualista?



https://youtu.be/dLI9injihc4

O "espiritualismo" que eu professava era homocêntrico. Você pode, você faz, você consegue. É, em síntese, o que ensinam as religiões e agora até em eventos empresariais com título de "espiritualismo na empresa". O homem precisa melhorar, se aperfeiçoar, se elevar, etc. E isto ele consegue... se melhorando, se aperfeiçoando, se elevando. Glória para quem? Para o homem, evidentemente.

Tudo isso pode ser muito bom e válido, por exemplo, para um time de futebol, uma equipe de trabalho, alunos em uma escola. São idéias motivadoras que funcionam para gerar resultados de maior desempenho. Mas quando falamos das coisas espirituais, estamos falando da eternidade, de nosso encontro com Deus, e para isso não há um átomo de esforço que o homem possa fazer, ou ele poderia dizer que teve mérito em sua salvação ou em atingir o céu. A Bíblia é clara a respeito de Quem merece toda (100%) a glória: "Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura." (IS 42:8).

A Bíblia não deixa glória para o homem. É Deus quem faz a obra de transformação (ou de nova vida) naquele que crê em Jesus. Não sobra glória para o homem. Toda ela vai para Deus. Evidentemente esta não é uma idéia nem um pouco simpática para nosso EGO. Gostamos de confete seja aqui seja no além. Todavia, (falando do homem) "...quando morrer, nada levará consigo, nem a sua glória o acompanhará." (SL 49:17)

Você perguntou se conheço o autor da Bíblia. Conheço. Aliás, o desejo do Senhor era que cada pessoa O conhecesse pessoalmente. Isto não significa uma assertiva intelectual sobre certos pontos dogmáticos, mas é resultado de um encontro pessoal que transcende o visível e até o intelectual. Não está restrito a iniciados que leram uma montanha de livros ou galgaram os graus de alguma loja mística, mas é privilégio até de crianças. Todavia é preciso fé, pois "sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam." (HB 11:6)
Quanto ao fato do homem ser inimigo de Deus, isso não foi assim desde o princípio. Deus não criou um inimigo. Ficou assim depois da queda. NÓS somos inimigos de Deus. Deus NÃO é nosso inimigo. Para entender todo o rancor e ódio que temos em nosso coração (inimizade contra Deus), releia o que me escreveu em seu e-mail. É inegável que você tem ódio de Deus, porque Ele não é como você gostaria que fosse. Porque se a Bíblia estiver certa você está errado como eu estive um dia. E então não sobrará glória para você, suas palestras, seu conhecimento.

Eu entendo bem o que sente pois depois de minha conversão a Cristo encontrei muitos a quem havia ensinado o espiritualismo homocêntrico (no meu caso extremamente egocêntrico) e precisei me retratar. Alguém disse que a última coisa que morre no homem é o orgulho. E nascemos orgulhosos e não queremos que Deus interfira em nosso caminho. Ou você acha que não somos orgulhosos por natureza? Negar isso é negar que você se conhece.

O apóstolo Paulo passou por algo assim quando precisou admitir que sua bagagem (que não era pouca) era esterco comparada com o que tinha então. Ele descreve bem o que passou:

"Ainda que também podia confiar na carne; se algum outro cuida que pode confiar na carne, ainda mais eu: Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; segundo a lei, fui fariseu; Segundo o zelo, perseguidor da igreja, segundo a justiça que há na lei, irrepreensível. Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo," (FP 3:4)
Você estaria pronto, caso "trombasse" com a Verdade, a considerar escória toda sua vida até aqui? Sim, porque você pode se encontrar com Deus como se encontrasse com uma pessoa real. Deus não ficou na esfera espiritual intangível, mas Ele Se fez homem na pessoa do Senhor Jesus. Você e eu nunca vamos entender isso. O que se entende é o que se pode aceitar sem fé. "ORA, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem." (HB 11:1)
Cristo é Deus feito homem, "qual, sendo o resplendor da sua glória (de Deus), e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas;" (HB 1:3) Hoje existe um Homem de carne e osso no céu. Obviamente você não crê na Bíblia e não pode crer nisto. Mas ou a Bíblia é a Palavra de Deus ou é a mais perigosa armação, já que se declara ser a Palavra de Deus.

A verdade é algo que aceitamos ou rejeitamos. Não podemos julgá-la pois se o fizéssemos nos tornaríamos juízes de Deus. Você critica o Deus do Antigo Testamento como algo absurdo para sua razão. Qual é o gabarito que você usa para suas afirmações? O seu bom senso? A sua razão? O seu conhecimento? Não é estranho que julgue a Deus com a mesma confiança que julga assuntos do dia a dia. Você só justificará a Deus, em todos os Seus atos e desígnios, quando se submeter a Ele, quando se tornar Seu filho. "Mas a sabedoria é justificada por todos os seus filhos." (LC 7:35) "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;" (JO 1:12)
Você referiu-se a ter encontrado "inverdades" na Bíblia. Seria interessante conhecer as "inverdades". Poderia citar alguma? Veja que não estou me referindo a você "achar" que é uma inverdade por causa de seus preconceitos. Quero fatos. Você mesmo afirmou em outro e-mail que:

> Creio que nao temos mais tempo para divagacoes filosoficas e discussoes "achistas". A modernidade exige clareza, objetividade e sinceridade. Estou com quase 40 anos nesta vida. Comecei a estudar a Biblia com 11 anos de idade. Acho que nao estou sendo nada apressado (...) É provavel que ate mesmo Jesus fosse analfabeto, e portanto, não saberia ler os textos, se os tivesse conhecido!

Então, se me permite a franqueza, é melhor mudar seu método de estudo. Parece que não estudou a Bíblia tanto quanto fala. "E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se PARA LER. E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías: e, quando abriu o livro achou o lugar em que estava escrito: O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do coração, a apregoar liberdade aos cativos, e dar vista aos cegos; a por em liberdade os oprimidos; a anunciar o ano aceitável do Senhor. E cerrando o livro, e tornando-o a dar ao ministro..." Lc 4:17-20
Você não aceita pessoas que enxergam a Bíblia como a Palavra de Deus. Porém ela mesma diz ser. Se é verdade, devo aceitá-la 100%. Se não é, devo rejeitá-la 100%. Aceitar 10% de verdades que EU julgue ela conter faria de mim juiz do que Deus revelou. Quem sou eu para separar o que Deus falou e o que não falou? A Bíblia tem evidências suficientes para demonstrar ser ela a Palavra de Deus.

Você escreve que Deus não seria capaz de escrever as barbaridades que estariam descritas na Bíblia. Que você julga serem barbaridades. Que gabarito usou? Para mim Deus tem poder soberano sobre suas criaturas e não cabe a nós discutir isso. Se o dono de uma empresa despede um funcionário porque a seu critério - e somente a seu critério - o considerou desqualificado para o serviço, quem pode discutir? Ele é o dono e ponto final.

O primeiro passo para se conhecer a Deus é reconhecer a Deus e respeitá-Lo pelo que Ele é, não pelo que pensamos dEle. "O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência." (PV 9:10) Se você quer "começar" a conhecer a sabedoria, o ponto de partida é o temor, o respeito de quem sabe que está entrando em terreno santo. Moisés, ao se aproximar da sarça que ardia, foi aconselhado a tirar suas sandálias, porque entrava em terreno santo ao se aproximar de Deus e ouvir Sua voz. O segundo passo, que na verdade é consequência do conhecimento do Santo, é prudência. E parece que isto é o que falta em seu linguajar quando fala de Deus de um modo como não falaria de seu pai ou de sua mãe.

Sim, Deus se comunica com Sua criação através da palavra escrita, justamente para evitar os "achismos" que você tanto teme. E aquele que se propõe a aceitar o que Ele quer dizer, este passa a conhecer o teor dessa Palavra escrita. É aí que entra o Espírito Santo, quando faz Sua habitação aquele que crê em Jesus. "Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam." "Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus." (1CO 2:9)
Aconselho que leia Romanos. Ser pecador é uma coisa. Ser pecador justificado é outra. Depois que ler Romanos podemos voltar a tratar do assunto da justificação se quiser. O tempo do mundo ainda não terminou. O final de sua frase é verdade: os cristãos não são menos pecadores que os demais. Porém estão justificados pois Alguém pagou. Dos dois ladrões, que a princípio também agrediram o Senhor na cruz com suas palavras, um foi justificado quando creu. O outro não. O levita e o publicano no templo eram igualmente pecadores. O que pensou ser alguma coisa de si mesmo não foi justificado. O publicano, reconhecendo sua falta, foi. Se você reconhecer que é um pecador perdido e que não existe em você um átomo sequer de poder para tirá-lo dessa condição, então se humilhará na presença de Deus e clamará por socorro. Então Deus virá ao seu encontro e fará valer o preço já pago na cruz para você. Terá TODOS os seus pecados perdoados pela obra substitutiva de Cristo na cruz. Perderá sua glória, mas ganhará a vida eterna.

Um pecador com os sentidos tão embotados quanto os meus jamais teria encontrado a Deus. Nem dando trombada. Por isso Ele precisou falar comigo através da Sua Palavra e o Espírito Santo precisou tocar meu coração para me fazer reconhecer pecador perdido. O Senhor Jesus usou a Sua palavra ao resistir a Satanás com o "está escrito". Aconselho que leia a Bíblia sem preconceitos. Jamais conhecerá o pensamento de Deus com um espírito assim crítico (no mau sentido). E se tem alguma consideração pelo que o Senhor Jesus falou nos Evangelhos, terá que aceitar o Antigo Testamento, principalmente Moisés, pois Ele mesmo colocou Selo de aprovação. Já encontrei pessoas que diziam crer somente no que Jesus falou (será você um deles?). Veja que interessante o que Ele disse aos judeus, que O rejeitavam por gostarem de ter seus egos inflados:

"Como podeis vós crer, recebendo honra uns dos outros, e não buscando a honra que vem só de Deus? Não cuideis que eu vos hei de acusar para com o Pai. Há um que vos acusa, Moisés, em quem vós esperais. Porque, se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim; porque de mim escreveu ele. Mas, se não credes nos seus escritos, como crereis nas minhas palavras?" (JO 5:44)

Mais acessadas da semana