As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Não acha a reencarnação uma idéia mais lógica e racional?



https://youtu.be/cVdK3NZGRe0

Se leu meu relato de conversão em www.stories.org.br/angels.html verá que conheço relativamente bem as idéias que você defende. O problema todo é de princípio. O espiritismo procura chegar ao conhecimento de Deus pela lógica e razão. "Mas isso é lógico! ", afirmou você. A Bíblia deixa claro que não é pela razão, mas pela revelação que compreendemos as coisas de Deus.

1 Co 2:14: "Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente."

Sugiro a leitura dos capítulos 1 e 2 de 1a. Coríntios, muito embora eu saiba que (vou ser sincero, não é sarcasmo), no momento em que encontrar contradições entre a Bíblia e sua crença, passará a dizer que a Bíblia está cheia de erros. Antes disso, como fazem os autores espíritas, usará a Bíblia naquilo que ela aparentemente concorda com a idéia do espiritismo. Eu mesmo já fiz isso.

O próprio Cristo, do qual você faz menção, deixa claro em Suas palavras a existência de um céu e de um inferno, portanto seria muita pretensão minha tentar selecionar o que Ele não teria dito dentre as coisas que disse.

Você escreveu: "...nos falam da necessidade de amarmos uns aos outros, para que dessa maneira podermos evoluir espiritualmente"
Sim, e é aí que está uma das grandes diferenças entre o espiritismo e o cristianismo bíblico. No espiritismo você deve fazer o bem (ou amar o próximo) PARA receber os benefícios disso. "para que dessa maneira podermos evoluir espiritualmente", escreveu você. No cristianismo bíblico... bem, vamos ver o que diz:

Colossenses 3:12-14: "Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; ASSIM COMO CRISTO VOS PERDOOU, assim fazeE, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição".
Percebe a diferença? No espiritismo você faz o bem PARA RECEBER o bem. No cristianismo você faz o bem PORQUE RECEBEU o bem. Responda rápido: qual das duas formas de se fazer o bem é a mais desinteressada? Convenhamos, ajudar alguém para evoluir espiritualmente não é lá uma forma desinteressada de caridade, não é mesmo. Porém se você ajuda, movido de compaixão porque Cristo perdoou seus pecados, a coisa muda de figura. A quem muito foi perdoado, este sim, muito ama.

Você escreveu: "Claro que a responsabilidade é toda nossa, para evoluírmos espiritualmente, só dependemos de nós mesmos. "
A responsabilidade pela queda é nossa. Por ela recebemos a paga pelos nossos pecados, a condenação. A capacidade de nos salvarmos não é nossa, ou seria nossa também a glória pela nossa própria salvação. Não aceitar a graça de Deus (e graça significa favor imerecido) é querer receber para si toda a glória, é querer viver e vencer independente de Deus, algo que já vem no DNA do ser humano: auto-suficiência e rebeldia contra seu criador.

Você acredita que é bonito alguém dedicar a vida por outro e até mesmo morrer para salvar seu semelhante. Você acha isso bonito, louvável etc. e a literatura espírita é cheia de atos de altruísmo extremo. Porém, quando a Palavra de Deus diz que Deus fez isso, que Cristo foi até as últimas conseqüências para nos salvar, você acha isso algo banal. Por que é louvável alguém morrer heroicamente para salvar a vida de outro e não consegue enxergar que Cristo fez exatamente isso por você?

Como você aceita que ajudar um pobre aleijado, doente e faminto e tirá-lo daquela situação é uma obra louvável para qualquer espírita fazer e, quando a Bíblia lhe diz que Jesus deu Sua vida por você, acha isso absurdo? E se dissermos ao aleijado, doente e faminto que é responsabilidade dele se levantar, curar a si mesmo e trabalhar para arranjar comida? Seria crueldade, se soubéssemos que ele é incapaz de fazê-lo.

Assim, seria crueldade se Deus, sabendo de nossa incapacidade (e Ele certamente é o Único que nos conhece realmente) colocasse sobre nós a responsabilidade de trabalharmos nossa própria salvação. Qual o Deus que você conhece? Um Deus de amor, piedoso, misericordioso, que acolhe o necessitado e o socorre, ou um Deus de lógica, racional, que espera que cada um se vire da melhor maneira para arcar com seus próprios erros?

Você escreveu: "...simplesmente porque Deus já mandou um salvador".
Você não diria "simplesmente" se conhecesse quem é Deus e o que significou a obra de Cristo na cruz. Se ler o Antigo Testamento verá tipificada a morte do Filho de Deus (chamado Cordeiro de Deus por João Batista) nos milhares de sacrifícios de animais inocentes que eram mortos no lugar do pecador. A obra de Cristo está além da razão humana assim como o perdão, o amor e outras coisas que jamais entenderemos pela lógica racional.

Você escreveu: "...o próprio Cristo afirma que "há muitas moradas na casa do pai", falando claramente da pluralidade dos mundos, da evolução"
Por que razão esta passagem vale e tantas outras falando da salvação pela graça de Deus, de Cristo morrendo como nosso substituto na cruz, do perdão dos pecados etc. não valerem como argumento? A Bíblia não pode se contradizer.

Você escreveu: "crêr que essa é a única vida, é ter uma visão limitada, materialista e diminuta a respeito dos desígnios do Criador. "

Não, você está equivocado. Crer que Deus é capaz de salvar o mais ímpio pecador, o mais incapaz, o mais improvável de todos, é dar a Deus o Seu devido lugar, de um Deus sem limites. Não sei se tudo o que escrevi fará alguma diferença, mas tenha certeza de que por muitos anos eu professei a crença que você professa, e hoje tenho o privilégio de conhecer a Cristo e ao perdão de meus pecados por Sua morte substitutiva na cruz do calvário. Um dia, no céu, poderei louvar meu Salvador pelo que Ele é e pelo que fez. Se fosse certo o que eu acreditava no passado, tudo o que me restaria agora seria uma vida de incerteza, esperando um dia subir uma escada evolutiva cujos degraus são distantes demais para minhas pernas. E, ainda que tivesse a pretensão de um dia atingir qualquer patamar mais elevado, ficaria para mim o louvor de meus atos, de minhas conquistas, enfim, de minha evolução.

Gal 6:14 "Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo".

Mais acessadas da semana