As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

O que pensar de moribundos que dizem ver familiares que já morreram?



https://youtu.be/CmYs1K7bec8

Minha resposta para a questão é que não sei a razão de alguns moribundos dizerem estarem vendo familiares falecidos ao lado do leito de morte. Sei que há relatos sobre isso, mas será que são tão importantes? Deus não disse nada sobre isso em Sua Palavra e certamente Ele teria abordado o assunto se fosse de importância vital para nós.

Na Bíblia há ocasiões de visões de pessoas que faleceram, como no caso da mulher adivinha que se surpreende quando Samuel aparece a ela para dizer qual o destino de Saul. Os discípulos também vêem Moisés (que havia morrido) e Elias (que não havia morrido) se apresentarem ao lado do Senhor no monte da transfiguração. Em ambos os casos acredito que Deus tenha concedido uma permissão especial para que isso acontecesse, mas no segundo caso fica muito claro o que pode acontecer conosco quando algo assim ocorre: erramos completamente na interpretação.

"SEIS dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte, E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. E Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, um para Moisés, e um para Elias". Mateus 17:1-8

A reação dos discípulos foi de sugerir que fizessem três abrigos, um para Moisés, outro para o Senhor e outro para Elias. Imediatamente desaparecem Moisés e Elias e fica só Jesus diante deles e Deus deixa claro que eles estão errando a colocá-los todos no mesmo nível. É só o Senhor que deve estar diante dos olhos deles.

"E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu amado Filho, em quem me comprazo; escutai-o. E os discípulos, ouvindo isto, caíram sobre os seus rostos, e tiveram grande medo. E, aproximando-se Jesus, tocou-lhes, e disse: Levantai-vos, e não tenhais medo. E, erguendo eles os olhos, ninguém viram senão unicamente a Jesus".

Assim, se eu estivesse para morrer e meus pais aparecessem diante de mim eu deveria, inicialmente, considerar que aquilo pode ser uma alucinação. Quando o cérebro está fraco demais para processar imagens inéditas, ele se vale de imagens da memória para substituí-las, numa tentativa de economizar seus recursos. Isso acontece com as pessoas que vêem alguns tipos de miragens (não aquelas que são puramente efeitos óticos) e alucinações, que são coisas que gostariam de ver, mas que não são reais.

Mesmo que a visão de meus pais falecidos fosse real, ainda assim eu deveria considerar que a visão "maior" que devo buscar é a do Senhor, pois diante dEle até mesmo a imagem de grandes servos de Deus como Moisés e Elias simplesmente se desvanece.

Mais acessadas da semana