As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Por que Deus não cura os amputados?



https://youtu.be/ZtF1b4lnaY4

Primeiro, você fez a pergunta errada. Mas vamos por enquanto nos limitar a ela. Deus cura. Ou melhor dizendo, já curou em número suficiente para provar que é capaz de curar, e não apenas isso, mas também de ressuscitar os mortos.

"E veio ter com ele grandes multidões, que traziam coxos, cegos, mudos, aleijados, e outros muitos, e os puseram aos pés de Jesus, e ele os sarou" Mateus 15:30

"Aleijados" aí significa "amputados" (diferente de coxos), portanto o Senhor Jesus, Deus e Homem, curou amputados.* Mas você poderá argumentar que isso é o que dizem os Evangelhos. Sim, e não foi o que pediu? Leia o que você mesmo escreveu:

"Mas, particularmente falando, com exceção dos mitos e lendas, nunca OUVI sequer uma alegação nesse sentido: de que Deus tenha curado uma pessoa amputada, melhor dizendo, que ele tenha reconstituído uma perna ou braço amputado, por exemplo..."

Bem, você disse ter lido a Bíblia toda e não pode ter deixado de ler o que diz lá a esse respeito. Talvez você retruque dizendo que aquilo são os "mitos e lendas" aos quais se referiu. Pergunto: e o que lê nos jornais todos os dias? Como sabe que o Iraque está em guerra? Como sabe que houve um acidente na cidade vizinha, ou que o homem foi à Lua?

Há provas, você dirá. Sim, provavelmente se você for até o Iraque poderá comprovar, mas como dá muito trabalho ir até lá você aceita como fato o que um jornalista anônimo escreveu. É normal isso, porque, tirando o que experimentou pessoalmente, tudo em que acredita está baseado no testemunho de outros, inclusive sua descrença. Os livros de história que estudamos nada mais são do que testemunhos de pessoas que contam que existiu um rei chamado Nero e que D. Pedro I proclamou a Independência.

Acreditamos em todos eles até alguém descobrir que o Rei Artur foi fabricado pelo primeiro grande historiador britânic, que não foi Colombo quem descobriu as Américas, que não foi Shakespeare quem escreveu Romeu e Julieta, nem Edison, Marconi e Graham Bell que, respectivamente, inventaram a lâmpada, o rádio e o telefone. Vou deixar para você pesquisar no Google... :)

Tudo bem que essas correções também nos chegam até nós através do testemunho de outras pessoas, porque não estávamos lá para conferir. Você acredita que o homem foi à Lua? Baseado em quê? Nos testemunhos. Ah! Há também os filmes! - dirá você.

Sim, ontem recebi um spam de uma revista de discos voadores anunciando a descoberta do século: vários OVNIs são filmados em vôo rasante sobre a cabeça do cameraman, quase roçando as palmeiras, em uma ilha em algum lugar. Até no YouTube puseram o vídeo para provar. Uma busca cuidadosa revela o software usado na produção e outro vídeo, de alguém se deu ao trabalho de "filmar" a mesma cena, agora com a logomarca de uma empresa voando sobre as palmeiras.

Portanto, a maior parte do que sabemos e acreditamos vem de testemunhos de terceiros. Se você aceita o testemunho dos homens que foram inspirados para escrever a Bíblia, então não terá dúvidas de que amputados foram curados. Se acreditar no testemunho da NASA, então não terá dúvidas de que o homem foi à Lua (tem gente que não acredita, sabia?).

"De fato, se Deus realmente 'quisesse' curar amputados e 'tivesse poder' para isso, certamente teria curado, uma vez que, segundo a Bíblia, qualidades e motivos nobres não lhe faltam para isso. Na pior das hipóteses, ele teria curado ao menos aleatoriamente ou excepcionalmente como amostra de sua infinita misericórdia, amor, bondade e justiça..."

Veja a falácia de seu argumento. Primeiro você faz uma proposição, que a Bíblia já respondeu - e você não aceitou a resposta - para depois argumentar baseado... na Bíblia!! Quem disse a você que Deus é misericordioso, que ama, que tem bondade, que é justo? Como pode ter certeza dessa informação? Você não acha a Bíblia digna de confiança, mas esta parte você aceitou apenas para contrapor o que nega da outra parte.

A razão de existirem tantas religiões é justamente essa: os homens selecionam da Bíblia o que lhes convém e descartam o que não entendem e não convém. Eu poderia fazer uma pergunta semelhante à sua e usar todos os seus argumentos:

"Por que Deus não cura os ateus?"

Sim, na minha concepção são pessoas às quais falta um membro, a fé. "Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam." Hebreus 11:6 Exatamente, crer é a primeira condição para se conhecer o que há atrás do véu. Sem a fé um cego espiritual não pode ver, um paralítico espiritual não pode andar e alguém que esteja vivendo em estado de comatose ateística não pode entender.

Quando falta alguma ferramenta em nossos sentidos ficamos limitados em nossas conclusões. Um cego de nascença não entenderia alguém dando tapas na TV na decisão por pênaltis em copa do mundo. "O que deu nele? Estou ouvindo o jogo tão bem!". Já para um surdo não faria sentido você desperdiçar um bom dinheiro comprando aquele negócio caro e cheio de botões para enfeitar sua sala: um equipamento de som.

Assim, sem "os membros" ou "os sentidos" necessários, sua pergunta nunca será respondida. Até a ciência, que um cientista disse que "anda de funeral em funeral", vai revendo sua posição à medida que ganha novos "membros" ou "sentidos".

Se você não é capaz de enxergar respostas para suas indagações, pelo menos vou mostrar que seus arguentos são furados, porque aí já nem se trata de uma questão espiritual, mas de lógica (parece que você gosta dela com seus "1", "2", "3" e "4"). (Já leu "Cristianismo puro e simples"? Seria interessante, foi escrito por um ex-ateu. Relegue a segunda parte do livro, que é uma apologia ao anglicanismo).

Voltando ao assunto, primeiro, você toma por base questões morais sem deixar claro de onde elas surgiram em você. O homem nasce um ser moral ou recebe isso por educação? Se recebe por educação, por que esse sentimento moral é sempre tão mais elevado do que sua capacidade de mantê-lo (você encontra isso em todas as civilizações, até nas tribos consideradas mais primitivas). Entendo que ele nasce um ser moral porque Deus o faz assim, colocando a extensão de sua perspectiva em seu coração, a qual é sempre maior do que o próprio homem:

"Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs na mente do homem a idéia da eternidade, se bem que este não possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até o fim." Eclesiastes 3:11

Essa mesma sensação de eternidade que Deus colocou em seu coração, e que você não pode entender por ser espiritualmente amputado, é o que faz com que você dedique horas e horas de seu tempo criando vários vídeos para tentar provar que Deus não existe. Oras, ninguém dedica tanto (eu sei quanto tempo leva) de seu precioso tempo para provar que não existem elefantes cor-de-rosa com asas! Deus deve ser muito importante para você, não?

Seu argumento é baseado na velha técnica do vendedor, que pergunta: "Vai levar o amarelo ou o azul?"; "Vai pagar com cheque ou cartão?". Essa técnica é usada para fechar a venda e evitar que o cliente descubra que há outras possibilidades, como a de não comprar. Por isso você coloca:

1º Deus pode e quer curar...
2º Deus pode mas não quer curar...
3º Deus quer mas não pode curar...
4º Deus não quer e nem pode curar...


Aí, tendo determinado para os incautos que lêem seu argumento de que só existe esse número finito de opções você passa a questionar um Ser infinito em sua existência, propósitos e vontade. Não acha muita pretensão? Já olhou para o céu à noite? Tudo bem, com esse ar poluído fica difícil até acreditar que existem estrelas. Alternativa: instale o GoogleEarth 4.2 e veja a nova opção Sky de viajar pelo espaço.

Bem, nas galáxias você está vendo apenas parte da Criação de Deus, não Deus, que jamais será visto por homem algum, a não ser em Jesus, Deus feito Homem, a forma como Deus Se fez conhecer. Caso contrário nós nem isso teríamos, pois "Aquele que possui, ele só, a imortalidade, e habita em luz inacessível; a quem nenhum dos homens tem visto nem pode ver; ao qual seja honra e poder sempiterno" 1 Timóteo 6:16

Oras, você há de concordar que com os membros que têm não conseguirá alcançar essa luz que está fora do espectro acessível, não é mesmo? O que vai além da Criação, perceptível por nossos sentidos e pela mais avançada tecnologia, é preciso fé para perceber e vivenciar. Como alguém que vive em três dimensões pode entender o que acontece nos céus ou, como a Bíblia chama o lugar onde Deus está, "acima de todos os céus"? "Aquele que desceu é também o mesmo que subiu muito acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas". Efésios 4:10

Mas vamos voltar à fragilidade de sua argumentação, que parte agora para a pieguice:

"Deus não é justo... ignorando completamente a oração sincera dos amputados... Deus é cruel e injusto por simplesmente ignorar as orações de todos os amputados..." Tudo isso chega até mim em seu vídeo com uma musiquinha chorosa de fundo. Realmente comovente.

O que um observador adulto pensaria de seu filhinho de três anos dizendo que você é injusto, não o ama, por simplesmente ignorar suas súplicas por sorvete só porque está com pneumonia? Falta à criança maturidade para entender coisas que estão além de sua compreensão infantil. Qualquer pessoa que queira entender além do que suas pernas espirituais podem alcançar é uma criança inconsequente.

A Bíblia diz que por suas palavras você será julgado: " Digo-vos, pois, que de toda palavra fútil que os homens disserem, hão de dar conta no dia do juízo. Porque pelas tuas palavras serás justificado, e pelas tuas palavras serás condenado" Mateus 12:34-37.

No entanto, você mesmo diz que "Jesus supostamente fez exatamente o contrário disso nas histórias bíblicas... Ele curou inúmeros doentes para que as pessoas pudessem acreditar que ele era o Filho de Deus". Exatamente, e no seu caso parece que mesmo assim não adiantou, mesmo assim você não acredita.

Mas você faz perguntas que são deveras importantes, como "...afinal de contas, quantas pessoas serão necessárias para sensibilizar o coração daquele a quem a Bíblia descreve como sendo o próprio amor?" A resposta é, só uma Pessoa. O único Homem perfeito, o único que realmente merecia uma resposta de Deus, teve essa resposta. Jesus Cristo, ressuscitado dentre os mortos.

Você continua dizendo que "se ele fosse realmente dotado de um mínimo de amor que nós humanos imperfeitos sentimos (sic), ele curaria sem que um doente sequer pedisse para ser curado! Qualquer mãe sente, pensa e age exatamente assim!".

Bem, não sei qual a sua experiência como mãe, mas eu não tenho nenhuma. Tenho, porém, como pai, de um filho portador de paralisia cerebral, cego e incapaz de andar e falar. E sei como eu me sinto.

Sinto que Deus teve um propósito para permitir que meu filho fosse assim e também tem um propósito para que ele continue assim, pois não espero que de repente apareça um novo cérebro em sua caixa craniana, novos olhos em suas órbitas e seus membros atrofiados sejam imediatamente reconstituídos. (minhas convicções sobre cura, tema tão explorado pelos mercadores da fé, você lê aqui, aqui e tembém aqui).

Sei que Ele pode porque sei que o Senhor Jesus fez isso há dois mil anos, mas não vejo razão alguma para que Ele faça isso novamente agora já que, como você bem disse, "Ele curou inúmeros doentes para que as pessoas pudessem acreditar que ele era o Filho de Deus".

Todavia isso não diminui nem um pouco a fé e confiança que tenho nEle. Evidentemente isso você não entende e jamais entenderá até que O conheça e tenha um relacionamento pessoal com Ele, talvez pela mesma razão de eu não ser capaz de entender como você pode amar seus pais. Mas você os ama, não? Só não saberá explicar a razão ou fazer alguém amá-los só com sua explicação.

E nem mesmo você conseguiu sempre compreender a vontade de seus pais. Quando fazia a vontade deles, conseguia ficar mais próximo e ouvir mais deles. Quando não, acabava se distanciando e acabava o diálogo. Pois é, assim funciona também com Deus.

P.S. Recebi uma interessante observação de um leitor que diz conhecer grego. Segundo ele, "não aparecem a palavra 'amputados' (apotetmêménos); aparece a palavra chôlos, que seria manco devido a ferimentos, astenia muscular; aparece também o termo kyllos, ou seja, pessoa com as pernas tortas. Por razões que não podemos explicar, parece que nem Jesus curou amputados; de fato, não há um único caso na Bíblia."

Provavelmente o leitor tenha razão quanto a não existir explicitamente a palavra "amputados", todavia, há uma passagem onde o Senhor claramente cura um amputado, embora talvez não seja esta a palavra utilizada ali:

"Quando os que estavam com ele viram o que ia suceder, disseram: Senhor, feri-los-emos a espada? Então um deles feriu o servo do sumo sacerdote, e cortou-lhe a orelha direita. Mas Jesus disse: Deixei-os; basta. E tocando-lhe a orelha, o curou". Lucas 22:49-51


----
Um leitor que alega ser de família grega e conhecer grego escreveu dizendo que a palavra "amputado" não aparece no Novo Testamento grego. Portanto, segundo ele, a palavra "aleijados" de Mateus 15:30 não significaria alguém sem um membro, mas apenas com algum defeito em seus membros.

Como não sei grego, só posso dizer que isto não muda o fato de que Deus curou e cura porque nada é impossível a Ele.

Obviamente nos tempos do NT havia um número muito menor de amputados do que temos hoje, pois não havia tantos acidentes ou armas que lesassem os membros ao ponto de precisarem ser amputados. As espadas da época mais esmagavam do que cortavam fora o membro com osso e tudo (ao contrário do que vemos nos filmes). Além disso, um amputado então tinha grandes possibilidades de não sobreviver às infecções pela falta de antibióticos.

Algumas passagens dizem que Jesus curava a TODOS, o que dá uma ideia do caráter completo de seus milagres, que chegava ao ponto máximo quando ressuscitava um morto.

Mat_8:16 E, chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados, e ele com a sua palavra expulsou deles os espíritos, e curou todos os que estavam enfermos;

Luc_6:19 E toda a multidão procurava tocar-lhe, porque saía dele virtude, e curava a todos.

Ao duvidar da capacidade de Deus curar amputados, os céticos podem estar prestes a colocar o ser humano numa categoria superior ao seu criador. Isto porque já são feitas pesquisas no sentido de causar em mamíferos o mesmo que ocorre em uma salamandra ao perder um membro: o crescimento de um novo. Isso já é objeto de investimentos e pesquisas e foi noticiado em 2009. Cientistas japoneses já foram capazes de fazer novos dentes crescerem em ratos, portanto não devemos ficar surpresos se em um futuro próximo a ciência for capaz de dar aos amputados a opção de terem seus membros regenerados.

Eu particularmente creio que Jesus já fazia isso há 2 mil anos, pois afinal, quem criou todas as coisas é capaz de regenerar aquilo que é destruído pelas consequências do pecado que entrou na Criação.

Mais acessadas da semana