As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

A reencarnação é uma lei natural?



https://youtu.be/ie597uA_-hc

Você afirmou que a "reencarnação que é um lei natural de Deus, por ser uma lei natural de Deus esta presente em todas a religões". A afirmação é sua. Eu posso afirmar que não é uma lei natural e que o fato de estar presente em todas as religiões não prova sua validade. Aqui ficaríamos em um impasse. Quanto à questão moral, obviamente há pontos comuns em muitas religiões, porém a diferença é que no cristianismo esses pontos são o vagão, não a locomotiva; são as conseqüências de uma salvação consumada, não o meio para ela.

Mas você não vai conseguir entender isso sem recorrer a toda a Palavra de Deus. Outro dia alguém me disse que a morte de Cristo na cruz não tinha o objetivo que toda a Bíblia diz que tem porque ela não é citada no Sermão da Montanha! Obviamente a pessoa foi excluindo, excluindo... até chegar ao mínimo que concorda com sua crença.

Mas não seria muita pretensão alguém querer pinçar da Bíblia o que é a Palavra de Deus e o que não é? Ao fazê-lo não estaria querendo se dizer juiz de Deus?

O cristão não está sujeito a quaisquer leis (bem, digamos que às leis de trânsito e da gravidade ele está... ) A Lei mosaica não se aplica ao cristão, como Paulo bem explicou em suas cartas. Portanto, ser cristão não é uma questão de seguir leis, mas de nascer de novo, nascer do alto, ser guiado por Sua Palavra, não empurrado por ela.

Você escreveu dizendo que alguns cumprimentos de profecias que aparecem nos Evangelhos foram acréscimos grosseiros porque não estão na ordem dos acontecimentos. Bem, Na escrita de hoje usamos parêntese ou travessão quando queremos fazer uma inserção (ou interpolação). O fato de não pertencer ao contexto não significa que não pertença ao texto. A narrativa dos evangelhos nem sempre é cronológica, só isso. Não há apenas essa "interpolação", mas muitas outras, e não vejo problema algum. Já ouviu falar em "flashback" em filmes?

Até agora suas alegações de falsificação da Bíblia nunca vieram acompanhadas do texto original "não falsificado" com o qual possa ser feita a comparação. O autor que citou (Paulo Neto) tenta provar a existência de erros de trechos da Bíblia usando... outros trechos da Bíblia. Seria uma espécie de antídoto feito com o próprio veneno?

Se estamos diante de um livro tão grosseiramente falsificado, o que nos garante que as outras partes também não estajam? Não poderíamos nem mesmo confiar os evangelhos (ou no Sermão da Montanha). Afinal, quando o leite é falsificado, que parte dele podemos beber com segurança?

>> Você escreveu: tem até profecia que não existe; Mateus 2, 22-23... "Ele será chamado Nazareno". No despero de criar o cumprimento das profecias esqueceram de criar a profecia;
Correto, não está no Antigo Testamento, o que não equivale dizer que não tenha ocorrido. Para mim, que creio na Palavra de Deus como um todo, o fato de ser dito no NT que é o cumprimento de uma profecia é suficiente. Aqui vai mais uma para sua coleção:

"Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber". Atos dos Apóstolos 20:35

Oh! Temos um problema! Estas palavras foram ditas por Paulo, que não foi discípulo enquanto Jesus esteve aqui (como poderia ter escutado?), e estão em Atos (após os Evangelhos). Como Jesus poderia ter dito isso se não encontramos nos Evangelhos?! Oh! Então Jesus não disse!

Mais acessadas da semana