As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Religião boa é a que faz a pessoa sentir-se bem?



https://youtu.be/0U4Ih22B2R4

Você diz que dissemina mensagens que não são suas, mas de Kardec que, por sua vez, diz falar do evangelho que você nunca leu e nem conferiu. Desculpe a sinceridade, mas você está sendo enganada por um homem, como eu fui enganado por muitos homens antes de minha conversão. Até mesmo depois de convertido, quando a ir à missa assiduamente por achar que era onde Jesus devia estar (quem me evangelizou não falou de religião, só de Jesus). Mas comecei a ler a Bíblia e a doutrina católica para conferir e um ano depois eu já estava fora.

Você fala de religião como se fosse chocolate: algo para fazer a pessoa sentir-se bem. Eu, quando trato do assunto, falo da coisa mais importante para o ser humano: seu destino eterno. Se quiser sentir-se bem (por mais algum tempo apenas) fique no espiritismo, porque se realmente crer em Jesus e buscar o que Deus diz em Sua palavra, você só vai arranjar inimigos, como parece que acabo de fazer em relação a você.

Ontem estava conversando com um dos gerentes da empresa que me contratou e ele disse que visitou meu site e seguiu um link até meu site Histórias de Verdade, mas não teve tempo de ver o que era. Quando eu disse a ele que era um site de histórias cristãs, de testemunhos de pessoas que se converteram a Jesus, o gogó do rapaz deu uma engolida e o rosto assumiu uma expressão marmórea. Seu olhar virou gelo.

Assim é: as pessoas são, por naturezas, avessas ao Jesus da Bíblia. Gostam do outro, água com açúcar, diluído por Kardec e por tantos outros censores da Palavra de Deus, que se arvoram sábios o suficiente para escolher o que vale e o que não vale dos evangelhos.

O texto que você me indicou é contraditório. Nele diz que você se revolta com a idéia da morte de quem não tem fé no futuro e na misericórdia de Deus que, "sendo Amor, não pode entregar seus filhos ao tormento eterno da separação irremediável, da dor sem cura, da culpa sem perdão".

Oras, a tônica do que tenho dito é que Deus não quer condenar você e nem ninguém. Ele quer ser misericordioso, quer perdoar, quer salvar. E você diz "NÃO", ou pelo menos não do modo como Deus determinou essa salvação. Ao querer salvar a si mesma, você se arvora redentora (como alguém pode redimir se não pagar um preço?), porém não tem meios para comprar sua liberdade pois a justiça de Deus exige a morte do pecador e "sem sangue não há remissão (retirada) de pecados".

Um "um Deus de Amor, e de Perdão, e de Caridade, Misericórdia, Fraternidade, Tolerância, Infinita Bondade", como você O descreveu, não esperaria que criaturas arruinadas, fracas e perdidas fizessem o impossível para se salvarem, como prega seu espiritismo.

Um Deus amoroso assim certamente providenciaria uma solução surpreendente - entregar-Se ao juízo na Pessoa de Jesus - para cumprir a justiça e proporcionar a forma de escape que, aparentemente, você não deseja porque confia demais em si mesma, tanto que acredita poder salvar-se com suas boas obras e padecimentos ao longo de milhares de supostas reencarnações.

Caim ofereceu a Deus o fruto do seu trabalho; Abel ofereceu um cordeiro morto. Deus se agradou da oferta de Abel porque não era dele, era de Deus. Era um cordeiro inocente e seu sangue havia sido derramado em sacrifício a Deus. Faz lembrar algo?

Deus deu um banquete e você quer chegar lá com seu sanduíche de mortadela. Coloque-se no lugar dEle para entender. A propósito: você está sendo ludibriada por um anjo que tem alguns milhares de anos de experiência em enganar. Experimente conferir na Fonte se a água que deram a você não foi adulterada. Leia os evangelhos segundo Deus, não segundo o espiritismo.

Mais acessadas da semana