As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Moises inventou Deus?



https://youtu.be/lLhHzj00j9o

Você argumenta que os judeus eram selvagens e, por este motivo, acreditavam que havia um Deus que controlava os trovões, chuvas etc. Esse Deus, que você diz ter sido inventado por um povo atrasado e selvagem, é o mesmo no qual os cristãos, judeus e muitos outros hoje acreditam.

Você segue dizendo que Moisés errou ao escrever o capítulo 1 de Gênesis, que diz:

Gn 1:16-18 "Deus, pois, fez os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; fez também as estrelas. E Deus os pôs no firmamento do céu para alumiar a terra, para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que isso era bom".

Segundo você o que Moisés ensinou estava errado, pois "hoje sabemos, conforme os ensinamentos da astronomia, que é a própria Terra com seus movimentos rotatórios que nos dá as noites".

Não sei onde você mora, mas acredito que aí também o sol se põe no horizonte quando chega a noite, encerrando assim seu "governo" do dia. Acredito também que no calendário na parede de sua cozinha existam pequenos desenhos da Lua em suas diferentes fases, pois elas têm uma grande importância e utilidade para nós, influenciando as marés, o plantio, a colheita e até o dia em que nascem mais bebês. No gibi que você lia quando criança, você sabia se era dia ou noite na historinha porque havia um Sol ou uma Lua no quadrinho.

Pois bem, se você é capaz de ver o Sol nascer e ir subindo no horizonte, ou a Lua aparecer à noite, não será preciso muito esforço para entender o que Moisés quis dizer. A astronomia descreve as coisas usando um referencial. As pessoas há milênios usam o referencial de quem está na Terra. Por isso dizem que o Sol nasce, sobe, desce, se põe etc. porque adotam o referencial visual de quem está na Terra.

Se você estudou física saberá que tudo é relativo. A mosca pousada em meu braço durante uma viagem de avião está voando a 900 km por hora, mas ela não sabe disso porque seu referencial é o interior do avião.

Mas vamos ao seu primeiro comentário, dos "selvagens" judeus que inventaram um Deus que, segundo você, não existe. Você escreveu: "A verdade é que o Deus dos judeus não existe. O que existe é a inteligência universal que é tudo e está em tudo. Está em nós. Somos parte da inteligência universal. Por isso somos inteligentes".

Seguindo seu raciocínio, Moisés era menos inteligente do que você (você o chamou de "selvagem"), por isso entendeu tudo errado e inventou um Deus que, segundo você, não existe. Mas você, por ser mais evoluído e inteligente do que Moisés, já superou essa fase de acreditar num Deus que controla "os trovões, relâmpagos, chuvas etc.). Posso saber em que estágio dessa "inteligência" você se encontra?

Pergunto isso porque geralmente os ateus se consideram a última bolacha do pacote, pois se situam no tempo como se ninguém mais viesse depois deles e não existisse nada mais para descobrir. Mas o que seus descendentes pensarão de suas idéias daqui a alguns milhares de anos? Será que não dirão que você era um selvagem que viveu no século 21 e acreditava numa certa "inteligência universal"?

Geralmente os ateus acreditam na evolução, não só dos seres vivos, mas também da inteligência humana. O ponto é que aí está justamente o calcanhar de Aquiles de sua crença: se você acredita que a inteligência é algo em processo de evolução, você jamais poderá chegar a conclusão alguma, pois sua conclusão estará sendo tirada com uma inteligência incompleta e baseada apenas numa gama de fatos que seus parcos cinco sentidos foram capazes de perceber.

O conhecimento bíblico não é fruto da inteligência humana, mas provém da revelação divina. Deus revelou porque nós seríamos incapazes de "inventar" ou concluir as coisas que estão além de nossa percepção sensorial. Deus dá, não apenas a revelação, mas o Seu Espírito para que o homem que crê entenda as coisas que não são do homem, mas de Deus.

Somos seres tridimensionais vivendo em uma esfera que inclui o tempo como quarta dimensão. Porém Deus, que "habita na luz inacessível" (1 Tm 6:16), ou seja, numa faixa do espectro à qual não temos acesso, quer nos falar de uma outra dimensão. Isso só pode ser dado por revelação e recebido pela fé, duas coisas que você aparentemente não conhece.

Sem revelação você fica num beco escuro de sua existência. Sem fé é impossível você entender as coisas reveladas, pois elas estão além da dimensão que seus meros sentidos e neurônios são capazes de detectar e entender. Para quem nunca comeu omelete, um ovo não passa de um pedregulho oval.

Deixo você com Paulo e as palavras que Deus lhe inspirou para mostrar que "o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente".


"A minha linguagem e a minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria, mas em demonstração do Espírito de poder; para que a vossa fé não se apoiasse na sabedoria dos homens, mas no poder de Deus. Na verdade, entre os perfeitos falamos sabedoria, não porém a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que estão sendo reduzidos a nada; mas falamos a sabedoria de Deus em mistério, que esteve oculta, a qual Deus preordenou antes dos séculos para nossa glória; a qual nenhum dos príncipes deste mundo compreendeu; porque se a tivessem compreendido, não teriam crucificado o Senhor da glória.


"Mas, como está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam. Porque Deus no-las revelou pelo seu Espírito; pois o Espírito esquadrinha todas as coisas, mesmos as profundezas de Deus. Pois, qual dos homens entende as coisas do homem, senão o espírito do homem que nele está? assim também as coisas de Deus, ninguém as compreendeu, senão o Espírito de Deus. Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, mas sim o Espírito que provém de Deus, a fim de compreendermos as coisas que nos foram dadas gratuitamente por Deus; as quais também falamos, não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito Santo, comparando coisas espirituais com espirituais.


"Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente". 1Co 2:4-14

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana