As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Por que Paulo reduz seu corpo a escravidao?



https://youtu.be/0vKY23VTfF4

Sua dúvida está nas palavras de Paulo em 1 Coríntios, quando ele diz que subjuga seu corpo ou o reduz à escravidão para não ser desclassificado ou reprovado. Para entender a passagem é preciso ler todo o contexto que começa em 1 Coríntios 9:23:-27.

"Ora, tudo faço por causa do evangelho, para dele tornar-me co-participante. Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só é que recebe o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta, exerce domínio próprio em todas as coisas; ora, eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível. Pois eu assim corro, não como indeciso; assim combato, não como batendo no ar. Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à submissão, para que, depois de pregar a outros, eu mesmo não venha a ficar reprovado".

A figura do atleta cabe bem aqui, porque depois que cremos estamos a serviço de Deus e Ele nos promete uma coroa, um prêmio. Um corredor que queira participar das Olimpíadas jamais irá perguntar a seu treinador se ele pode comer e beber tudo o que tiver vontade. Ele sabe que pode, afinal não está preso, mas ele sabe também que se fizer isso não ganhará o prêmio.

Vamos por partes: "Ora, tudo faço por causa do evangelho, para dele tornar-me co-participante." O salvo por Cristo aprendeu que deve agora fazer tudo tendo o Evangelho como seu moto e objetivo de vida, se quiser ser participante de seus privilégios que vão além da salvação. Se ingressa na escola, entende que ali será seu púlpito para pregar com sua vida e atitudes, mais até do que com palavras. Se Deus lhe dá um emprego, ele percebe que Deus pode querer que ele dê um bom testemunho ali. Se Deus lhe dá uma família e filhos é porque deseja que os encaminhe a Cristo. Ele está inscrito, por assim dizer, em uma Olimpíada para Deus.

Não que vá ganhar a salvação no final, porque esta o crente já recebe no momento de sua conversão. Nada poderá tirar sua salvação, mas muitas coisas podem fazê-lo perder seu galardão ou prêmio. Você entenderá melhor lendo 1 Co 3:12-15: "E, se alguém sobre este fundamento levanta um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; pois aquele dia a demonstrará, porque será revelada no fogo, e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se permanecer a obra que alguém sobre ele edificou, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele prejuízo; mas o tal será salvo todavia como que pelo fogo".

Esse é o Tribunal de Cristo (também em 2 Co 5:10), uma espécie de julgamento das obras, não do crente, algo que acontecerá no céu. Alguns receberão prêmio pelo que fizeram da vida aqui, outros verão seus esforços desaparecerem como cinza, porque não foram obras dignas de Deus. Escrevi sobre isso aqui:

http://www.respondi.com.br/2005/06/o-que-significa-galardo.html
http://www.respondi.com.br/2009/09/quem-disse-que-o-crente-nao-sera.html

Voltando ao nosso texto, vemos que Paulo, como um atleta tendo em vista o prêmio, não corre indeciso, mas corre com determinação; não luta dando socos no ar, mas combate como deve combater um lutador. Ele não pode desperdiçar nem tempo nem energia com coisas vãs. Ele faz tudo visando o prêmio e isso inclui subjugar seu corpo, isto é, discipliná-lo, estar no pleno controle de sua mente e corpo. O sinônimo para isso é auto-controle, temperança, disciplina, juízo-próprio etc.

Ele termina dizendo que seria péssimo se ele, que pregou a outros, acabasse sendo desclassificado ou reprovado no final. Não que isto significasse perder a salvação, que é eterna, mas ficar "de lanterna", por assim dizer. Por isso ele precisa subjugar ou manter seu corpo sob controle. Isto inclui desejos, pensamentos, ações etc. Na versão em francês diz algo como "mortifico meu corpo", ou seja, o coloco numa posição em que ele não pode dar opinião porque está engajado em algo muito maior do que simplesmente ter seus desejos atendidos.

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana