As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

O mal, as trevas e o pecado foram criados por Deus?



https://youtu.be/ngViqbwPJUU

Sua dúvida é se Deus criou o mal e por que teria criado tal coisa. A dúvida vem do versículo em Isaías 45:7 "Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas". Muitos têm essa dúvida e chegam até a questionar a bondade de Deus quando veem Deus aplicando castigos severos no Antigo Testamento ou permitindo tragédias de todos os tipos. A resposta rápida é que você pode usar um chicote sem ter sido seu inventor. Mas vamos analisar com maior profundidade a questão.

Fica mais simples se enxergarmos do ponto de vista de Deus e de tudo o que ele criou. Por exemplo, Deus é luz (a luz não foi criada, mas sempre existiu pois é um dos atributos de Deus). E as trevas? Elas não existem, mas são meramente a ausência de luz, como o frio também não existe, mas é simplesmente a ausência de calor. E a leveza? Ausência de peso. Vácuo? Ausência de matéria.

Se Deus criou tudo bom, e assim é o testemunho de Deus acerca da Criação, de onde vem o mal? Da ausência de Deus. O mesmo raciocínio você pode aplicar ao pecado, que não é algo criado por Deus, mas a ausência do princípio de autoridade e domínio de Deus. Veja este versículo:

1 João 3:4 "Qualquer que comete pecado, também comete iniquidade; porque o pecado é iniquidade".

Ao dizer que "pecado é iniquidade" esta versão não faz jus ao real significado do texto. Também erra a tradução do Novo Testamento na Linguagem de Hoje, a pior versão que você poderá encontrar em língua portuguesa:

1 João 3:4 "Quem peca é culpado de quebrar a lei de Deus, porque o pecado é a quebra da lei".

É evidente que pecado não pode ser quebra da lei de Deus porque a Lei só foi dada por Deus a Moisés, muito tempo depois de o homem ter caído em pecado. A versão mais próxima do significado é a Almeida Corrigida e Atualizada, porém ela erra ao inserir "que vive habitualmente no pecado" ao invés de simplesmente "que peca":

1 João 3:4 "Todo aquele que vive habitualmente no pecado também vive na rebeldia, pois o pecado é rebeldia".

As versões inglesas mais literais, como J. N. Darby, J. P. Green e J. N. Young definem pecado com "lawlessness", que seria a ausência de sujeição a Deus, ou insubordinação.

1Jo_3:4 Every one that practises sin practises also lawlessness; and sin is lawlessness.

Poderia ser traduzido também como "vontade própria" (já que é uma vontade independente da vontade de Deus) ou "ausência do princípio que governa", isto é, Deus. Em suma, tire Deus do banco do motorista e você tem o pecado, uma lacuna que deixa o carro entregue à sua própria sorte. Existe no Universo a lei da gravidade e outras leis que mantêm os planetas em suas órbitas. Imagine um Universo livre de todas as leis ("lawlessness") e você tem um caos. O ser humano fora de controle é o ser humano em pecado. O homem nasce com um defeito, uma peça faltando; nasce sem motorista. O homem nasce pecador.

Quando entendemos isso fica mais fácil compreender que Deus não criou as trevas, mas que elas surgem onde a Luz é rejeitada. O mesmo vale para o mal, o pecado e outras coisas estranhas à criação de Deus. É por isso que entendo também que o estado de coisas descrito no versículo 2 de Gênesis 1 não é como as coisas foram originalmente criadas, mas como elas ficaram possivelmente depois da queda de Satanás. A Criação dos 6 dias dos versículos seguintes estaria mais para uma recriação ou restauração para preparar a terra para o homem.

Gên 1:1 No princípio criou Deus os céus e a terra.
[entre o vers. 1 e 2 você tem um intervalo no qual caberiam as eras geológicas da terra medidas hoje em milhões de anos, criação e queda de anjos, espíritos imundos, dinossauros e outras coisas que não se encaixam em um planeta supostamente com 6 mil anos de idade]
Gên 1:2 E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo;

Isa 45:18 Porque assim diz o SENHOR que tem criado os céus, o Deus que formou a terra, e a fez; ele a confirmou, não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada: Eu sou o SENHOR e não há outro.

Raciocinando neste contexto, o versículo que você mencionou indicaria, não que Deus criou as trevas e o mal, mas que Deus cria as trevas, cria o mal, em um aspecto meramente circunstancial, isto é, introduz tais coisas em determinadas circunstâncias. A diferença é grande. Eu posso causar desordem, mas não fui eu quem inventou a desordem. Posso causar dor, mas não fui eu quem inventou a dor. Eu estaria apenas me valendo de algo existente para fins específicos.

Isa 45:7 Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas.

Este conceito de trevas como ausência da luz, portanto de Deus, tem tudo a ver com as três horas de trevas que Jesus passou na cruz sob o juízo divino (depois de ter ficado três horas sendo amaldiçoado pelos homens). Nas três horas em que nossos pecados estiveram sobre Jesus, durante o tempo em que Deus o fez pecado por nós (2 Co 5:21) Deus não podia ter comunhão com ele, portanto ali Deus tirou sua luz de cena. Como consequência, surgiram as trevas.

Mais aqui:
http://www.respondi.com.br/2012/04/seria-deus-o-criador-do-mal.html
http://www.respondi.com.br/2005/05/deus-autor-do-mal.html
http://www.respondi.com.br/2009/03/o-que-voce-acha-da-teoria-do-intervalo.html
http://www.respondi.com.br/2012/04/como-surgiu-o-diabo.html

por Mario Persona

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana