As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Por que Deus aceitava a poligamia?



http://youtu.be/WRZMpy2JuRk

Deus nunca criou a poligamia. Isso foi invenção dos descendentes de Caim, começando por Lameque: Gên 4:19 E tomou Lameque para si duas mulheres; o nome de uma era Ada, e o nome da outra, Zilá. O que vemos é Deus pacientemente suportando a poligamia entre os reis de Israel tendo em vista cumprir os Seus desígnios, assim como antes de Jesus o repúdio do cônjuge foi suportado por Deus, porém por causa da dureza do coração dos homens e não como algo aceitável a Deus.

Você encontra a poligamia entre os reis de Israel numa época quando o povo andava em desobediência. Em nenhuma situação a poligamia foi motivo de bênção, mas sempre de problemas para eles, inclusive seus reis. Experimente ler o Antigo Testamento com a pergunta: Quem ali foi feliz pelo fato de ter mais de uma esposa?

Certamente a poligamia era e continua sendo um pecado, porém Deus na sua soberania podia ao mesmo tempo disciplinar essas pessoas que a praticavam e tirar bênção disso. Se verificar a genealogia de Jesus verá que ali há uma prostituta (Raab), uma mulher que praticou incesto (Tamar) e um rei adúltero e homicida (Davi). Percebe como a graça de Deus brilhou com maior fulgor mesmo onde abundava o pecado?

Quando lemos o Antigo Testamento devemos entender que apesar das falhas humanas Deus tem algo a nos mostrar que está muito além disso.

Mas a ordem de Deus para o matrimônio está claramente definida nas palavras de Jesus.

Mat 19:4-6 "Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que, [1] no princípio, o Criador os fez [2] macho e fêmea e [3] disse: Portanto, [4] deixará o homem pai e mãe e [5] se unirá à sua mulher, e [6] serão dois numa só carne? Assim [7]não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, [8]o que Deus ajuntou não separe o homem".

Estamos tão acostumados a ler esta passagem pensando no contexto do divórcio, que nos esquecemos de que ele está reafirmando a ordem de um matrimônio segundo o projeto original ("no princípio") de Deus. Se fôssemos chamar estes versículos de um "passo-a-passo" do casamento, teríamos:

1. Este é o projeto original de Deus. "No princípio".
2. Um casamento é feito de um homem e uma mulher. "o Criador os fez macho e fêmea"
3. O mesmo Criador estabeleceu como devia ser essa união. "E [Deus] disse..."
4. O homem deixa o pai e a mãe, ou seja, se desliga daquele casal ou célula familiar. "Portanto, deixará o homem pai e mãe"
5. O homem se une à sua mulher, criando uma nova célula familiar como aquela de onde veio, isto é um homem + uma mulher = um filho. "e se unirá à sua mulher"
6. A união chega ao extremo quando atinge o físico e dois corpos se transformam em um. "e serão dois numa só carne"
7. Do ponto de vista físico já não são dois corpos, mas só um, o que elimina a possibilidade de ser polígamo.
8. Essa aliança, que ajunta esse casal, não é algo que o homem criou, mas Deus. "o que Deus ajuntou não separe o homem".

Ao invés de tentarmos entender as razões de Deus ter permitido a poligamia em alguns momentos da história antiga, ficará mais fácil (e seremos mais felizes) se tão somente procurarmos saber o que agrada a Deus hoje para os cristãos, e isto nós encontramos na doutrina dos apóstolos dada à igreja (as epístolas). A Palavra mostra claramente que a Deus agrada que o homem seja marido de uma mulher (não de muitas), e isto foi dito àqueles que deviam cuidar das coisas de Deus na igreja.

1Tm 3:2  Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher [singular], vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; 

1Tm 3:12  Os diáconos sejam maridos de uma só mulher [singular], e governem bem a seus filhos e suas próprias casas. 

Tit 1:6  Aquele que for irrepreensível, marido de uma mulher [singular], que tenha filhos fiéis, que não possam ser acusados de dissolução nem são desobedientes. 

Efs 5:23-24  Porque o marido é a cabeça da mulher [singular], como também Cristo é a cabeça da igreja [singular], sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos.

Efs 5:28  Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher [singular], ama-se a si mesmo. 

Efs 5:31-33  Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher [singular]; e serão dois numa carne. Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja. Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher [singular] como a si mesmo, e a mulher [singular] reverencie o marido.

por Mario Persona

Mario Persona é consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana