As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Posso abandonar minha esposa?



http://youtu.be/FEZgFMXMwuU

A Palavra de Deus é bem clara quanto a esta questão: "Todavia, aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido. Se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher." (1 Co 7:10-11). Este versículo mostra que uma pessoa que crê no Senhor Jesus e é casada não deve deixar seu cônjuge, porém ao mesmo tempo mostra o que fazer caso essa separação ocorra: "Que fique sem casar". Podemos criar mil desculpas para passar por cima desta ordem, mas não existe felicidade na desobediência à Palavra de Deus e sugiro a leitura deste trecho de um artigo de Gordon Hayhoe com o título "O Amigo e as coisas que nunca mudam":

"Então chegaram ao pé dele os fariseus, tentando-O, e dizendo-lhe: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo? Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez, e disse: Portanto deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto o que Deus ajuntou não o separe o homem... Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de prostituição, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério." (Mt 19:3-6, 9).

Creio que estas coisas estão escritas na Palavra de Deus como uma mensagem para nós da importância do matrimônio e da solenidade da união matrimonial. Nestes dias, quando o matrimônio é tratado com tanta leviandade, existe uma tendência de que até mesmo os cristãos sejam afetados pela atitude leviana que o mundo tem para com o matrimônio. Precisamos voltar ao que Deus falou. O que fez o Senhor Jesus? Ele disse que se você quer saber a vontade de Deus sobre este assunto você tem que voltar ao princípio, pois o Senhor não muda. Creio que precisamos receber estas coisas hoje. Sabemos que às vezes o relacionamento não é tão feliz quanto deveria ser. Às vezes é tenso. E, certamente, todo esforço deveria ser feito para promover o amor. Costuma-se dizer que para um matrimônio ser feliz o marido precisa ser cem por cento para sua esposa, a esposa cem por cento para o marido e ambos juntos cem por cento para o Senhor. Creio que é por isso que está escrito que "o cordão de três dobras não se quebra tão depressa" (Ec 4:12).

Foi isto o que Deus planejou e ordenou. Mas na época em que vivemos as pessoas vêem o matrimônio muito levianamente e dizem que tais idéias são antiquadas; dizem que hoje em dia é muito mais fácil simplesmente se divorciar e casar novamente. Isto é algo muito solene. Quando pensamos que o relacionamento matrimonial é uma figura de Cristo e da Igreja; que a mulher em sua posição representa a Igreja, e que o marido em sua posição representa Cristo, o Noivo da Igreja, isto traz à tona a real responsabilidade. E é este o padrão que nos é apresentado nas Escrituras. "Vós, maridos, amai vossas mulheres como também Cristo amou a Igreja, e a si mesmo Se entregou por ela" (Ef 5:25).

Temos assim o que Deus colocou. Mas quando você conversa com as pessoas, descobre que elas têm todos os tipos de opiniões, e que estas mudam. Escutei até mesmo um cristão dizer certa vez: "Ora, eu não poderia continuar vivendo com tal pessoa se ela não me amasse". Ao invés de reconhecer que há um modo de se superar o problema, até mesmo onde exista falta de amor, tal era a atitude dessa pessoa. Mas não está em conformidade com as Escrituras. As Escrituras dizem que foi assumida uma responsabilidade e trata-se de uma solene responsabilidade diante de Deus.

Estou mencionando isto porque creio que todas estas coisas são o meio onde o inimigo age para tentar e destruir o padrão divino - o padrão que Deus estabeleceu em sua preciosa Palavra. Sigamos em conformidade com o que Deus colocou em sua Palavra e haverá bênção em fazermos assim. Quando pensamos na espécie de Igreja que Cristo amou; quão maravilhosa é sua graça para conosco! Será que nós sempre o amamos como deveríamos? Sempre correspondemos aos seus direitos sobre nós como deveríamos? E ainda assim, acaso ele parou de nos amar? Não! Ele é sempre o mesmo. Por isso diz, "Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem" (Rm 12:21). Portanto isto coloca diante de nós a responsabilidade do matrimônio.
(...)
Estou dizendo estas coisas porque neste mundo que muda a cada dia não percebemos o quanto, do que o mundo faz e diz, que nos afeta a ponto de nos fazer descuidados em seguir as instruções da Palavra de Deus na assembléia. Não nos preocupamos em reconhecer o quão sério é o divórcio e o quanto Deus diz que o detesta (Ml 2:16). E enquanto assistimos ao desmoronamento dessa ordem que Deus planejou - toda a felicidade e gozo que Deus planejou quando o marido e a esposa estão em seu relacionamento correto e feliz - o quanto tudo isso é corrompido. Oh, irmãos, temos o Livro de Deus; temos Aquele que não muda! - Gordon Hayhoe, extraído de http://manjarcelestial.blogspot.com.br/2013/11/o-amigo-e-as-coisas-que-nunca-mudam.html

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana