As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Voce nao tem fe' na humanidade?



http://youtu.be/v7eJzgItxlI

Você quer saber se tenho fé na humanidade? Minha resposta é um grande e sonoro “NÃO!”. Eu absolutamente não acredito na humanidade, não tenho fé no ser humano e não nutro qualquer esperança de que os descendentes de Adão — inclusive eu — venham a evoluir. A razão é que procuro ter a mesma opinião de Deus neste e em outros assuntos. E qual é a opinião que Deus tem da humanidade?

“E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.” (Gn 6:5). Repare que Deus “viu” tanto a maldade dos atos como dos pensamentos. Nós só conseguimos enxergar ações, nunca pensamentos ou intenções, portanto é mais seguro confiar na avaliação que Deus faz do homem.

Talvez você argumente que isso foi antes do Dilúvio, como de fato foi, mas que depois o homem teria se comportado melhor. Você não está falando sério, está? Deus enviou o Dilúvio justamente porque “encheu-se a terra de violência.” (Gn 6:11). Apesar de Deus ter dado a Noé e sua família uma segunda chance a história do homem continua a ser escrita com tinta de sangue em páginas de crueldade. Os jornais de hoje estampam a foto de um menino de dez anos sendo usado por radicais islâmicos do ISIS para decapitar seus prisioneiros. Semana passada outro grupo islâmico usou uma menina bomba para matar duas dezenas de pessoas.

Se você me perguntar se acredito no ser humano só posso dizer que acredito que ele seja capaz de atrocidades cada vez maiores em sua senda de rebeldia e inimizade contra Deus. Desde Caim, matar seus semelhantes é o esporte preferido dos seres humanos, e os milhões que são assassinados todos os dias só comprovam isso. Em sua Palavra, a Bíblia, Deus diz: “todos os que me odeiam amam a morte.” (Pv 8:36). Se a morte não exercesse tamanho fascínio sobre nós não existiram tantos filmes violentos campeões de audiência.

Mas então por que Jesus teria vindo ao mundo ensinar tantas coisas boas? Acaso não seria isso um sinal de que ele tinha fé na humanidade e acreditava que os seres humanos só precisariam se esforçar para se tornarem pessoas melhores? Não, ele não veio ao mundo para ensinar, embora o ensino fizesse parte de seu ministério para mostrar o que seria o homem segundo o padrão de Deus. O ensino e o andar perfeito de Jesus só nos tornam mais culpados por sermos incapazes de atender a esse padrão. A verdade é que Jesus veio ao mundo para morrer em lugar do pecador e ressuscitar como o primeiro exemplar de uma nova Criação, passando assim uma borracha na descendência de Adão, na qual Deus decidiu colocar um ponto final. Mas vamos ver a opinião que Jesus também tinha do ser humano:

“E, estando ele em Jerusalém pela páscoa, durante a festa, muitos, vendo os sinais que fazia, creram no seu nome. Mas o mesmo Jesus não confiava neles, porque a todos conhecia; e não necessitava de que alguém testificasse do homem, porque ele bem sabia o que havia no homem.” (Jo 2:23-25).

A opinião que Deus tem do homem revelada em outros livros da Bíblia não é diferente. O apóstolo Paulo escreve em sua carta aos Romanos aquilo que costumo chamar de “Currículo do Homem”:

“Cheios de toda a iniquidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia... Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só. A sua garganta é um sepulcro aberto; Com as suas línguas tratam enganosamente; Peçonha de áspides está debaixo de seus lábios; cuja boca está cheia de maldição e amargura. Os seus pés são ligeiros para derramar sangue. Em seus caminhos há destruição e miséria; e não conheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante de seus olhos.” (Rm 1:29-32; 3:10-18).

Se nada disso convence você de que o homem é mau até a medula é porque você mesmo não se considera tão ruim assim e está esperando alcançar o favor de Deus com base em seus méritos. Mas se você nem pensaria em recompensar por mérito um funcionário com um currículo assim, por que acha que Deus faria diferente ao tratar comigo e com você? Ainda que você quisesse encontrar uma pessoa boa e obediente na face da terra Deus lhe diria para não perder seu tempo, “porque à tua vista não se achará justo nenhum vivente.” (Sl 143:2).

O único critério pelo qual uma pessoa pode ser salva eternamente é com base na graça e misericórdia de Deus, que entregou seu Filho Jesus para morrer no lugar do pecador. “Porque Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia... porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.” (Rm 11:32; 3:23-24). Se prestou atenção nas palavras de Paulo quando ele explicou o que é o Evangelho ou “boas novas” em sua carta aos Coríntios, terá percebido que ele não disse que o Evangelho seja uma série de regras ou ordenanças para melhorar o homem. Veja o que ele diz:

“Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis. Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão. Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.(1 Co 15:1-4).

Portanto o evangelho não é um manual de como você precisa viver para merecer o céu, mas a boa notícia de que seus pecados foram pagos por Cristo na cruz, pois ele morreu para sua redenção e ressuscitou para sua justificação.

Esqueça a ideia de que existam pessoas boas, das quais você seria um exemplar. Quando ocorre um atentado sangrento, como o dos jihadistas em Paris que assassinaram friamente pessoas desarmadas em um jornal e em uma mercearia, como nos sentimos? Ficamos naturalmente revoltados e desejosos de vingança por acharmos que, aos olhos de Deus, somos melhores que os terroristas. Mas veja o que Deus diz da humanidade como um todo:

“Não há entre os homens um que seja justo; todos armam ciladas para sangue; cada um caça a seu irmão com a rede, as suas mãos fazem diligentemente o mal; assim demanda o príncipe, e o juiz julga pela recompensa, e o grande fala da corrupção da sua alma, e assim todos eles tecem o mal. O melhor deles é como um espinho; o mais reto é pior do que a sebe de espinhos.” (Mq 7:2-4).

Se você ainda tem fé na humanidade é porque não acredita no que Deus diz de você e de todos nós, porém “se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós... Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo [a Deus] mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” (1 Jo 1:8, 10). O problema é que julgamos as coisas tendo a nós mesmos como padrão e nos esquecemos de que, para Deus, o padrão é ele próprio, e sua sentença é: “Ninguém há bom senão um, que é Deus.” (Mc 10:18). Se você disser que tem um ‘bom coração’, Deus responderá que “enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso” (Jr 17:9).

Se argumentar que com uma boa educação é possível melhorar o homem, Deus dirá que “todo o homem é embrutecido no seu conhecimento” (Jr 10:14), pois a educação humana serve apenas para algumas coisas desta vida. No que diz respeito à condição humana, sua origem e destino, Deus diz: “Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação.” (1 Co 1:19-21).

Se neste ponto você está se sentindo humilhado e em um nível mais baixo que um capacho, então está no ponto certo para deixar de ter fé na humanidade, que inclui eu e você, e confiar somente em Deus, que enviou o seu Filho para nos salvar. Isto fará toda a diferença para você, que deixará de ser chamado por Deus de “maldito” para ser chamado de “bendito”. Você não acha que é uma mudança que vale a pena? Veja o que ele diz:

Maldito o homem que confia no homem [humanidade], e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor! Porque será como a tamargueira no deserto, e não verá quando vem o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável. Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja confiança é o Senhor. Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto.” (Jr 17:5-8).

Agora jogue fora essa sua fé na humanidade e aceite a dádiva de Deus, Cristo, o único que foi capaz de agradar a Deus em todo o seu andar. Ele é o Filho de Deus que se fez Homem para morrer e ressuscitar. A boa notícia do Evangelho é que Deus deu por encerrada a raça de Adão, da qual toda a humanidade faz parte, e iniciou uma nova criação em Cristo ressuscitado. Ao crer em Jesus como seu Salvador todos os seus pecados são perdoados, você é selado com o Espírito Santo e passa a aguardar a hora da transferência para o céu junto com todos os que fazem parte dessa “nova criação”, da qual o Homem Cristo Jesus é o primeiro exemplar. A promessa de Jesus é esta: “Quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.” (Jo 5:24).

Se depois de tudo você ainda continua tendo fé na humanidade, então boa sorte nessa sua caminhada sem Deus, porque ele certamente não irá compartilhar de sua opinião. Quando você não crê no que Deus diz acaba crendo nas bobagens dos homens, por mais sábios que eles sejam considerados por seus semelhantes igualmente estúpidos. É o caso de Mahatma Gandhi, que antes de me converter a Cristo ocupava um lugar de honra em minha biblioteca e era um de meus ídolos. Ele dizia: “Você não deve perder a fé na humanidade. A humanidade é como um oceano; se algumas poucas gotas do oceano forem de água suja isso não torna o oceano sujo”. Diante de tamanha contradição ao que Deus afirma da humanidade eu só poderia perguntar se você confiaria numa jarra de água limpa na qual foram pingadas algumas gotas com o vírus do Ebola.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana