As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Os primeiros cristaos frequentavam uma igreja?



http://youtu.be/hhvOGHuezFQ

Você ficou em dúvida porque uma passagem de Atos parece indicar que havia um lugar onde os cristãos se reuniam. "E sucedeu que todo um ano se reuniram naquela igreja, e ensinaram muita gente" (At 11:26). Como você tem lindo textos e escutado vídeos e áudios afirmando que o cristão não deve frequentar uma denominação ou templo para adorar, esta passagem parece contradizer isso. Afinal, os primeiros cristãos iam ou não iam a uma igreja para adorar? Na conversa que o Senhor Jesus teve com a mulher samaritana antes que a Igreja fosse formada no dia de Pentecostes, ela levantou a questão do correto lugar de adoração:

"Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." (Jo 4:20-24).

O Senhor deixou bem claro para ela que o tempo de adorar em um lugar físico e tangível como era o Templo de Jerusalém estava para terminar. A adoração seria então de outra maneira e já não mais dependeria de um lugar tangível, pois seria "em espírito e em verdade". Seria uma adoração acessível a qualquer um em qualquer lugar, pois o espírito humano está sempre com o cristão, desde que fosse em verdade, ou seja, fundamentada na Palavra de Deus.

O Senhor declarou, a respeito do Pai: "A tua palavra é a verdade" (Jo 17:17), e indo um pouco além, sabemos que o apóstolo Paulo seria escolhido para receber "o mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo; para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus" (Ef 3:1-10). Considerando que o próprio Pedro atestou que o que Paulo escreveu tem o mesmo status "das outras Escrituras" (2 Pe 3:16), podemos deduzir que o "adorar em espírito e em verdade" é adorar em conformidade com a "sã doutrina...", e não segundo aqueles que amontoariam "para si doutores conforme as suas próprias concupiscências." (2 Tm 4:3-4). Essa sã doutrina o apóstolo não entregou apenas "à igreja de Deus que está em Corinto", mas "aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo" (1 Co 1:2)

Então, se o adorar "em espírito e em verdade" não é o mesmo que congregar em uma igreja, como é que os primeiros cristãos iam a 'uma igreja' como fala o texto em Atos 11:26? Se você entender o que não é igreja fica mais fácil (entre parênteses coloquei algumas expressões normalmente usadas para a palavra "igreja"):

. Igreja não é um edifício de tijolos ("O passarinho fez ninho no telhado da igreja").
. Igreja não é uma denominação ("Antonio congrega na Igreja Batista").
. Igreja não é uma ONG beneficente ("A Igreja enviará uma equipe de médicos aos desabrigados").
. Igreja não é uma pessoa jurídica ("O CNPJ da igreja é...")
. Igreja não é uma escola ("A Igreja ensina que...")
. Igreja não é uma pessoa ("Pertenço à igreja do Pastor Fulano")

A palavra "igreja" vem do grego "eklesia" que significa "reunião" ou "congregação" ou "assembleia" ou "ajuntamento". Tanto é que existem passagens no Novo Testamento onde a palavra aparece e não tem nada a ver com os cristãos. Veja por exemplo esta passagem que no grego trazem "eklesia" ou "igreja" onde em algumas traduções trazem "ajuntamento" ou "assembleia":

"Uns, pois, clamavam de uma maneira, outros de outra, porque o ajuntamento [eklesia] era confuso; e os mais deles não sabiam por que causa se tinham ajuntado."  (At 19:32). Aqui a tradução poderia ter sido "...porque a igreja era confusa" que não estaria errada, apesar de não estar falando de cristãos, mas do ajuntamento de pessoas. Porém no grego é a mesma palavra eklesia usada para falar dos salvos por Cristo. É o caso também aqui:

"Então o escrivão da cidade, tendo apaziguado a multidão, disse: Homens efésios... se alguma outra coisa demandais, averiguar-se-á em legítima assembleia [eklesia]. Na verdade até corremos perigo de que, por hoje, sejamos acusados de sedição, não havendo causa alguma com que possamos justificar este concurso. E, tendo dito isto, despediu a assembleia [eklesia]." (At 19:35-41).

Nos dois casos você poderia ler "...averiguar-se-á em legítima igreja" e "...despediu a igreja" que a tradução estaria igualmente correta. Os tradutores da Bíblia para evitar confusões preferiram utilizar palavras diferente na tradução de eklesia, que passou a ser igreja para quando se refere a uma reunião de cristãos e assembleia ou ajuntamento quando fala de pessoas em geral.

Então, quando o versículo que você citou diz que "sucedeu que todo um ano se reuniram naquela igreja" (At 11:26) não significa que eles foram a algum prédio de tijolos e nem que se fizeram membros de alguma organização ou denominação, mas que simplesmente participaram daquela assembleia ou reunião ou congregação ou ajuntamento de irmãos em Cristo.

Agora vem a parte interessante:

- Quando escrivão de Éfeso despediu a assembleia (eklesia) de efesianos, após dar a eles as diretrizes de como apresentar legalmente suas petições, aquela era uma assembleia (eklesia) dos efesianos reunidos no caráter de representantes de Éfeso.

- Quando os membros da Igreja Presbiteriana (apenas como exemplo) se reúnem essa é uma assembleia (eklesia) de presbiterianos reunidos no caráter de representantes da Igreja Presbiteriana.

- Quando os cristãos e reúnem ao nome do Senhor essa é uma assembleia (eklésia) de cristãos reunidos no caráter de representantes ou membros do corpo de Cristo.

Se na assembleia (eklesia) governada pelo escrivão de Éfeso existissem alguns convertidos misturados naquela manifestação, eles certamente eram membros do corpo de Cristo, porém na qualidade de participantes de uma assembleia (eklesia) da cidade de Éfeso não representavam o corpo de Cristo, e sim a cidade de Éfeso.

Numa assembleia (eklesia) de presbiterianos (uso como exemplo, poderia ser outra denominação) certamente muitos são membros do corpo de Cristo, mas quando reunidos na qualidade de presbiterianos não podem representar o corpo de Cristo, mas apenas uma facção do testemunho cristão conhecida como Igreja Presbiteriana. Se eles saírem daquele sistema para estarem congregados somente ao nome do Senhor aí sim estarão reunidos em assembleia (eklesia) na qualidade de representantes do corpo de Cristo.

Pode soar estranho ou injusto dizer isto, mas eu pergunto: Quando os presbiterianos (ou batistas, ou metodistas etc.) estão reunidos em assembleia (eklesia) acaso eles representam o corpo de Cristo? Não, porque eu faço parte do corpo de Cristo e não sou presbiteriano (ou batista, ou etc.). Portanto, ainda que representem uma facção do testemunho do corpo de Cristo, não podem representar o corpo como um todo, pois uma denominação é excludente por denominar apenas alguns membros do corpo de Cristo como "igreja".

Outro desafio ao seu pensamento: Se hoje todas as denominações desaparecessem, permanecendo apenas os verdadeiros salvos, a Igreja continuaria na terra? Certamente, pois a existência da Igreja, que é o corpo de Cristo, não depende de nenhuma denominação. Onde iriam então congregar esses cristãos? Na igreja (eklesia) onde quer que estivesse reunida "em espírito e em verdade", pois "onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles" (Mt 18:20).

"O pão que partimos não é porventura a comunhão do corpo de Cristo? Porque nós, sendo muitos, somos um só pão e um só corpo, porque todos participamos do mesmo pão." (1 Co 10:16)

"Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também. Pois todos nós fomos batizados em um Espírito [no dia de Pentecostes], formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito... Assim, pois, há muitos membros, mas um corpo." (1 Co 12:12-14, 20).

"Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação." (Ef 4:4).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana