As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Você acredita na descoberta da Arca da Alianca?



https://youtu.be/UoB5viVAPRE

Se eu acredito que a arca da aliança foi descoberta? Bem, tirando a descoberta feita por Indiana Jones, ninguém mais sabe onde ela está. Segundo a Wikipedia, os lugares onde a arca supostamente estaria incluem o Monte Nebo, a Etiópia, o sul da África, França, Estados Unidos, Roma, Inglaterra, Irlanda e Egito, além de alguns que alegam que ela esteja escondida sob a esplanada do Templo (onde existe uma Mesquita e acho que foi o lugar onde Indiana Jones a encontrou) ou enterrada sob o monte da Caveira onde Cristo foi crucificado. Existem ainda os que acreditam que ela esteja em São Paulo, mas ali não passa de uma arca falsa colocada em um templo falso.

Se alguém descobrir o que sobrou da verdadeira arca, isso não terá importância alguma, pois ela já cumpriu o seu papel quando foi construída, que era o de representar a Cristo, como testemunho de Deus na terra, e também a aliança de Deus para com o seu povo de Israel. A "Arca da Aliança" ou "Arca do Testemunho" ou "Arca de Jeová" como é chamada na Bíblia, era uma caixa de madeira de acácia medindo 1,30 centímetros de comprimento por 79 centímetros de altura e largura, revestida de puro ouro por dentro e por fora. Nas laterais havia anéis de ouro nos quais eram enfiados varais para carregá-la. Sobre ela havia uma tampa, chamada de "propiciatório", com duas figuras de querubins.

A arca era uma figura de Cristo em sua manifestação em perfeita justiça (ouro) revestindo a madeira (humanidade, pois a madeira cresce a partir da terra). A tampa ou propiciatório representava o trono de Jeová na terra. Dentro da arca havia as duas pedras da Lei, que representavam a justiça que Deus exigia do homem, um pote de ouro contendo o maná, e a vara de Aarão que floresceu. O conjunto todo também apontava para Cristo, Deus e Homem, o único que podia cumprir toda a justiça de Deus, além de significar sua graça sacerdotal para com o pecador (a vara de Aarão que floresceu, não a de Moisés que feriu a rocha) e alimento (o pão que desceu do céu), como descreve Hebreus 9:3-5:

"Mas depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o santo dos santos, que tinha o incensário de ouro, e a arca da aliança, coberta de ouro toda em redor; em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas da aliança; e sobre a arca os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório".

Assim como Cristo foi um peregrino aqui, e o cristão também é, a arca peregrinou até o Templo de Salomão ser construído em Jerusalém, quando ela descansou em seu lugar na terra. Quando ela é vista no templo em 1 Reis ali é dito que "na arca nada havia, senão só as duas tábuas de pedra, que Moisés ali pusera" (1 Rs 8:9). O povo já não era peregrino e não precisava mais do maná, pois podia comer do grão da terra prometida, e o sacerdócio de Cristo em seu caráter itinerante também não era mais necessário como nos tempos da peregrinação.

"E todos os homens de Israel se congregaram ao rei Salomão, na ocasião da festa, no mês de Etanim, que é o sétimo mês. E vieram todos os anciãos de Israel; e os sacerdotes alçaram a arca. E trouxeram a arca do SENHOR para cima, e o tabernáculo da congregação, juntamente com todos os objetos sagrados que havia no tabernáculo; assim os trouxeram para cima os sacerdotes e os levitas. E o rei Salomão, e toda a congregação de Israel que se congregara a ele, estava com ele diante da arca, sacrificando ovelhas e vacas, que não se podiam contar nem numerar pela sua quantidade. Assim trouxeram os sacerdotes a arca da aliança do SENHOR ao seu lugar, ao oráculo da casa, ao lugar santíssimo, até debaixo das asas dos querubins. Porque os querubins estendiam ambas as asas sobre o lugar da arca; e os querubins cobriam, por cima, a arca e os seus varais. E os varais sobressaíram tanto, que as pontas dos varais se viam desde o santuário diante do oráculo, porém de fora não se viam; e ficaram ali até ao dia de hoje. Na arca nada havia, senão só as duas tábuas de pedra, que Moisés ali pusera junto a Horebe, quando o SENHOR fez a aliança com os filhos de Israel, saindo eles da terra do Egito." (1 Rs 8:2-9).

A importância da arca não estava no que ela era materialmente falando, mas no que significava. A arca representava a aliança ou concerto de Deus com o seu povo de Israel (além de ela ter outros significados, como as particularidades que apontam para Cristo). Como Israel foi rejeitado "em parte" (Romanos 11:25), a arca nunca mais foi vista na terra. Mas ela é vista no céu em Apocalipse 11:19 mostrando que Deus ainda se lembra do concerto que fez com seu povo, o qual voltará a ser restaurado no futuro.

"E abriu-se no céu o templo de Deus, e a arca da sua aliança foi vista no seu templo; e houve relâmpagos, e vozes, e trovões, e terremotos e grande saraiva." (Ap 11:19).

"Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado. E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades. E esta será a minha aliança com eles, Quando eu tirar os seus pecados. Assim que, quanto ao evangelho, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais. Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento." (Rm 11:25-29)

A última menção da arca no Antigo Testamento talvez seja a do profeta Jeremias, mas ali ele fala de um tempo ainda futuro, do milênio, quando Cristo estiver reinando e já não existir necessidade da arca porque eles terão o próprio Senhor (o qual a arca também era uma representação).

"E sucederá que, quando vos multiplicardes e frutificardes na terra, naqueles dias, diz o SENHOR, nunca mais se dirá: A arca da aliança do SENHOR, nem lhes virá ao coração; nem dela se lembrarão, nem a visitarão; nem se fará outra." (Jr 3:15).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana