As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Minha filha está dormindo?



https://youtu.be/KW2P4I2gxvI

Sinto pela tristeza que veio sobre você e sua família com a partida de sua filha de doze anos, mas um dia essa tristeza se transformará em alegria (Jo 16:20). Qual foi a certeza que o Senhor deu aos discípulos, de que ressuscitaria após morrer, tal é a certeza que ele também nos transmite acerca dos queridos que partiram antes de nós.

1 Ts 4:13-14 "Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele."

A expressão "aos que em Jesus dormem" é usada apenas para os que morreram em Cristo, enquanto para os perdidos Deus fala dos que morreram. Isto porque para o crente a morte é apenas um sono passageiro para o corpo, que aguarda o despertador da ressurreição. Mas a expressão "os que dormem" se refere apenas ao corpo, já que alma e espírito estão bem acordados e conscientes na presença de Cristo.

É por isso que passagens como em Eclesiastes 9:5, que diz que "os mortos não sabem coisa nenhuma", pois ali é a situação dos corpos dos mortos "debaixo do sol", isto é, na terra, e não de suas almas no hades, que é a condição de morte. No caso narrado por Jesus em Lucas 16:19-31, o rico que interage com Abraão está bem desperto e consciente, e quando pede que Lázaro seja enviado até ele para mitigar sua sede, não está pensando em ser ajudado por um sonâmbulo.

Infelizmente a cristandade é influenciada por doutrinas malignas, como as do Adventismo do Sétimo Dia e de outras religiões, que pregam o "sono da alma", quando a verdade é que o sono é apenas do corpo, por se encontrar em um estado de imobilidade. Essas doutrinas também roubam ao crente qualquer esperança, uma vez que consideram que mesmo os convertidos a Cristo terão de passar pelo juízo final para decidir se estão salvos ou perdidos para sempre. Se esquecem das palavras de Jesus, que disse: "
Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação (juízo), mas passou da morte para a vida." (Jo 5:24).

Quando o Senhor disse ao malfeitor que naquele mesmo dia eles estariam juntos no Paraíso, não estava dizendo que ele sairia da cruz para ir dormir no Paraíso. Quando Paulo disse que tinha o "desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor" (Fp 1:23) ele não estava querendo dizer que dormir com Cristo era melhor do que ficar acordado aqui.

Portanto, respondendo à sua dúvida, os que morreram em Cristo têm seu corpo sepultado até a ressurreição ou o arrebatamento, mas o espírito e alma (a parte dos sentimentos) já estão bem despertos e desfrutando da companhia de Cristo. Quando Moisés (que morreu) e Elias (que foi arrebatado) apareceram a Pedro, Tiago e João no monte da transfiguração, eles não apareceram dormindo, mas conversando sobre o evento que viria a seguir, que era a morte de Jesus em Jerusalém. Estavam bem despertos e interagindo entre si e com Jesus (Lc 9:31).

Os mártires, mortos "por amor da Palavra de Deus" durante a Grande Tribulação que virá após a Igreja ter sido arrebatada da terra, cujas almas aparecem no céu em Apocalipse 6, não são vistos dormindo, mas clamando "com grande voz" por vingança. A eles foi dito que descansassem (não que dormissem) por mais um pouco até que seu número fosse completado com os que ainda seriam martirizados. Ninguém pensaria neles como pessoas que falam durante o sono.

Esses que partiram ainda não estão no "corpo espiritual" citado por Paulo em 1 Coríntios 15:44, porque "espiritual" ali é apenas para se contrapor ao corpo "natural" que herdamos de Adão. "Corpo espiritual" não é um corpo etéreo, translúcido e sem matéria, porque o próprio Senhor Jesus, que "foi feito as primícias dos que dormem", ressuscitou com um corpo material de carne e ossos, inclusive tendo convidado Tomé a tocar seu corpo e comido peixe e mel na presença deles. Esse corpo que teremos é chamado de espiritual por sua natureza estar apta a viver na esfera espiritual. Hoje no céu existe um Homem em um corpo de carne e ossos (Lc 24:39). A qualquer momento o céu será povoado, não mais apenas pelas almas dos que morreram, mas por multidões em corpos de carne e ossos como o de Jesus.

Enquanto o "corpo natural", apto a viver nesta terra, é controlado pela alma (algo que até os animais têm) e instintos naturais, o "corpo espiritual" é chamado assim por ser controlado pelo espírito do homem, a parcela do seu ser que lhe é exclusiva, pois não existe nos animais, e que permite que ele tenha comunhão com Deus. Portanto, os que morreram e estão neste momento com Cristo no céu ainda não estão em um "corpo espiritual", pois este será o corpo ressuscitado que receberão na ressurreição ou arrebatamento, o que pode ocorrer a qualquer momento.

Sugiro que agora você deixe de estar entre os "ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele." (1 Ts 4:13-14). Faça como Davi fez, quando perdeu seu filho.

2 Sm 12:19-23 "Viu, porém, Davi que seus servos falavam baixo, e entendeu Davi que a criança estava morta, pelo que disse Davi a seus servos: Está morta a criança? E eles disseram: Está morta. Então Davi se levantou da terra, e se lavou, e se ungiu, e mudou de roupas, e entrou na casa do Senhor, e adorou. Então foi à sua casa, e pediu pão; e lhe puseram pão, e comeu. E disseram-lhe seus servos: Que é isto que fizeste? Pela criança viva jejuaste e choraste; porém depois que morreu a criança te levantaste e comeste pão. E disse ele: Vivendo ainda a criança, jejuei e chorei, porque dizia: Quem sabe se Deus se compadecerá de mim, e viverá a criança? Porém, agora que está morta, porque jejuaria eu? Poderei eu fazê-la voltar? Eu irei a ela, porém ela não voltará para mim."

Enquanto a criança vivia, Davi orou sabendo que Deus era um Deus de misericórdia. Depois que ela morreu ele adorou, porque sabia que Deus era um Deus justo, e ele tinha a certeza de que iria reencontrá-la. Muito antes de Paulo escrever sua epístola, Davi agiu como devemos agir quando vemos um querido passar para a presença do Senhor:

Fp 3:13-14 "Uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus."

Gosto de lembrar a frase que uma irmã em Cristo postou no Facebook por ocasião do dia dos pais, e falando de seu pai, que tinha partido anos antes para estar com Cristo. Ela escreveu: 
"Amo tanto meu pai que não gostaria que ele estivesse aqui comigo".

por Mario Persona


Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana