As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Qual foi o sinal que Deus colocou em Caim?



https://youtu.be/GUj89s-xcgo

Você perguntou que marca ou sinal teria sido este que Deus colocou em Caim. A passagem diz que Deus amaldiçoou Caim por ter matado seu irmão, e por isso ele seria fugitivo e errante na terra. Deus não disse que seria impossível Caim ser perdoado de seu pecado, mas o próprio Caim lançou tal sentença sobre si mesmo ao dizer "É maior a minha maldade que a que possa ser perdoada" (Gn 4:13). Muitos que pecam usam do pecado como desculpa para se afastarem ainda mais de Deus e mergulharem de vez na iniquidade alegando que não podem ser perdoados. Deus poderia ter perdoado Caim como pode também perdoar o mais vil pecador.

Caim parece confirmar sua determinação de manter distância de Deus quando repete a maldição que recebeu, de ser expulso por Deus e tornar-se fugitivo e errante na terra, ao acrescentar: "...e da tua face me esconderei... e será que todo aquele que me achar, me matará" (Gn 4:14).

Mas Deus, que é em extremo "longânimo, e grande em misericórdia, que perdoa a iniquidade e a transgressão" (Nm 14:18) não queria todo esse mal que Caim julga cair sobre si mesmo. Ao contrário, providencia uma salvaguarda para Caim, dizendo: "Portanto qualquer que matar a Caim, sete vezes será castigado. E pôs o Senhor um sinal em Caim, para que o não ferisse qualquer que o achasse" (Gn 4:15). Depois disso "saiu Caim de diante da face do Senhor e habitou na terra de Node", nome este que significa "errante".

A Bíblia não diz qual era a natureza desse sinal ou marca, e alguns já apresentaram algumas ideias mais ou menos absurdas, como dizer que Deus tornou a pele de Caim negra, ou que a marca seria uma tatuagem. Nada disso tem fundamento e ao nos ocuparmos com a identificação do aspecto físico de tal marca acabamos perdendo de vista seu significado.

O que Deus estava fazendo com Caim era um ato de misericórdia e graça, já que Deus ainda não havia dado ao homem o governo, que daria mais tarde a Noé, com poder e autoridade de vida e morte sobre o homicida. Por isso Deus enquadra Caim na mesma categoria que mais tarde, na Lei, Deus enquadraria o israelita que inadvertidamente matasse seu semelhante. Deus deu aos levitas seis "cidades de refúgio" que foram distribuídas pela terra de Israel. Uma vez ouvi um comentário de que essas cidades poderiam ser alcançadas de qualquer ponto da terra de Israel sem ultrapassar a distância permitida pela Lei de Moisés para uma jornada de sábado, mas ainda não pesquisei mais sobre isso.

De qualquer modo, a marca colocada em Caim tinha o mesmo valor dessas cidades de refúgio onde um homicida poderia se abrigar até ser julgado para determinar se era culpado ou não, sem que ali os familiares do morto pudessem exercer vingança e matá-lo. Hoje a "cidade de refúgio" do pecador é Cristo, a quem ele pode ir para ficar abrigado do juízo eterno.

Voltando à história de Caim, William Woldridge Fereday, que viveu no século 19 e esteve congregado somente ao nome do Senhor, comenta que "se Abel é uma figura de Cristo como a testemunha que foi morta, Caim representa os judeus, que o mataram, apesar de não terem sido os judeus apenas, já que todo mundo esteve envolvido naquele terrível crime (Atos 4:27). Mas Caim não devia ser destruído, pois 'pôs o Senhor um sinal em Caim, para que o não ferisse qualquer que o achasse' (Gn 4:15). Da mesma maneira, os judeus têm sido preservados por Deus para uma outra e melhor época. Deus prefere considerar o judeu um 'homicida' (Nm 35) ao invés de um 'assassino'. Se considerarmos que a história do judeu representa a história da humanidade, saber que Deus irá voltar a abençoar esse povo significa que ainda existe uma bênção universal por vir para a humanidade".

Um outro bom comentário que encontrei foi o de Leslie M. Grant, que diz:

"O Senhor colocou um sinal em Caim, demonstrando que quem matasse Caim seria vingado sete vezes. Deus estava tratando com Caim e nenhum homem deveria interferir. Mais tarde, no tempo de Noé, Deus daria autoridade governamental ao homem para executar um homicida (Gn 9:5-6), mas nos tempos de Caim ainda não tinha sido introduzido o governo humano. Deus estava tratando diretamente com Caim.

Isto é uma notável figura do modo de Deus tratar com a nação de Israel quando esta passou a sofrer como fugitiva, fugindo do Deus de seus pais, e como errante na terra, não encontrando um lugar para descansar seus pés. Mesmo assim Deus não permitiu que os gentios exterminassem o povo, apesar de isto ter sido tentado muitas vezes. A marca de Deus foi colocada sobre Israel, e aquelas nações que fizerem com que Israel sofra irão, elas próprias, sofrer a vingança de Deus" - Leslie M. Grant

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana