As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Cristaos devem promover conferencias?



https://youtu.be/rfLFB-gmdBg

Você soube que os irmãos com os quais congrego costumam promover conferências e quis entender melhor o que é isso e por que elas são dirigidas aos irmãos, e não aos incrédulos. Creio que uma dificuldade para entender isso é porque nas denominações a igreja se reúne principalmente para pregar o evangelho. Tem um pregador à frente e no final ele faz um apelo para que creiam em Jesus. Esse modelo não tem fundamento bíblico para uma reunião da assembleia ou igreja, a qual não se reúne para incrédulos, mas para a edificação dos santos, adoração e oração.

Outra confusão geralmente ocorre porque algumas denominações religiosas ou mesmo grupos sem denominação promovem conferências no sentido de unificar a crença daquele grupo. Neste caso a conferência é uma ação de cima para baixo, dos líderes clericais para os leigos. Isso existe tanto no protestantismo como no catolicismo, com suas "Convenções" e "Conferências". Então a sede mundial ou regional da organização determina a necessidade desse encontros periódicos.

Mas as conferências que costumo frequentar não tem nada a ver com isso e nem é uma ação determinada por alguma sede ou organização, já que essas coisas não existem entre os irmãos congregados somente ao nome do Senhor. As conferências são iniciativas locais, de uma ou mais assembleias que promovem reuniões especiais para exercitar a comunhão entre os santos e também o aprendizado da Palavra. O fato de algumas assembleias promoverem conferências ou reuniões especiais pode ser entendido com o que costumamos fazer em nossa vida diária. Almoçamos e jantamos todos os dias, mas em algum momento do ano convidamos todos os parentes para um almoçou ou jantar, tanto para reencontrarmos e conhecermos novos membros acrescentados à família, como para nos animarmos mutuamente. Assim é uma conferência entre os irmãos.

Eventualmente os irmãos da assembleia que promove e recepciona os irmãos nessas conferências podem criar um programa que, além de incluir a ceia do Senhor, ministério da palavra por dois ou três e orações, inclui também pregações para crentes e reuniões de estudo bíblico. Além disso, pode-se também querer convidar alguns irmãos para pregarem o evangelho, dando assim oportunidade aos irmãos de convidarem amigos e parentes incrédulos para essas pregações.

Alguns irmãos costumam gravar e publicar ou transmitir ao vivo essas pregações do evangelho voltadas aos incrédulos, mas na minha opinião uma transmissão das reuniões da assembleia, como ceia, ministério e oração, soaria estranho, pois são reuniões de um caráter muito mais íntimo e reservado. A ceia do Senhor não é celebrada para espectadores, e muito menos a reunião de oração. Ainda que as reuniões de ministério possam ser úteis para os que não estão congregados (e por isso costumam ser gravadas em áudio), transmiti-las em vídeo criaria alguns problemas, como a preocupação com a imagem, da parte do que fala, ou mesmo constrangimento de alguns irmãos que poderiam deixar de falar por se sentirem pouco confortáveis diante de uma câmera. Além disso não devemos nos esquecer que a fé vem pelo ouvir, não pelo ver ou assistir.

As conferências são momentos preciosos para os que participam e vemos esse intercâmbio e "festas de amor" acontecendo entre os santos do Novo Testamento. No Antigo Testamento temos princípios que nos levam a apreciar esses encontros, como é o caso de Neemias 8. Ali temos um bom exemplo de qual é o sentimento quando irmãos se reúnem em caráter extraordinário para se dedicarem à Palavra e ao auxílio mútuo em um evento como é uma conferência. Vamos à passagem de Neemias:

"Assim, quando chegou o sétimo mês, os israelitas estavam instalados em suas cidades e casas. Todo o povo se reuniu então, como um só homem, na praça que ficava diante da porta da Água, e pediu a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da Lei de Moisés, que o Senhor havia prescrito a Israel. O sacerdote Esdras trouxe a lei diante da assembléia de homens, mulheres e de todas as crianças que fossem capazes de compreender. Era o primeiro dia do sétimo mês.

Esdras fez então a leitura da lei, na praça que ficava diante da porta da Água, desde a manhã até o meio-dia, na presença dos homens, mulheres e das crianças capazes de compreender; todos escutavam atentamente a leitura. O escriba Esdras postou-se num estrado de madeira que haviam construído para a ocasião; a seu lado encontravam-se, à direita, Matatias, Semeías, Anias, Urias, Helcias e Maasias; à esquerda, Fadaías, Misael, Melquias, Hasum, Hasbadana, Zacarias e Mosolão. Esdras abriu o livro à vista do povo todo; ele estava, com efeito, elevado acima da multidão. Quando o escriba abriu o livro, todo o povo levantou-se.

Esdras bendisse o Senhor, o grande Deus; ao que todo o povo respondeu, levantando as mãos: Amém! Amém! Depois inclinaram-se e prostraram-se diante do Senhor com a face por terra.E Josué, Bani, Serebias, Jamin, Acub, Seftai, Odias, Maasias, Celita, Azarias, Josabed, Hanã, Falaías e outros levitas explicavam a lei ao povo, e cada um ficou no seu lugar. Liam distintamente no livro da lei de Deus, e explicavam o sentido, de maneira que se pudesse compreender a leitura.

Depois Neemias, o governador, Esdras, sacerdote e escriba, e os levitas que instruíam o povo, disseram a toda a multidão: Este é um dia de festa consagrado ao Senhor, nosso Deus; não haja nem aflição, nem lágrimas. Porque todos choravam ao ouvir as palavras da lei. Neemias disse-lhes: Ide para as vossas casas, fazei um bom jantar, tomai bebidas doces, e reparti com aqueles que nada têm pronto; porque este dia é um dia de festa consagrado ao nosso Senhor; não haja tristeza, porque a alegria do Senhor será a vossa força. Os levitas acalmavam o povo. Calai-vos, diziam eles, este é um dia santo; não vos aflijais. E todo o povo se foi para beber e comer, dar porções aos pobres e entregar-se a grandes alegrias. Porque haviam entendido o sentido das palavras que lhes foram explicadas." (Ne 8:1-12)

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana