As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

No ceu nao havera' mais nascimentos?



https://youtu.be/lGGBxCMOTd0

Você viu o vídeo com o título "Com que idade aparente estaremos no céu?" e ficou com dúvida se todos os ressuscitados, independente de serem crianças ou adultos, estarão em corpos adultos como o de Jesus. Se assim for, sua pergunta é: "No céu não haverá mais nascimentos?"

Muitos confundem terra e céu quando falam da esperança e destino do crente. Por exemplo, católicos e protestantes fundamentalistas acreditam que os cristãos devem evangelizar todo o mundo para prepará-lo para receber o reino de Cristo, e que viverão aqui eternamente numa terra transformada. Se você não compreender a diferença entre a teologia do pacto (aceita pela maioria dos cristãos) e o dispensacionalismo (que separa o que é para Israel e o que é para a Igreja) dificilmente você entenderá estas coisas.

Depois do arrebatamento da Igreja e ressurreição dos que morreram em Cristo, o céu estará cheio de pessoas com seus corpos ressuscitados. Enquanto isso a terra passará por 7 anos de dificuldades culminando na grande tribulação (segunda metade dos 7 anos) e a vinda de Cristo para julgar as nações e introduzir seu reino. Um remanescente de judeus e gentios terá se convertido nesse período e habitará no reino de Cristo na terra.

Nesse reino de mil anos na terra as pessoas continuarão nascendo como hoje, porque não serão pessoas ressuscitadas, mas terão o mesmo corpo que temos hoje. Como a terra (não o planeta inteiro) estará restaurada, o diabo preso e todos vivendo em paz, só morrerá quem pecar. Quando Jesus curava e alimentava multidões ele estava dando uma amostra grátis do que será o reino na terra.

No final dos mil anos Satanás será solto para levantar uma rebelião contra Cristo. Essas pessoas provavelmente terão nascido nesse período de mil anos. Aí a terra e os céus serão destruídos com fogo e Deus irá criar novos céus e nova terra, dos quais quase nada a Bíblia diz por ser a eternidade, quando não haverá nem tempo e nem matéria como a conhecemos.

Nossa mente atual foi feita para viver e entender coisas no tempo e espaço, por isso nem adiantaria a Bíblia falar da eternidade que estaria além de nossa compreensão. Por acharem que tudo deve caber em nossa caixa craniana, muitos cristãos se limitam a acreditar que seu futuro será numa terra melhorada, e não numa eternidade no céu (enquanto os povos terrenos estarão na nova terra).

A eternidade, os novos céus e a nova terra, são coisas tão fora de nossa capacidade de imaginar que nenhum autor de ficção científica conseguiria descrever. Se algum dia você ouviu a expressão "pensar fora da caixa" é hora de aplicá-la também no entendimento das escrituras e deixar de lado a teologia do pacto com suas limitações.

Se quiser entender melhor a profecia sugiro a leitura do livro "Acontecimentos Proféticos", de Bruce Anstey. O livro foi publicado em português há muitos anos e a edição se esgotou, mas não será difícil você encontrar para baixar em formato digital.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana