As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

O que voce acha de comediantes nas igrejas?



https://youtu.be/7G41-gTvyTE

Acho perfeitamente bíblico, porque a degradação da cristandade é assunto da Bíblia e a Palavra de Deus já previa que ela seguiria esse rumo. Quando eu digo cristianismo, entenda que é a doutrina cristã, mas quando falo em cristandade estou me referindo a tudo e todo que leva o nome de Cristo, seja falso ou verdadeiro, joio ou trigo. Na cristandade hoje não se convida alguém para pregar por ser dedicado ao evangelho, mas para ser animador de plateia. Se acha que tem muito lixo sendo introduzido nas igrejas, você ainda não viu nada. Em Apocalipse a cristandade, oca de Cristo e sem os cristãos que terão sido levados no arrebatamento, é mostrada como "a grande Babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra" (Ap 17:5).

A princípio essa Grande Meretriz aparece montada sobre a besta do poder civil, como esteve muitas vezes no passado coroando reis e exercendo seu domínio sobre eles, e como está hoje de uma maneira mais velada, mas com grande influência política, social e comercial. Mas lá em Apocalipse ela finalmente é derrubada de sobre o poder civil e destruída. "Caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e covil de todo espírito imundo, e esconderijo de toda ave imunda e odiável. Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua prostituição, e os reis da terra se prostituíram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias." (Ap 18:2-3).

Ali diz que "ela se glorificou, e em delícias esteve" e também que "os reis da terra, que se prostituíram com ela, e viveram em delícias", ou "luxúrias" como em outra versão. Depois de sua queda, que causará um impacto profundo na economia mundial, "e sobre ela choram e lamentam os mercadores da terra; porque ninguém mais compra as suas mercadorias". Segue-se uma lista de mercadorias de todo tipo que termina com "corpos e almas de homens". (Ap 18:7-13).

O objetivo maior da cristandade no mundo não é pregar o evangelho, mas ganhar os corpos e almas de homens para sua causa. E qual é sua causa? Crescer como o pé de mostarda da parábola de Mateus 13 que "faz-se uma árvore, de sorte que vêm as aves do céu, e se aninham nos seus ramos", ou como no caso do "fermento — sempre na Bíblia mostrado como pecado ou má doutrina — que uma mulher toma e introduz em três medidas de farinha, até que tudo esteja levedado.(Mt 13:32-33).

Se você souber fazer "dois mais dois" saberá calcular mulher + prostituta + má doutrina = crescimento. E as "aves do céu"? "A grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e covil de todo espírito imundo, e esconderijo de toda ave imunda e odiável" (Ap 18:2). A meta da cristandade — a Grande Babilônia, a Grande Meretriz — de crescer no mundo está alinhada com o pensamento comercial e empresarial que adotou. Para crescer você precisa de membros que precisam de infra-estrutura que precisa de mais membros para um crescimento auto-sustentável.

Então o jeito é diversificar, principalmente quando ninguém está mais interessado na verdade e quando existe tanto entretenimento interessante na mídia. "Se Maomé não vai à montanha, traga a montanha a Maomé", diz o velho ditado. Numa versão moderna seria "Se o cristão não vai ao circo, traga o circo ao cristão". Neste caso a ideia tenta passar uma preocupação religiosa ao justificar que traz o entretenimento para dentro da comunidade cristã para seus membros não irem buscá-lo no mundo. O que não percebem é que o perigo não é o cristão estar no mundo, mas o mundo estar no cristão, do mesmo modo como o perigo não é o barco estar no mar, mas o mar estar no barco.

Que a cristandade sempre foi a grande mecenas das artes seculares, isso a história está aí para provar com suas grandes catedrais, imagens e objetos. Não teríamos artistas como Leonardo Da Vinci, Sandro Boticelli, Michelangelo Buonarrotti, Rafael Sanzio, se não fosse pelo incentivo e financiamento dos papas e outros clérigos de sua época. Mas não atire todas as suas pedras nos católicos, reserve algumas para os protestantes poderem construir também suas catedrais onde acontecem os eventos culturais e religiosos de artes cênicas e musicais.

Quando digo isso não pense que me escuso por não ser católico ou protestante. Eu faço parte da mesma massa da cristandade que em seu derradeiro estágio é chamada de Laodiceia em Apocalipse 3, e cuja característica é achar-se rica e abastada, quando tudo o que faz é dar náuseas no Senhor que quer vomitá-la de sua boca. O detalhe é que a cristandade hoje reúne cristãos falsos e verdadeiros lado a lado, e estes existem em todas os juntamentos e reuniões cristãs, independente de ter ou não denominação, ou da corrente teológica que seguem.

A cristandade futura pós-arrebatamento da Igreja (os genuínos cristãos) é que aparece pintada nos capítulos de Apocalipse que falam de sua derrocada. Mas ali ela já terá conseguido arrebanhar alguns simpatizantes genuínos pós era da Igreja, pois estes são alertados: "Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas." (Ap 18:4). Quando a grande Babilônia, que inclui toda a manifestação cristã no mundo, cair, o lamento de sua plateia será: "E em ti não se ouvirá mais a voz de harpistas, e de músicos, e de flautistas, e de trombeteiros, e nenhum artífice de arte alguma se achará mais em ti" (Ap 18:22).

Percebe agora onde entra o comediante stand-up, o músico, o ator em tudo isso? Portanto não é de admirar que as igrejas tenham se transformado já em nossos dias em centros de entretenimento cristão, pois esta deve ser a configuração final da Grande Meretriz de Apocalipse, e nada mais normal do que ela já estar se produzindo neste sentido. Por isso eu disse no início que essas manifestações nas igrejas têm respaldo bíblico, não no sentido de serem autorizadas por Deus, mas como elementos do palco da grande apostasia que é o abandono da verdade. Hoje nas igrejas você encontra de tudo: shows de música e dança, palestras sobre os mais diferentes assuntos, estrado para políticos conquistarem eleitores, ginásios de esportes, clubes de campo, festas juninas, Halloween e palcos de comediantes stand up.

O argumento é que fazendo assim as igrejas atraem mais gente para o evangelho, mas no fundo o objetivo é faturar mais para manter a infraestrutura e poder atrair mais público pagante para... Lembra a propaganda do biscoito que vende mais porque é mais fresquinho e é mais fresquinho porque vende mais? Assim funciona a cristandade ávida por conquistar público, onde o que importa são os números e a satisfação da plateia. Não precisa ser muito inteligente para perceber que qualquer pessoa estará mais motivada a pagar ingresso para se divertir do que não pagar para ouvir a Palavra de Deus.

Se você tivesse vivido há alguns séculos teria ficado surpreso quando foram introduzidos os primeiros instrumentos musicais no culto cristão (isso mesmo, eles não existiam no princípio). Depois veio teatro, dança, filmes, cantores, bandas, pirotecnia de palco, fã clube de celebridades... Não vai demorar para você ter pole dance e strip-tease, porque já existe sexy-shop evangélica. O argumento será sempre que é melhor você se distrair com essas coisas em um ambiente cristão ou comprar estimulantes sexuais para usar com seu cônjuge do que fazer isso no mundo. Oh, o mundo é tão mundano, não acha?

Talvez você pergunte que mal há em cristãos se divertirem com algum entretenimento limpo e sadio. Nenhum mal, pois somos seres humanos e temos apetites comuns a todos, independente de serem cristãos ou não, como por um bom prato, uma boa música, um jogo eletrizante, uma história divertida etc. Mas estas coisas não são atividades da igreja, e sim da vida particular de cada um. É salutar que irmãos procurem estar juntos para comer, tocar, cantar, praticar esportes e se divertir. Afinal, não fazemos essas atividades com nossos filhos? Se você não faz por achar que cristão deve viver à base de pão e água e nunca rir, é provável que acabará perdendo seus filhos para o mundo.

Mas quando cristãos se reúnem em assembleia ou igreja devem fazê-lo dentro dos parâmetros estabelecidos pela Palavra de Deus, porque aí não estarão reunidos como forma de distração, mas para adorar a Deus, aprender dele e apresentar suas necessidades em oração. Em Atos 2:42 vemos que eles "perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.". E nas danças? Não tem. Nas bandas, corais, campeonatos de basquete, stand-up? Nada.

Quando o apóstolo Paulo usa como exemplo o que aconteceu com Israel, o povo terreno de Deus, para alertar a Igreja, o povo celestial, ele deixa claro que aquele povo havia perdido o foco e já não vivia em função do Senhor, mas de seus próprios prazeres e diversão. Ele diz que essas coisas aconteceram como figuras para nós, "para aviso nosso". Será que estamos levando esse aviso a sério?

"Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem, e todos passaram pelo mar. E todos foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar, e todos comeram de uma mesma comida espiritual, e beberam todos de uma mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; e a pedra era Cristo. Mas Deus não se agradou da maior parte deles, por isso foram prostrados no deserto. E estas coisas foram-nos feitas em figura, para que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram. Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles, conforme está escrito: O povo assentou-se a comer e a beber, e levantou-se para folgar [ou divertir-se]... Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos." (1 Co 10:1-11)

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana