As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Os judeus hoje adoram em verdade?



https://youtu.be/ntYYMIXW9to

Não. Os judeus adoravam em verdade no passado, mas hoje não pois rejeitaram a Cristo. Quando a mulher samaritana disse a Jesus "vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar", ele respondeu: "Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós [samaritanos] adorais o que não sabeis; nós [judeus] adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. A hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem." (Jo 4:20-23).

Os judeus adoravam em verdade, mas não em espírito. Se Jesus não reconhecesse como verdade o sistema de adoração do judaísmo até aquele ponto ele nunca teria dito aos leprosos curados: "Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes" (Lc 17:14). Nem teria ele incentivado o dízimo (Lc 11:42), que fazia parte das ordenanças da Lei. Também não teria expulsado os vendedores do Templo, que ele reconhecia como a casa de Deus. Tampouco teria dito a eles: "Os mestres da lei e os fariseus se assentam na cadeira de Moisés. Obedeçam-lhes e façam tudo o que eles lhes dizem." (Mt 23:2-3). Jesus não incentivaria seus discípulos a coadunarem com uma mentira.Ele teria descartado totalmente aquele sistema de adoração, como acabou fazendo mais tarde culminando com a destruição do Templo.

Mas ali tudo estava para mudar, portanto é um erro sim dizer que hoje os judeus adoram em verdade, por mais que sigam as ordenanças da Lei (o que nem sequer conseguem fazer corretamente, pois já não têm um Templo e nem sacerdotes e nem sacrifícios). Hoje para adorar "em espírito e em verdade" é preciso, primeiro, ser um "verdadeiro adorador", como Jesus chamou. E como alguém se torna um verdadeiro adorador?

W. T. P. Wolston define assim:

"Não existe uma adoração verdadeira a menos que conheçamos a Deus Pai como Ele foi revelado no Filho; somos dependentes exclusivamente do Filho, o Senhor Jesus, para o conhecimento do Pai. "A hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai." Mas quem são os verdadeiros adoradores?' — você pergunta. Ninguém é um verdadeiro adorador a menos que seja capaz de assumir o seu lugar de forma consciente em um relacionamento com o Pai, conforme revelado no Filho, pelo Espírito do Filho habitando nele.

'Essa é uma afirmação mais abrangente' — você dirá. Não nego isso. Você negaria? Apenas lhe pergunto: Você sabe o que é adoração? Talvez você responda, ‘Pensei que fosse uma ação de graças.’ De modo nenhum. A ação de graças é algo correto e muito abençoado de se fazer. É ótimo dar graças, mas graças são dadas por benefícios recebidos. Será isso adoração?

Quando você chega em casa após uma ausência de alguns dias, e ao entrar em sua casa o seu cão vem saltando ao seu encontro, correndo em volta de você, e mostrando a sua profunda alegria por seu retorno, seria isso ação de graças? Não. Você não deu nada a ele, para que em troca lhe dê graças. Então o que é? É o deleite daquela criatura em você. Isto é adoração. A adoração é o transbordar do coração para com Aquele que o encanta e o preenche. Se assim posso colocá-lo, é o transbordamento do copo cheio. O coração, quando preenchido pelo sentimento do que Deus é, revelado pela mais pura graça como o Pai na Pessoa do Seu Filho, transborda em adoração.

Portanto, para ser um verdadeiro adorador você não só deve ser nascido do Espírito de Deus, e assim ter uma natureza que se deleita em Deus, mas precisa possuir também o Espírito Santo habitando em você no poder de relacionamento e alegria, por meio do que esta adoração flui para Deus o Pai.

Observe com atenção que o Senhor fala aqui de “verdadeiros adoradores”. Isto não é uma questão de forma. Você pode ter tudo o que a mente mais estética poderia desejar: um edifício adequado, parafernália sacerdotal pomposa, atmosfera permeada de incenso, vitrais coloridos criando uma atmosfera religiosa, música em perfeição e todo um ritual, e ainda assim — Ah! que pensamento solene este para milhões de professos da cristandade! — ser totalmente desprovido de tudo o que é necessário você ser para que o Senhor o chame de ‘verdadeiro adorador’. Que ninguém se engane. A menos que você seja nascido de Deus, e tenha a consciência desse relacionamento pela habitação do Espírito de Deus, você não possui a capacidade para a verdadeira adoração." — "Verdadeiros Adoradores" - W. T. P. Wolston

http://manjarcelestial.blogspot.com.br/2016/05/verdadeiros-adoradores-w-t-p-wolston.html

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana