As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Por que Deus criou a maconha sabendo que ela poderia ser usada como droga?



https://youtu.be/mH2-upaoAP0

Não sabemos se as plantas que temos hoje teriam as mesmas propriedades que tinham quando foram criadas, pois sabemos que o pecado de Adão e Eva não apenas arruinaram toda a raça humana, mas também o ambiente onde tinham sido colocados. A terra foi amaldiçoada em consequência do pecado, que também afetou os homens, os animais e as plantas. O resultado dessa maldição é descrito nos versículos a seguir:

"E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do campo." (Gn 3:17-18).

"Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus.
Rom 8:20 Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora." (Rm 8:19-22).

Hoje estamos cercados, não apenas de ervas daninhas, espinhos e plantas venenosas ou alucinógenas, como também de outras coisas que podem nos fazer mal. Pense, por exemplo, no próprio fogo que usamos para preparar nossa comida. Quando alguém fabrica um explosivo está criando uma reação química que produzirá um fogo de grandes proporções que poderá matar muitas pessoas. Então o problema não está na coisa em si, porque explosivos também são usados para construir estradas e extrair a pedra de construção. O problema está no uso que as pessoas fazem disso.

Você falou da maconha porque só deve conhecer seu uso como estimulante, mas talvez não saiba que há muitos medicamentos derivados da maconha, da qual é extraído o Canabidiol, que atua no sistema nervoso central, ajudando a tratar doenças psiquiátricas ou neurodegenerativas, como esquizofrenia, mal de Parkinson, epilepsia ou ansiedade. Da papoula de onde se extrai o ópio, se produz também a morfina capaz de amenizar as dores mais terríveis em vítimas de acidentes, câncer e outras enfermidades.

Portanto o mal não está nas plantas narcóticas ou alucinógenas, o mal está no ser humano. Você pode usar uma faca para cortar pão ou matar seu próximo. Veja que até a Palavra de Deus, que nos foi dada para termos vida, tem sido usada ao longo dos séculos para justificar massacres de pessoas que se opuseram a ela. A própria inquisição, tanto a católica quanto a protestante, agiu assim, às vezes queimando na estaca os que se opunham ao ensino da Palavra de Deus ou, no caso de verdadeiros crentes em Cristo, pelo único crime de terem em mãos uma cópia de seus textos.

Por isso é importante aprender da figura do Antigo Testamento que, em uma de suas leis, dizia: "Não cozerás o cabrito no leite de sua mãe." (Êx 34:26). Quando a Lei determinou que não devia se amordaçar a boca ao boi que debulhava, Paulo mais tarde explicou que aquilo era para ser entendido como figura, pois Deus não estava preocupado com bois e sim com seus servos:

"Porque na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi que trilha o grão. Porventura tem Deus cuidado dos bois? Ou não o diz certamente por nós? Certamente que por nós está escrito; porque o que lavra deve lavrar com esperança e o que debulha deve debulhar com esperança de ser participante. Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito que de vós recolhamos as carnais?" (1 Co 9:9-11).

Da mesma forma, a lei de Êxodo 34:26, que proibia cozinhar o cabrito no leite de sua mãe, não estava tão preocupada com cabritos, mas com aqueles que poderiam usar da Palavra de Deus como instrumento de morte para quem devia se alimentar dela para ter vida.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana