As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Adao e Eva foram salvos?



https://youtu.be/pL7P45TW5lM

Você perguntou se Adão e seus descendentes foram salvos, e qual seria a regra para eles serem salvos já que na época deles não havia lei e muito menos graça. Eles tinham sim uma lei, que era a de não comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, apesar de não terem ainda "a Lei" que seria dada a Moisés. E além disso, como todos os homens que vieram depois deles, Adão e Eva tinham "a norma da lei gravada no seu coração, testemunhando-lhes também a consciência e os seus pensamentos, mutuamente acusando-se ou defendendo-se" (Rm 2:15).

Lembre-se de que ao ser criado à imagem e semelhança de Deus o ser humano traz em si princípios morais que em todas as culturas são respeitados, embora sempre muito acima daquilo que o homem consiga cumprir. Assim você irá encontrar ao longo da história e em diferentes povos e culturas leis justas, como era o Código de Hamurabi ou aquelas que regem uma tribo em alguma região remota da Amazônia ou do continente africano. Se o ser humano fosse deixado neste mundo em um ringue de vale-tudo ele teria teria desaparecido do planeta. Então nunca se esqueça: Todos os povos têm um código moral que é sempre mais elevado do que eles possam alcançar. Só isso já demonstra que há um Deus acima do homem.

"Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim." (Ec 3:11).

É um erro pensar que a Lei, dada depois a Moisés, ou qualquer outra lei que os homens tivessem antes ou depois dela tenha poder de salvar. Nenhuma lei salva. A lei é a placa de contramão. Ela só acusa você de estar indo para direção errada, mas não tem poder de manobrar seu caminhão na rua estreita. Então esqueça a ideia de lei como meio de salvação, porque até mesmo os povos que nunca tiveram contato com a Lei mosaica só poderão ser salvos se reconhecerem que são incapazes disso e apelarem para a graça e misericórdia de Deus.

Quanto à graça, Adão e Eva foram os primeiros a escutar o evangelho da graça da boca do próprio Deus, quando ele anunciou um que pisaria a cabeça da serpente. E também foram os primeiros beneficiados pela graça por meio desse sacrifício que ainda era futuro, prefigurado na vestimenta de pele (singular) que Deus proveu sacrificando um animal inocente para cobrir o pecado do homem e salvar o pecador. Depois da queda Deus guardou Adão e Eva para que não tomassem do fruto da árvore da vida e vivessem assim pecadores arruinados para sempre. Isso foi um ato de graça e proteção. Eva também professa sua confiança em Deus já fora do Éden, e o testemunho de seus lábios era a evidência de alguém crente e temente a Deus:

"E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do Senhor um homem... E tornou Adão a conhecer a sua mulher; e ela deu à luz um filho, e chamou o seu nome Sete; porque, disse ela, Deus me deu outro filho em lugar de Abel; porquanto Caim o matou. E a Sete também nasceu um filho; e chamou o seu nome Enos; então se começou a invocar o nome do Senhor." (Gn 4:1, 25-26).

Portanto é da linhagem de Adão e Eva, não da descendência ímpia de Caim, que Deus iria suscitar um povo que invocasse o seu nome, como explica também J. G. Bellett no texto a seguir:

"O pecado, no entanto, rapidamente contaminou a terra, e Deus ficou fora disso. Se Adão preserva sua santidade é por ser um um estrangeiro com Deus no mundo, e é isso que ele faz. Ao ouvir a história da semente da mulher, que seria ferida e iria ferir [a cabeça da serpente] (isto é, o evangelho de um Cristo vitorioso crucificado e ressuscitado), Adão é redimido, e, como um pecador salvo, ele retorna a Deus da escuridão e distância onde a culpa o havia colocado. Mas depois disso ele nunca é visto como buscando a cidadania na terra fora do Jardim do Éden. Nós não o encontramos com Caim e sua família e sua progênie mundana, na cidade de Enoque, no meio do seu trânsito e prazeres, mas com Seth e aquela casa que invoca o nome do Senhor e não tem memorial na terra, mas aqui apenas seu sepulcro. Porque o Senhor Deus não tinha agora nenhuma obra de Suas mãos para ser deleite e glória dele, como antes tivera." - "Strangership and Citizenship" - J. G. Bellett
http://www.stempublishing.com/authors/bellett/STRANGER.html

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana