As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Como aconselhar uma amiga que traiu o marido?



https://youtu.be/9Ur91r-1YSw

Você escreveu dizendo que viu no vídeo "Adulterei e estou grávida" eu dizer que a verdadeira restauração passa pela confissão da traição para a parte que foi vítima, no caso o marido da mulher que ficou grávida de outro. Então acrescenta que determinado pregador diz em um vídeo que "isso é tipo de um egoísmo, que é ferir o outro com uma espada para sempre só pra limpar a minha consciência". Como aconselhar uma amiga que traiu o marido e não quer confessar para não machucar seus entes queridos?

Com uma tacada magistral de torcer a verdade o tal pregador — que é conhecido por ter adulterado e se casado com outra — tenta cauterizar a consciência de alguém que obviamente está incomodada por seu pecado e ainda cria nela a ilusão de que se confessar seu pecado estará pecando! Uau! Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Sugiro que antes de aceitar o que as pessoas dizem, sejam elas "pastores" ou não, procure conferir tudo com o que diz a Palavra de Deus. Infelizmente existem pessoas assim, contra os quais a Palavra de Deus alerta, que tendo cauterizada a própria consciência, agora se dedicam a cauterizar também as consciências de seus seguidores.

"Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência" (1 Tm 4:1-2).

A confissão faz parte do processo de restauração e nada será restaurado enquanto ela não ocorrer. Outro dia via notícia de que um sequestro de criança nos Estados Unidos seguido de assassinato, que teria ocorrido há dezenas de anos e que só agora foi desvendado porque o criminoso, já idoso e enfermo, decidiu confessar. Por que teria decidido confessar se não fosse algo que incomodasse tanto? Porque podemos esconder algo dos homens, mas não de Deus, e ele pode usar nossa consciência para nos afligir enquanto aquilo não for passado a limpo.

Sua amiga, que não quer confessar ao marido, mesmo assim confessou a você, não foi? Se confessar não é importante, por que ela o fez? Porque no fundo sabe que não conseguirá viver com essa pendência sem resolver. Não existe cura para a consciência sem confissão. "Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis." (Tg 5:16).

Agora pense no inferno que será a vida dessa pessoa se ela for cristã. Um pecado não confessado é algo que acabará tornando-a cada vez mais insensível ao pecado e ao que este pode causar às outras pessoas. Ela já não terá discernimento de quando está ou não causando mal a outros, além do fato de que ficará inapta a testemunhar de sua fé de forma autêntica, genuína e sem hipocrisia.

Acredito que, cauterizando assim a própria consciência, este será apenas um de muitos outros erros que sua amiga cometerá em sua vida e que de um modo ou de outro irão ferir sim seus entes queridos. Por isso Paulo escreveu: "E por isso procuro sempre ter uma consciência sem ofensa, tanto para com Deus como para com os homens." (At 24:16).

O adultério é primeiro um pecado contra Deus, pois o corpo do cristão já não lhe pertence. "Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo, e fa-los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo. Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne. Mas o que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito. Fugi da prostituição. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus." (1 Co 6:15-20).

Mas o que um casado faz com seu corpo, ao cometer adultério, é também um pecado contra o cônjuge, pois o corpo de um pertence ao outro. Sua amiga pode até dizer que o que faz com seu próprio corpo é uma questão só dela, mas não é. Ela violou o que não é totalmente seu, como ensina a Palavra: "A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher." (1 Co 7:4).

Se ela já tiver sido salva pela fé em Cristo então terá o Espírito Santo habitando nela, e o caminho será orar e pedir ao Senhor por direção quanto ao melhor momento e maneira de confessar seu pecado. Se ainda não for salva, seu adultério é o menor de seus problemas. O lago de fogo estará cheio de maridos e mulheres fiéis que nunca creram em Jesus. Se for o caso a urgência para sua amiga é se converter a Cristo.

Supondo que sua amiga seja salva, e o Espírito Santo esteja usando sua consciência para levá-la a confessar seu pecado a uma amiga, mas não ao seu cônjuge, o que temos aqui? Por um lado, a Palavra de Deus que diz que a convicção de pecado é obra do Espírito Santo (João 16:8), e que o pecado não confessado arruína a vida (Salmo 32), e por outro um "pregador" conhecido por ter traído sua esposa para se casar com outra, aconselhando quem trai a ficar calado, pois, segundo ele confessar seria "um tipo de egoísmo, que é ferir o outro com uma espada para sempre só pra limpar a minha consciência".

O sentimento de culpa do mal que ela fez ao marido irá acompanhá-la por toda a vida e não só arruinar ainda mais seu relacionamento, como causar dano físico, algo que qualquer profissional de saúde pode muito bem atestar. Um cristão não conseguirá encobrir um adultério a vida toda sem sofrer consequências, mas poderá se recuperar dele se seguir os passos indicados por Deus na sua Palavra.

"Quando eu guardei silêncio, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado." (Sl 32:3-5).

"Salmo de Davi para o músico-mor, quando o profeta Natã veio a ele, depois dele ter possuído a Bate-Seba» Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. Lava-me completamente da minha iniquidade, e purifica-me do meu pecado. Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares. Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe. Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria. Purifica-me com hissope, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve. Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebraste. Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário." (Sl 51:1-12).

Talvez você diga: E se a confissão criar problemas maiores, como a dissolução do casamento e do lar? Bem, não terá sido a confissão que causou isso, porque quando sua amiga se deitou com outro ela já estava dando o pontapé inicial na dissolução de seu casamento. A questão agora é como agir segundo a vontade de Deus, e não de um "pastor" adúltero que irá dizer o que ela gostaria de ouvir. Isso é como a gravidez de um relacionamento fora do casamento, que as pessoas costumam enxergar como tragédia, quando foi o ato sexual a tragédia. A geração de uma vida foi uma bênção e milagre de Deus, mas infelizmente alguns acabarão culpando o bebê inocente que será morto para não trazer à tona o pecado de quem o cometeu.

Um passo errado pode levar a muitos outros se a pessoa não parar e lidar com o erro de modo que Deus possa resolver ao seu modo. Se no processo existir sofrimento ela deve se lembrar de que não foi a confissão o seu pecado. O pecado é o real vilão de toda a história e quando pecamos e buscamos resolver a questão ao modo de Deus podemos esperar que haverá consequências desagradáveis no processo, como no exemplo que Jesus deu:

"Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno. E, se a tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira-a para longe de ti, porque te é melhor que um dos teus membros se perca do que seja todo o teu corpo lançado no inferno." (Mt 5:29-30).

Portanto anote aí: Não haverá restauração se não houver confissão e transparência. Nenhuma restauração ocorre sem deixar cicatrizes com as quais seremos obrigados a viver aqui nesta terra. O trabalho de reconquistar a confiança será árduo, mas quem pecou deve ter consciência de que aos olhos do outro será como um pé que um dia foi quebrado — leva tempo para nos firmarmos nele outra vez. Portanto a confissão irá gerar também um exercício no cônjuge que, se for cristão, precisará aprender a perdoar como Deus nos perdoou.

"Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição." (Cl 3:12-14).

Mas a confissão é o único caminho ensinado pela Palavra de Deus, e não por algum "pastor que pastoreia a si mesmo", para que haja transparência e luz em um relacionamento. Afinal, não é assim o relacionamento que Deus quer que tenhamos com ele?

"E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós." (1 Jo 15-10).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana