As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Um deficiente e' salvo por merito?



https://youtu.be/5OYTbDtcrQ0

Você escreveu discordando de algo que eu disse a respeito de autistas, deficientes mentais de nascença e embriões,os quais seriam salvos por Cristo por serem incapazes. Segundo você, se assim for o deficiente terá nascido com uma vantagem que outros não tiveram, já que sua salvação não teria sido inteiramente por graça, e sim por uma característica que ele possui e outros não, fazendo dele uma espécie de "merecedor" da salvação.

Você pode explicar como alguém se torna autista ou deficiente mental por seus próprios esforços ou por mérito? Não há ninguém com menor capacidade de merecer a salvação do que alguém que nasce incapaz até de entender para crer. Como você acha que serão salvos os bilhões de fetos descartados nos abortos? O sacrifício de Cristo é suficiente para salvar a todos eles porque o próprio Senhor deixou claro ser propício para com crianças e "pobres de espírito".

"E traziam-lhe meninos para que lhes tocasse, mas os discípulos repreendiam aos que lhos traziam. Jesus, porém, vendo isto, indignou-se, e disse-lhes: Deixai vir os meninos a mim, e não os impeçais; porque dos tais é o reino de Deus. Em verdade vos digo que qualquer que não receber o reino de Deus como menino, de maneira nenhuma entrará nele. E, tomando-os nos seus braços, e impondo-lhes as mãos, os abençoou." (Mc 10:13-16).

"E Jesus, vendo a multidão, subiu a um monte, e, assentando-se, aproximaram-se dele os seus discípulos; e, abrindo a sua boca, os ensinava, dizendo: Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus." (Mt 5:1-3).

"E disse o rei: Não há ainda alguém da casa de Saul para que eu use com ele da benevolência de Deus? Então disse Ziba ao rei: Ainda há um filho de Jônatas, aleijado de ambos os pés. ... Morava, pois, Mefibosete em Jerusalém, porquanto sempre comia à mesa do rei, e era coxo de ambos os pés." (2 Sm 9:3-13).

O sangue que Jesus derramou na cruz é suficiente e eficaz para trazer salvação aos que morrem antes da idade da razão e também aos deficientes de se aproximar dele por uma fé consciente. Em 2 Samuel 12:23 vemos o rei Davi na certeza de que iria se encontrar com seu filho recém nascido e morto. Considerando que Davi, que também é figura de Cristo, está hoje no céu, como teria seu filho chegado lá sem entender para crer? Mais graça que isto é impossível imaginar.

"Disseram-lhe seus servos: Que é isto que fizeste? Pela criança viva jejuaste e choraste; porém, depois que ela morreu, te levantaste e comeste pão. Respondeu ele: Vivendo ainda a criança, jejuei e chorei, porque dizia: Quem sabe se o Senhor se compadecerá de mim, e continuará viva a criança? Porém, agora que é morta, por que jejuaria eu? Poderei eu fazê-la voltar? Eu irei a ela, porém ela não voltará para mim." (2 Sm 12:21-23).

Religiões perversas, como as que pregam a reencarnação para a eliminação do carma ou pecado, é que não deixam espaço para a graça e misericórdia de Deus. Os adeptos dessas religiões olham para um deficiente mental como sendo alguém que aprontou alguma em uma vida anterior para ser merecedor de tal sofrimento. Em contrapartida, quem não traz qualquer deficiência é visto como alguém espiritualmente superior, já que não está aqui sofrendo para pagar pelos pecados de uma suposta vida anterior. Mas a Bíblia ensina que toda imperfeição é consequência do pecado que arruinou a criação lá no princípio por intermédio do primeiro casal de seres humanos, e que o pecado passou assim a todos os homens trazendo também imperfeições e morte.

O remédio para isso não é outro senão a graça de Deus e a salvação por meio do sacrifício de Cristo, pois do mesmo modo como o pecado entrou na criação por um só homem, Deus providenciou que saísse por um só homem, Jesus. Mas somente os que creem nele e em seu sacrifício remidor é que podem desfrutar desse privilégio ou, como já disse, aqueles que estão incapacitados de crer por alguma deficiência mental ou por terem morrido antes da idade da razão.

"Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram. Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei. No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não tinham pecado à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir. Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos. E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou. Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação. Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo. Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida.  Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um muitos serão feitos justos." (Rm 5:12-19).

Neste ponto você poderá perguntar qual seria então a razão de Deus ter dado a Israel a Lei e os mandamentos, se a salvação não é por mérito? A continuação da passagem responde, mostrando que a Lei e os mandamentos funcionam como placas de contra-mão, as quais nada podem fazer pelo motorista além de avisá-lo de que está cometendo uma infração.

"Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça; para que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo nosso Senhor." (Rm 5:20-21).

A Lei e os mandamentos não salvam, apenas acusam ou fazem abundar a ofensa. Pense na Lei como uma lente de aumento colocada sobre sua natureza pecaminosa. Seus pecados saltam aos olhos de Deus. Uma vez na condição de réu, em um tribunal você nunca esperaria que o promotor justiça — cujo papel é acusar — pudesse lhe salvar. Sua esperança estaria no advogado de defesa. Este é Jesus, que se interpôs entre o juízo de Deus e o pecador, recebendo sobre si a penalidade pelo pecado.

Existe mais um detalhe que você precisa ter em mente, e este é que antes de uma pessoa exercer fé em Jesus é preciso que o Pai tenha dado essa pessoa ao Filho para ser salva, portanto a salvação não começa por você, por sua própria iniciativa, mas por iniciativa do Pai. E esse começo foi na eternidade, antes que existissem todas as coisas, pois os salvos escolhidos antes da fundação do mundo.

Os que seriam salvos Deus os "elegeu nele [em Cristo] antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade... Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade; com o fim de sermos para louvor da sua glória, nós os que primeiro esperamos em Cristo; em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa. O qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória. " (Ef 1:4-11).

Se um dia você creu em Jesus como seu Salvador e Senhor é porque lá atrás o Pai deu você ao Filho para que este salvasse você. Então um dia, depois de você nascer, o Espírito Santo lhe incutiu vida para que você pudesse sentir o peso de seus pecados e crer na Palavra de Deus, que é o que a Bíblia chama de "novo nascimento". Foi só assim que você teve condições de crer, recebendo então o Espírito Santo que vem habitar no crente como garantia de sua salvação.

Recapitulando, primeiro você foi escolhido, depois entregue pelo Pai ao Filho para ser salvo, depois nasceu de Deus, recebendo vida e purificação pela Palavra e pelo Espírito, para só depois crer em Jesus e ser selado pelo Espírito Santo.

"Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia. E dizia: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido... E a vontade de quem me enviou é esta: que nenhum eu perca de todos os que me deu; pelo contrário, eu o ressuscitarei no último dia." (Jo 6:44-45, 39).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana