As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Deus já escreveu todos os meus dias?



https://youtu.be/q-yl4vrs888

Você escreveu dizendo que é difícil não pensar que Deus já tenha escrito todos os seus dias, como diz o Salmo 139:16: "Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.". Você acredita ainda que se imaginasse que uma molécula qualquer pudesse estar voando por aí solta pelo universo, sem que Deus tivesse controle ou conhecimento disso, então a ideia de Deus como a conhecemos desmoronaria. Você então pergunta se poderia considerar esta passagem do livro de Salmos como afirmando que Deus tem o controle de tudo, inclusive de cada detalhe da vida de cada ser humano.

Sua dúvida é bastante complexa e não existe uma resposta simples para ela, porque estamos falando dos desígnios de Deus, grande parte deles completamente fora de nosso alcance ou compreensão, ou ele não seria Deus. Em Deuteronômio 29:29, depois de ter dado a Lei aos israelitas, Moisés escreve: "As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei". A passagem mostra que Deus nos revelou tudo o que precisávamos saber, e revelou tendo em vista um propósito bem definido. Ao homem cabe aceitar e obedecer o que foi revelado, e não tentar investigar o que não foi revelado. A Bíblia não está aberta à curiosidade do cético.

"Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado" (Tg 4:17), escreveu Tiago falando de nossa responsabilidade associada ao conhecimento que já temos. Isso nada mais é do que a frase do cartunista Stan Lee transformada nas últimas palavras do tio do "Homem Aranha", ao deixar um conselho para seu sobrinho: "Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades". Antes que você ache a frase de Stan Lee original, lembre-se do que disse o Senhor Jesus no Evangelho: "A qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá." (Lc 12:48).

Se você quiser realmente conhecer mais da Palavra e dos desígnios de Deus, isso só acontecerá se você estiver disposto a fazer a vontade dele, pois Deus não deixou a Palavra revelada apenas para satisfazer a curiosidade humana. Não adianta querer esticar o braço para sua lanterna iluminar um caminho no qual você não está disposto a caminhar. "Se alguém quiser fazer a vontade dele, conhecerá a respeito da doutrina...  Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade." (Jo 7:17; 1 Tm 2:3-4).

Pense no plano irreversível de Deus para você como um daqueles passatempos que têm um labirinto para você encontrar o caminho mais curto para alcançar o destino. Você vai traçando com o lápis seu caminho, que poderá ser mais ou menos tortuoso e demorado, dependendo das decisões que tomar de virar à direita ou à esquerda numa bifurcação. Mas cedo ou tarde você acaba chegando lá, valendo a máxima bíblica "Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado" (Jó 42:2). Mas Deus evidentemente sabe cada caminho que você irá tomar, pois você ainda continua sendo um ser humano responsável e mais ainda depois de convertido a Cristo.

Um bom exemplo é a história de Paulo, que devia chegar a Roma para ali testemunhar do Evangelho. Havia a maneira mais direta, que era a do Espírito Santo de Deus que disse a ele para não ir a Jerusalém antes, e a maneira de Paulo, que era passando por Jerusalém. Ele acabou chegando a Roma, porém teria evitado muita dor e sofrimento se tivesse dado ouvidos ao Espírito Santo que tinha dito que fosse a Roma sem escalas.

Obviamente Deus sabia o que aconteceria tanto em um caminho como no outro, porque ele tudo vê, inclusive o futuro. E como Deus pode ver seu futuro? Quando você vê uma estrela à noite no céu, você realmente não vê a estrela, mas apenas sua luz que levou  milhares ou milhões de anos para chegar à terra. A luz da estrela que conhecemos como Sol leva 8 minutos, a da próxima estrela, Alfa Centauri, leva 4 anos e 3 meses para chegar aqui. Quando você vê Marte no céu está vendo como era Marte há alguns minutos, o que faz o sistema de direção das sondas que rodam pelo planeta algo extremamente complexo para se pilotar daqui da Terra. É mais ou menos como se para virar o volante de seu carro na esquina você precisasse fazer isso vinte minutos antes. Nem com carro velho e direção com folga leva tanto tempo.

Agora imagine Deus como um gigante tão alto que quando está em pé consegue olhar diretamente para a última estrela visível da Terra, cuja luz e imagem levaram 93 bilhões de anos para chegar aos nossos telescópios. Por ser Deus tão "alto" quanto é, ele fica cara a cara com essa estrela observando-a em tempo real (estou apenas dando um exemplo, pois na verdade nós nem sabemos se ela ainda existe, porque se explodir hoje ficaremos sabendo daqui a 93 bilhões de anos e não teríamos paciência para esperar).

Então imagine que, depois de olhar para essa estrela em tempo real, Deus se sentasse para olhar a Terra em tempo real. Agora pense num Deus que é muito mais rápido do que a velocidade da luz para ficar em pé e sentar e você poderá dizer que Deus vê tudo em tempo real, passado, presente e futuro. Embora meu exemplo seja bem simples, já se sabe que para um astronauta voando pelo espaço o tempo passa mais devagar que na Terra, e Einstein havia predito isso antes das viagens espaciais, só por meio de equações.

Alguém viajando pelo espaço à uma velocidade máxima, que seria próxima da luz (porque acredita-se que à velocidade da luz a matéria se transforme em energia), essa pessoa viajaria, digamos seis meses, e voltaria a uma Terra onde teriam se passado alguns anos. Vi um filme de ficção científica no qual uma mãe que acabava de dar à luz foi diagnosticada com uma doença que lhe dava apenas alguns meses de vida. Então ela embarca numa viagem espacial e eventualmente retorna à terra para visitar sua filha, e a história segue até ela ser capaz de conhecer sua neta antes de morrer. Nesse período muitos anos se passaram na terra e todos envelheceram, menos ela, que sempre volta com a mesma aparência. Era como se ela decidisse visitar sua filha todo final de semana em tempo espacial, porém na terra isso equivaleria a uma visita a cada dez anos ou vinte anos.

Talvez aqui você me pergunte qual a velocidade máxima do velocímetro de Deus, e a resposta está na Bíblia: "O poderoso Senhor, Rei dos reis e Senhor dos senhores; aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível" (1 Tm 6:16). Ou seja, Deus é infinitamente rápido, mais rápido que a própria luz e o tempo, e é assim que ele viaja no tempo e enxerga todo o Universo de uma só vez, além de nosso passado, presente e futuro. Sua onipresença lhe permite "ficar em pé" e "se sentar" em tempo zero, muito diferente do "meu assentar e o meu levantar" (Sl 139:2).

Se alguém naquela estrela distante apontasse seu telescópio para a Terra veria um planeta de há 93 bilhões de anos, vazio dos seres humanos que foram criados há cerca de apenas seis mil anos. Mas Deus vê o antes, o agora e o depois de tudo.

Cabe lembrar aqui que Deus age no tempo, mas não está sujeito ao tempo, pois foi ele quem criou o tempo e a matéria há tantas eras que é impossível calcular. Um dia o tempo e a matéria como a conhecemos deixará de existir e tudo voltará àquele estado original de eternidade, porém, ao contrário de uma eternidade onde só havia Deus em três Pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo, a eternidade "futura", se podemos chamar assim, será o resultado da obra de Deus no tempo e que foi concebida fora do tempo. Será uma eternidade abundantemente povoada: "Respondeu-lhe o senhor: Sai pelos caminhos e atalhos e obriga a todos a entrar, para que fique cheia a minha casa." (Lc 14:23).

Agora é melhor você se sentar porque vem a melhor parte. Quando eu falei em "eternidade futura" foi apenas para caber em nosso entendimento, porque os salvos não estarão propriamente numa "eternidade futura", mas simplesmente eternamente louvando ao Senhor, e eternidade não tem começo e nem fim. Por isso mais de uma vez encontramos a expressão "de eternidade em eternidade" relacionada aos salvos: "Os santos do Altíssimo receberão o reino, e o possuirão para todo o sempre, e de eternidade em eternidade." (Dn 7:18).

O interessante é que, apesar de termos sido criados no tempo e espaço, fomos concebidos na mente de Deus antes que existissem essas coisas. E um dos indícios disso é existir no HD de nosso coração uma espécie de partição reservada para assuntos eternos, como diz Eclesiastes 3:11: "Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim.".

Sem as atuais limitações de matéria, tempo e espaço, o salvo terá também uma mente capaz de raciocinar fora dessas variáveis. É por isso que é tão difícil pensar em viagens no tempo para o homem em sua condição atual, pois nada lhe faria sentido. Se pensarmos nas profecias bíblicas como uma espécie de viagem no tempo, quando Deus abre uma brecha na cortina do tempo para permitir que seu profeta dê uma espiada ali, o que ele é capaz de contar vem em forma de símbolos e figuras, porque sua mente não terá elementos para processar aquilo e muito menos de transmitir o que viu por meio de um vocabulário que foi feito para o homem na terra.

Paulo fez essa viagem quando foi levado ao terceiro céu, e nem ele mesmo sabia dizer se viajou no corpo ou fora do corpo, porque nada fazia sentido para sua mente material. Tudo o que ele foi capaz de transmitir foram estas palavras, pois o que ouviu lá estava fora do alcance do entendimento humano: "Em verdade que não convém gloriar-me; mas passarei às visões e revelações do Senhor. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu. E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar." (2 Co 12:1-4).

Quer outro exemplo? Suponha que você tivesse vivido em 1918 e, ao caminhar pela rua de sua cidade, de repente encontrasse uma fresta na tela do tempo que lhe permitisse espiar aquela mesma rua em 2018. Sua conclusão seria de que as pessoas modernas teriam enlouquecido e até evitaria contar a experiência para outros não acharem que você também enlouqueceu. Afinal, tudo o que viu foram pessoas caminhando com uma coisinha espetada no ouvido, falando sozinhas e passando o dedo indicador numa tabuinha.

Mas uma viagem física no tempo seria um problema para um ser humano cujo corpo de matéria existe no tempo. Se você voltasse ao passado deixaria de existir no presente, pois como poderia o "você" de hoje continuar existindo se hoje "você" não está aqui? E como poderia existir há duzentos anos, ao menos em sua viagem no tempo, se naquele tempo você não existia além de não existir no futuro do qual partiu? E se fizesse uma viagem mais curta, correria o risco de se encontrar com "você" criando um paradoxo do tipo você matar você mesmo. Complicado, não é mesmo?

Mas vamos voltar no tempo até sua pergunta inicial que era sobre o Salmo 139. O Salmo está falando, primeiro de Davi e ao mesmo tempo dele como uma figura de Cristo em sua vinda em carne como Messias e Rei. Mas o que diz ali pode ser aplicado a cada ser humano nascido neste planeta. "Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia." (Sl 139:16). Deus está sim no controle de todas as coisas.

Veja também:
http://www.respondi.com.br/2016/11/como-entender-tempo-e-materia.html

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana