As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Existe algo que um crente nao deva pedir?



https://youtu.be/tpqFhovPigk

Penso que existam pelo menos duas coisas que um crente jamais deveria pedir a outros, e essas coisas são AMOR e DINHEIRO. É evidente que não estou dizendo que num momento de necessidade você não possa recorrer a algum amigo ou parente buscando ajuda, ou até ir ao banco fazer um empréstimo. Falo de dinheiro no sentido de pedir para usar na obra do Senhor. Não encontrei na doutrina dos apóstolos nenhuma passagem que autorize um cristão a mendigar por amor e por dinheiro. Existem sim passagens que nos encorajam a dar, tanto uma coisa quanto outra, mas nunca pedir.

Quando um cristão se coloca na condição de carente pedindo a outros amor ou dinheiro é porque ainda não entendeu que tem um Pai e é a ele que deve pedir que supra suas necessidades e, em especial, as necessidades na obra do Senhor. Amor não há como pedir nem a Deus, pois é impossível recebermos mais amor do que Deus já nos deu, porque ele sempre nos amou, até antes de existirmos e a expressão máxima desse amor foi entregar seu próprio Filho para morrer por nós. Dinheiro também é algo que devemos pedir a Deus, mas às vezes ele pode não nos dar do modo como queremos a fim de nos ensinar algo ou nos disciplinar.

Por outro lado, essas coisas um cristão em comunhão com o Pai deve sempre estar pronto a dar: amor e dinheiro. A Palavra de Deus nos exorta a amarmos e também a ofertarmos para as necessidades dos santos. Uma necessidade em particular é a daqueles que trabalham na obra do Senhor. Ao contrário do que encontramos nos sistemas religiosos e em sites que sempre trazem uma conta corrente para depósito e apelos pedindo doações, um cristão com entendimento da Palavra de Deus saberá que isso não procede. Mas estará sempre pronto a exercitar o amor e a colaboração quando perceber essas necessidades.

Existem irmãos que trabalham na obra do Senhor e que nunca irão lhe pedir coisa alguma. Mas será que você é sensível o suficiente para se deixar usar pelo Espírito e ter comunhão com eles nessa obra? Isso redundará em muitas graças dadas a Deus e na expansão da obra do Senhor na terra. Se esse irmão estiver sinceramente empenhado na obra do Senhor, não trabalhando para alguma organização religiosa, mas sim para o Senhor e prestando contas a ele, você provavelmente nunca irá escutar de seus lábios um pedido de ajuda financeira.

Nos sistemas religiosos também existem irmãos sinceros trabalhando na obra do Senhor sem aquela avidez e avareza encontrada em alguns pregadores da TV, porém muitas vezes não têm esse entendimento e acabam passando o chapéu, pois foi assim que aprenderam em suas "igrejas" e "missões". Às vezes pedem até a incrédulos ou aceitam suas ofertas, sem entender a separação que Deus exige. Um exemplo magnífico foi dado pelos primeiros cristãos quando saíram pelo mundo dando testemunho de sua fé, e para isso não tomaram nada dos incrédulos. "Pois por causa do Nome foi que saíram, nada recebendo dos gentios." (3 Jo 1:7).

Obviamente não estou falando aqui de obras assistenciais ou ONGs, como asilos, hospitais, creches, orfanatos, que precisam contar com a ajuda pública por oferecerem um serviço à sociedade como um todo. Minhas observações se restringem à obra do Senhor, tanto na evangelização quanto no ministério a Palavra.

Uma das admoestações, não no sentido de pedir, mas de dar, aparece em 2 Coríntios 9:

"Portanto, tive por coisa necessária exortar estes irmãos, para que primeiro fossem ter convosco, e preparassem de antemão a vossa bênção, já antes anunciada, para que esteja pronta como bênção, e não como avareza. E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará. Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra; conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; A sua justiça permanece para sempre. Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça; para que em tudo enriqueçais para toda a beneficência, a qual faz que por nós se deem graças a Deus. Porque a administração deste serviço, não só supre as necessidades dos santos, mas também é abundante em muitas graças, que se dão a Deus. Visto como, na prova desta administração, glorificam a Deus pela submissão, que confessais quanto ao evangelho de Cristo, e pela liberalidade de vossos dons para com eles, e para com todos; e pela sua oração por vós, tendo de vós saudades, por causa da excelente graça de Deus que em vós há." (2 Co 9:5-14).

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana