As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Voce viu que coisa horrivel este video?



https://youtu.be/MegFI4qExqU

Você viu as coisas horríveis que essa pessoa está dizendo em um vídeo e me enviou o link para eu comentar. Quase todos os dias alguém me envia um link de algum vídeo ou texto com essa observação, como se estivesse fazendo uma boa ação em compartilhar. Muitos fazem isso em seus perfis nas redes sociais, que acabam virando uma verdadeira prateleira de horrores, pecados e má doutrina, sem perceberem que estão sendo inocentes úteis na propagação do mal.

O fato de compartilhar um vídeo de conteúdo maligno só ajuda a disseminar esse conteúdo maligno, ainda que seja com observações do tipo "Oh! Que coisa maligna essa pessoa está dizendo!", "Nossa! Como a humanidade chegou a tal ponto!", "Só vendo para acreditar em tamanha heresia!". Pesquise no Google o que significa "inocente útil" para saber em que categoria se enquadram os cristãos que vivem publicando malignidades de outros em suas redes sociais.

"Ninguém vos engane com palavras vãs; porque, por essas coisas, vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais participantes com eles. Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz (porque o fruto da luz consiste em toda bondade, e justiça, e verdade), provando sempre o que é agradável ao Senhor. E não sejais CÚMPLICES nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha." (Ef 5:6-12).

Recebo sempre esse tipo de coisas vindas de irmãos que estão com a melhor das intenções perguntando se aquilo está muito ou pouco errado, pedindo minha opinião ou apenas para compartilhar sua indignação. O que eles não percebem é que se eu clicar no link que enviam também serei contaminado com aquele mal. Para mim basta saber sobre o que é o vídeo para nem clicar.

Vou dar um exemplo hipotético extremo para você sentir o drama de ficar compartilhando coisas assim. Imagine que alguém me enviasse um link para um vídeo, com a mensagem: "Mario, gostaria que visse este vídeo pornô e me dissesse se posso fazer essas mesmas coisas com minha esposa, estando legalmente casados". Você acha que eu deveria analisar o vídeo detalhadamente para ajudar esse irmão? Se acha, então também deve acreditar em Papai Noel, Coelho da Páscoa e que existem homens que são feitos de aço inoxidável, impermeáveis às tentações e imunes a qualquer influência em sua carne.

"...tomai o propósito de não pordes tropeço ou escândalo ao vosso irmão." (Rm 14:13).

Existe no jornalismo uma frase: “If it doesn't bleed, it doesn't lead!”, ou "Se não sangrar, não dá audiência". O ser humano é ávido por sangue, por notícias ruins e por sensacionalismo, daí a grande audiência de rádio e telejornais especializados em crimes e acidentes. Também estão ganhando espaço os programas de TV realistas mostrando os bastidores dos prontos-socorro nas grandes cidades e nas guerras, onde não faltam sangue e sofrimento. Existe em nossa carne um secreto prazer de nos deliciarmos com o mal e os erros alheios, pois isso nos faz sentir mais justos do que os outros.

Se, por um lado, o erro precisa ser apontado, não deve ser ele o foco de nosso ministério, mas sim a Verdade. Nosso objetivo neste mundo é de testemunhar de Cristo. É evidente que devemos nos precaver contra o mal, mas quando denunciar o mal se torna nosso foco acabamos não percebendo que ficamos tão ocupados falando das obras da carne e do diabo que nos sobra pouco tempo para falarmos de Cristo. Por isso mesmo quando respondo a dúvidas de cristãos no site "O que respondi" tenho o cuidado de revelar o mínimo possível do erro ou heresia que gerou aquela dúvida, e evito principalmente colocar links para levar o leitor à pessoa que prega esses erros.

Alguns pregadores profissionais ganham dinheiro indo nas igrejas para falar de tocar os discos da Xuxa ao contrário (como se isso hoje fosse possível), de elementos satânicos nos desenhos da Disney, de bonecas do mal e outras coisas do tipo. Aí eles dizem que se você pegar uma lente e examinar a embalagem de um desenho da Disney irá ver que o detalhe traz alguma mensagem imoral ou demoníaca. Ora, se vivermos neste mundo de lente em punho, vamos descobrir aquilo que a Bíblia já ensina, que o mundo jaz no Maligno, e que tudo o que há no mundo não procede de Deus, mas do mundo (entenda "mundo" não como o planeta, mas como o sistema humano de coisas, a civilização).

Devemos ser símplices como a pomba, que não anda de lupa na mão, e astutos como a serpente, que sabe muito bem identificar algo como perigoso e foge. É assim que deve ser. Se você enxergar que isso é uma ameaça para sua fé, fuja. Mas, volto a dizer, não fique por aí preocupado em divulgar o mal, pois é isso que muitos líderes religiosos hoje estão fazendo, até mesmo entrevistando pessoas possessas para conhecer o que o diabo tem a dizer.

Existe uma linha muito tênue em denunciar o erro e promover o erro. Quando você envia sistematicamente vídeos de coisas malignas, ainda que acompanhados de alguma crítica, acaso não está também fazendo um favor a eles? Pare de fazer um favor aos que produzem essas coisas. Quando eles publicam seus vídeos o objetivo é tornar públicos os seus atos, e se você faz o mesmo, ainda que para criticar, não está fazendo nada além de um favor a eles.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana