As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

A esperança do cristao e' igual 'a do muculmano?



https://youtu.be/-W7-wfVqqQ0

Você escreveu dizendo que me viu criticar neo pentecostais por ficarem buscando um "Paraíso" na terra, para receberem nesta vida prosperidade, curas e sorte no amor. Então diz indaga que diferença isso tem de minha fé que se resume no desejo de ser eterno e habitar no Paraíso, apenas com a diferença de não ser um Paraíso aqui, mas no céu. E você termina perguntando se essa esperança do cristão não seria a mesma nutrida por um muçulmanos, mas apenas com diferentes maneiras de se chegar lá.

Não, por mair surpresa que você terá com minha resposta, um cristão que entenda qual é sua esperança e destino não tem o desejo de ir para o céu. Sua perspectiva e anseio são outros. Conhece aquela passagem onde Paulo fala: "De ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar no Paraíso, porque isto é ainda muito melhor."? Não, você não conhece porque esta passagem não existe. O que ele diz é "tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor" (Fp 1:23).

Quando o malfeitor na cruz pediu para Jesus lembrar-se dele quando viesse no seu Reino, ele não estava pedindo o céu ou o Paraíso, mas apenas que quando Jesus viesse reinar na terra se lembrasse dele. E o que Jesus responde? Apesar da expectativa até humilde do pedido do malfeitor, de ser lembrado ao voltar a morar na terra, o Senhor dá a ele uma resposta prometendo algo que ele nem imaginava. Não, ele não diz "Hoje estarás no Paraíso"; ele diz "Hoje estarás COMIGO no Paraíso" (Lc 23:43).

Todo cristão consciente do lugar que agora ocupa na presença de Deus, e irá ocupar em espírito, alma e corpo na ressurreição ou arrebatamento, possui uma expectativa da "melhor parte", como na expressão usada por Jesus ao falar de Maria, que aos seus pés tinha escolhido aquilo que tinha maior valor, que era estar com Jesus. "E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada." (Lc 10:41-42).

Quando você entende isto, entende também a razão de alguns discípulos de Jesus não o abandonarem quando outros já não queriam andar com ele. Ao Jesus interrogar os que ficaram, Pedro toma a palavra e diz: "Senhor, para QUEM iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna." (Jo 6:68). Pedro não diz "para onde iremos", como se o lugar fosse importante, mas para QUEM, porque era a uma Pessoa divina que queriam ir e com quem desejavam ser identificados.

Com tudo isso fica muito clara a importância do que o Senhor falou aos israelitas no deserto, quando disse que não deviam oferecer seus sacrifícios em qualquer lugar a critério deles, conforme achassem melhor. Deviam trazer suas ofertas ao lugar onde o Senhor iria colocar o SEU NOME. O nome do Senhor seriam as coordenadas para que tivessem a certeza de estar no lugar certo.

Se no Antigo Testamento, quando as promessas eram terrenas, os israelitas ainda assim poderiam misturar as coisas e dar maior valor ao Templo do Senhor do que ao Senhor do Templo feito de pedras e numa cidade física como era Jerusalém, no Novo Testamento Jesus fez com que o "onde" ficasse ainda mais associado ao seu Nome, já que nenhuma localização geográfica importaria, e sim o nome de Jesus. "Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles." (Mt 18:20).

Então o desejo apropriado a todo cristão é, enquanto na terra, estar onde o Senhor colocou o seu Nome, porque tem a promessa de ter a ele no meio. E quanto ao futuro, seu desejo é ser levado pelo "mesmo Senhor" que conheceu aqui, "porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor." (1 Ts 4:16-17). 

Espero ter respondido à sua dúvida, se essa esperança do cristão não seria a mesma nutrida por um muçulmanos, mas apenas com diferentes maneiras de se chegar lá. A expectativa do Cristo é estar com Cristo, enquanto a do muçulmano é dar rédeas soltas à carne, como você vê no Paraíso descrito no Alcorão (aqui citado entre aspas):

"... haverá tudo o que as almas podem desejar, tudo que os olhos podem se deleitar... o gozo da vida terrena é muito curto e a vida futura é muito melhor", pois lá "sua provisão e sua sombra são eternas". Lá o vinho é "branco, delicioso para quem bebe, livre de intoxicantes, e com ele não se embriagarão". Também existem "rios de água incorruptível, rios de leite cujo sabor nunca se altera", onde "terão esposas puras sem menstruação, urina, fezes...".

Numa matéria da Revista Veja encontrei o que escreveu al Suyuti, respeitado teólogo da religião islâmica, que viveu no Egito até 1505 e costumava dar mais detalhes do que o Alcorão estava querendo dizer:

“A cada vez que nós dormimos com uma húri (virgem) nós a encontramos virgem. Além disso, o pênis dos Eleitos nunca amolece. A ereção é eterna; a sensação que você sente a cada vez que faz amor é muito deliciosa e de fora desse mundo e se você tentar experimentar isso nesse mundo você vai falhar. Cada escolhido (muçulmano) irá casar com setenta virgens, além das mulheres que ele casou na Terra, e elas terão vaginas apetitosas”.

Depois de saber disso você ainda teria coragem de dizer que a esperança de um muçulmano é a mesma de um cristão?

http://www.respondi.com.br/2015/04/sua-meta-e-ir-para-o-ceu.html

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana