As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Um judeu convertido e' identificado como igreja?



https://youtu.be/wdmsQMGmTPs

Você pergunta se um judeu convertido passa a fazer parte da Igreja, que é o corpo de Cristo, e se assim for, indaga o que aconteceria para os judeus que morreram antes da formação da Igreja na terra ou depois do arrebatamento da Igreja para o céu. "Não vos torneis causa de tropeço nem para judeus, nem para gentios, nem tampouco para a igreja de Deus" (1 Co 10:32).

Você pergunta ainda: "Perderiam eles a chance de morarem no céu? Não teriam sido escolhidos antes da fundação do mundo como todos os salvos da presente dispensação? Teria um judeu convertido hoje dois passaportes, um para morar na terra no reino de mil anos que foi prometido as judeus, e outro para morar no céu como parte da Igreja e da promessa feita a ela?".

Sua pergunta é complexa, mas vou começar dizendo que sim, um judeu convertido a Cristo passa a ser identificado por Deus como membro do corpo de Cristo, que é a Igreja. Deus enxerga três classes de pessoas: judeus, gentios e Igreja de Deus. Qualquer pessoa de uma das duas primeiras classes que se converte passa a ser vista na terceira classe, Igreja de Deus.

Deus sempre salvou por graça, judeus e gentios, em todas as eras e dentro do conhecimento que cada um tinha de Deus. No Antigo Testamento a salvação para um judeu significava não morrer, pois quem guardasse a Lei viveria por ela. Obviamente nenhum deles conseguiu guardar a Lei e todos morreram. Desses, os que se reconheceram incapazes e apelaram para a misericórdia e graça de Deus não deixaram de ser atendidos. Seus espíritos e almas estão neste momento no céu, enquanto seus corpos aguardam a ressurreição.

A partir da vinda de Cristo ao mundo os judeus agora podiam olhar para o Salvador e crer naquele que viam. Em sua conversa com Tomé, que dizia que precisava ver para crer, Jesus avisou que viriam dias quando mais bem aventurados seriam os que creriam sem ver. Mas nos dias dos Evangelhos, tendo o Cristo diante de si e não crendo era motivo suficiente para destinar à perdição muitos daqueles judeus, principalmente os religiosos.

Resumindo, os judeus que creram e morreram antes do advento da Igreja foram salvos e estão no céu. A partir de Atos 2 qualquer judeu que creia em Jesus já não é visto como judeu, mas como membro do corpo de Cristo, a Igreja. Portanto no atual período só existem salvos membros do corpo de Cristo. Nos dias em que a Igreja está na terra não existem judeus salvos no judaísmo, a menos que tenham crido em Jesus, o que não os faz mais judeus.

No céu há diferentes famílias originárias dessas diferentes classes de pessoas: judeus, gentios e Igreja. Mas mesmo no atual período existem salvos que não fazem parte da igreja por incapacidade, como o caso dos abortivos, das crianças mortas antes da idade da razão e dos deficientes mentais.

Na passagem "Do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome" (Ef 3:15) não existe o artigo "a" no texto original. O sentido é "toda família" ou "cada família", indicando essas diferentes classes de pessoas.

Quando a Igreja for arrebatada ficarão na terra judeus e gentios ainda incrédulos que nunca ouviram com clareza o evangelho. Ficarão também judeus e gentios que ouviram claramente o evangelho e não creram, ou aqueles que apenas colocaram uma Bíblia no sovaco, um terno e gravata ou uma batina e frequentaram igrejas, mas continuaram não tendo nascido de novo. Estes farão parte da Grande Babilônia, a falsa igreja professante de um testemunho cristão vazio de Cristo e de cristãos genuínos.

Nesse período os que nunca escutaram o evangelho com clareza (e assim não puderam contestar ou rejeitar) terão chance de crer no evangelho do Reino que judeus que se converterão ao Messias irão pregar. Aí a mensagem não será de salvação eterna, mas de que o Reino é chegado (como de fato será estabelecido na terra, não no céu, no fim dos sete anos após o arrebatamento da igreja). Os que se converterem nesse períodos entrarão no reino, dentre eles muitos que morrerão antes pelo martírio e irão para o céu constituindo outra classe.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana