As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Esse pregador nao tem consciencia?



https://youtu.be/KpYYZjZ8bt4

Você pergunta se um pregador que explora o povo extorquindo seu dinheiro não teria consciência do mal que está fazendo. Ele já teve um dia, mas a cauterizou. Quando você cauteriza a pele com um ferro quente ela perde a sensibilidade naquela área pois os terminais nervosos que levam a sensação ao cérebro são destruídos. Assim é possível também cauterizar a consciência para não sentir mais nada, e isso é feito insistindo em fazer algo errado, mas sempre procurando uma justificativa para isso.

Por exemplo, da primeira vez que você estaciona em vaga reservada a deficientes você diz para si mesmo que é só um minuto. Na segunda vez se justifica para si que todo mundo faz isso (obviamente porque viu você mesmo fazendo da outra vez). Na terceira vez já nem se dá ao trabalho de explicar para sua consciência a razão de agir assim porque ela já foi cauterizada.

A consciência é um dispositivo que Deus colocou em todo ser humano como um sistema de alarme. Se desligar esse alarme você ficará "livre" para agir como quiser. Conheci alguém que levava no carro uma fivela de cinto de segurança para desligar o alarme e fazer o assento pensar que ele estava com cinto. É o mesmo efeito que tem qualquer engano aplicado a si mesmo.

Na Bíblia a lepra era figura do pecado, pois ela igualmente faz a pessoa perder a sensibilidade. Um pecado repetido muitas vezes não é mais percebido, assim como uma mentira contada muitas vezes parece verdade até para quem a conta. É o que aconteceu com esses pregadores, que agora não têm mais escrúpulos de contar sempre a mesma mentira, pois como se costuma dizer, "a prática leva à perfeição". Ele passou a ser um perfeito mentiroso.

Repare que quando Paulo fala dos apóstatas ele não diz que sejam pessoas que tiveram a consciência cauterizada por terceiros. É ela própria que cauteriza "sua própria consciência" com suas mentiras. "Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência." (1 Tm 4:1-2).

Repare na ordem dos eventos: A pessoa apostata da fé, isso é, abandona o que recebeu apenas intelectualmente por ter professado crer, mas sem nunca ter crido. Esse abandono do que conheceu acerca de Cristo é causado por ter dado ouvidos "a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios", e isso chega por meio de homens hipócritas, isto é, fingidos, "que valam mentiras". Esses já cauterizaram sua consciência e agora levam outros a fazer o mesmo.

Era o caso de Simão, o mago, que em Atos 17, que creu na pregação de Filipe sem contudo crer no Cristo que Filipe pregava. Seu interesse estava apenas na prosperidade que ele achou que teria se tivesse o mesmo poder que os apóstolos pareciam ter, de conceder o Espírito Santo às pessoas. Simão deve ter feito os cálculos de quanto dinheiro ele poderia ganhar com um poder assim. Se ligar a TV ou o rádio encontrará os descendentes de Simão oferecendo poder que dizem ser do Espírito Santo em troca de ofertas.

"E estava ali um certo homem, chamado Simão, que anteriormente exercera naquela cidade a arte mágica, e tinha iludido o povo de Samaria, dizendo que era uma grande personagem; ao qual todos atendiam, desde o menor até ao maior, dizendo: Este é a grande virtude de Deus. E atendiam-no, porque já desde muito tempo os havia iludido com artes mágicas. Mas, como cressem em Filipe, que lhes pregava acerca do reino de Deus, e do nome de Jesus Cristo, se batizavam, tanto homens como mulheres. E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou de contínuo com Filipe; e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito. Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João. Os quais, tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo (Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido; mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus). Então lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo."  (At 8:9-17)

Cabe lembrar que estamos lendo o livro de Atos, que é um período de transição quando a Igreja estava começando. Algum tempo antes Deus tinha dado a Pedro as chaves do reino dos céus, quando disse: "Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; e eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus." (Mt 16:18).

Pedro usou essas chaves para introduzir no reino primeiro os judeus (Atos 2:38), depois os samaritanos, que eram gentios convertidos ao judaísmo e agora haviam aceitado o evangelho (At 8:14-17), depois os gentios (At 10:44-48). Mais tarde seria a vez de Paulo fazer isso introduzindo os discípulos de João Batista que creram em Cristo mas nunca tinham sido batizados a Jesus, mas apenas no batismo de João, que era um batismo judaico. Hoje não temos mais apóstolos com esse mesmo poder e atribuição, e todo aquele que crê em Cristo e é selado com o Espírito Santo é acrescentado pelo Senhor ao seu corpo que é a Igreja..

Entenda que "reino dos céus" não é o céu, mas a esfera na terra da profissão de sujeição a um reino que tem sua origem nos céus. Na atual dispensação a Igreja é um conjunto que se sobrepõe ao conjunto do reino, portanto os que são batizados passam a fazer parte dessa esfera que reconhece que há "um só Senhor, uma só fé, um só batismo" (Ef 4:5), mesmo que não tenham realmente se convertido, já que é pelo batismo que se entra nessa esfera. Porém para ser feito membro do corpo de Cristo, que é a Igreja, é preciso que a pessoa tenha verdadeiramente crido em Jesus e recebido o selo do Espírito Santo.

Simão tinha sido introduzido na esfera da profissão cristã por meio do batismo, mas não era um verdadeiro convertido. Se ele for o primeiro dessa classe de meros professos, naquele dia em que foi batizado o Reino dos Céus ficou maior que a Igreja, o corpo de Cristo.

"E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro, dizendo: Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu puser as mãos receba o Espírito Santo.  Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro. Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus. Arrepende-te, pois, dessa tua iniquidade, e ora a Deus, para que porventura te seja perdoado o pensamento do teu coração; pois vejo que estás em fel de amargura, e em laço de iniquidade. Respondendo, porém, Simão, disse: Orai vós por mim ao Senhor, para que nada do que dissestes venha sobre mim." (At 8:18-24).

Simão foi até batizado, mas estava de olho no dinheiro que o poder que viu nos apóstolos poderia lhe proporcionar. Uma pessoa assim fica vulnerável aos demônios, os "espíritos enganadores", e acaba acreditando em suas doutrinas, entrando para o time dos hipócritas que fingem ser e fazer algo e falam mentiras. Tudo porque tiveram cauterizadas suas consciências.

Basta ligar o rádio ou a TV para encontrar muitos assim, oferecendo poder em troca de dinheiro. São pessoas às quais Pedro poderia dizer "Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus". Ainda que Pedro insistisse com ele para que se arrependesse e orasse a Deus, Simão deixa claro não ter qualquer relacionamento pessoal com Deus, pois se recusa a fazer isso, pedindo que Pedro interceda por ele. Simão reconhecia não ter o acesso a Deus que tem todo verdadeiro crente em Jesus, que pode ter a intrepidez de se achegar ao trono da graça.

"Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão. Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno... Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa, retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu." (Hb 4:14-16; 10:19-23).

http://grandealegria.blogspot.com.br/2016/07/mentira-desonestidade-e-corrupcao-mario.html

por Mario Persona


Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana