As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Como confiar num livro que contém erros grosseiros?



https://youtu.be/tB6KE5dgpSs

Primeiro porque geralmente quem critica a Bíblia não conhece seu Autor. Segundo, porque não se pode querer analisar a Bíblia do ponto de vista científico, pois ela nunca foi escrita para ser um compêndio científico. Ela foi escrita para mostrar aos homens o caminho da salvação eterna. Deus quis falar aos homens de coisas mais importantes do que as visíveis, palpáveis e experimentáveis. (2CO 4:18) "Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas."

Você afirma que não podemos acreditar em um livro que se originou de manuscritos antigos e que, ao longo do tempo, teve cortes e acréscimos em seu texto original. Eu pergunto: se você tivesse acesso ao original será que iria considerá-lo confiável em suas afirmações? Bem, infelizmente isso não é possível pois hoje não existe um manuscrito original e acredito que Deus tenha permitido isso para que os manuscritos não se transformassem em objetos de culto, como fazem com o pseudo-sudário. Temos hoje apenas cópias segundas, terceiras, décimas, etc. Quanto mais longe a cópia estiver do original, mais sujeita a erros. Pelo menos é assim que deveria acontecer com um texto qualquer. Será que ocorreu o mesmo com os textos bíblicos?

Bem, o livro de Isaías que temos hoje vem de um manuscrito bem posterior a Isaías, e até a Cristo (Isaías viveu 700 anos antes de Cristo). Entre os manuscritos descobertos em uma caverna em Quam Ram (acho que escreve assim), havia um de Isaías, muitíssimo mais antigo que o usado hoje para compor nossas Bíblias. Adivinha? Sim, é idêntico. O cuidado na cópia era tanto, que hoje há manuscritos que trazem uma mancha de tinta na margem, que é repetida nas cópias seguintes.

Geralmente quem diz que a Bíblia que temos hoje foi alterada, não é capaz de mostrar a anterior, a original. Sim, porque para você dizer que algo foi adulterado é preciso ter o original, ou uma cópia anterior. Já viu alguém mostrar isso? Esses defensores da originalidade, que supostamente descobriram tantas alterações, deveriam trazer a público a cópia mais fiel que certamente possuem, para benefício de todos, não?

Quanto aos apócrifos, que você mencionou, e a razão de não fazerem parte do cânon, o critério é simples. Incoerência com o volume todo dos livros mais conhecidos e com maiores provas de originalidade. Já leu algum apócrifo? Experimente. Li um evangelho apócrifo que ensinava a fazer lavagem intestinal.

Você pergunta como é possível crer que um livro foi inspirado por Deus quando há tantas interpretações para ele. Você sabe quantas listas de discussão há na Internet? Milhares. E não apenas sobre a Bíblia. Sobre tudo. História, Ciência, Astronomia, Geologia, Educação, etc. Porque o homem é um interpretador nato. Porque opiniões existem às pencas. Porque cada um quer colocar sua colher no mingau. Isso prova que a História está errada, que a Ciência está errada, que a Geologia está errada, que não devemos mais acreditar na Educação ou qualquer outra coisa? O fato de um grupo de cegos não chegar a um acordo sobre a existência da luz não faz dela menos real.

Você tem razão quando diz que a Bíblia parece ter sido escrita em código para que apenas alguns inspirados possam entendê-la. Só há um meio de se entender a Bíblia, e não é com a mente natural do homem. É preciso dar download em um "plugin" divino, senão não vai funcionar. (1CO 2:14) "Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente."

Você não concorda que os cristãos afirmem que a Bíblia é a Palavra de Deus, mas não são os cristãos que fazem tal afirmação. É a própria Bíblia. Ou é, ou não é. Se não for, deve ser rejeitada completamente, pois não existe um livro mais pernicioso do que aquele que afirme ser a Palavra de Deus e não é. Tem uma Bíblia em sua casa? Se ela não é a Palavra de Deus, tire-a agora mesmo de perto de sua família. É perniciosa. É mentirosa. É vil. Pior que qualquer outra invenção humana, pois está enganando as pessoas. Mas se ela for a Palavra de Deus, renda-se a ela.

Mais acessadas da semana