As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

O cristão deve orar na direção de Jerusalém?



https://youtu.be/Wlf1Ln6io7A

Não, esse era um costume que os judeus adotaram com base no que Deus disse em relação ao Templo em Jesuralém: "E na terra, para onde forem levados em cativeiro... a ti suplicarem... e orarem para o lado da sua terra, que deste a seus pais, e para esta cidade que escolheste, e para esta casa que edifiquei ao teu nome..." 2 Crônicas 6:37,38

O profeta Daniel tinha esse costume, já que também costumava orar voltado para Jerusalém:

"Quando Daniel soube que o edital estava assinado, entrou em sua casa, no seu quarto em cima, onde estavam abertas as janelas que davam para o lado de Jerusalém; e três vezes no dia se punha de joelhos e orava, e dava graças diante do seu Deus, como também antes costumava fazer". Daniel 6:10

O que Daniel fazia estava bem de acordo com a vontade de Deus, pois era em Jerusalém que estava o Templo, era lá o lugar que Deus havia escolhido para serem dirigidas todas as orações e levados todos os sacrifícios de Seu povo.

Não sei se os judeus fundamentalistas ainda seguem essa prática, mas sei que os muçulmanos fazem isso. Daí a dificuldade do primeiro astronauta muçulmano a viajar para o espaço durante o Ramadã. Por ser religioso, o malasiano Muszaphar Shukor enfrentou alguma dificuldade para adaptar sua fé ao espaço.

Uma delas foi a obrigação de orar cinco vezes por dia voltado para Meca. Mas, afinal, onde está Meca quando você está no espaço olhando para uma Terra em torno da qual a estação espacial gira 16 vezes por dia? Daniel teria tido o mesmo problema se fosse astronauta além da dificuldade de definir como guardar o sábado que começa no por-do-sol da sexta-feira em um lugar onde o sol se põe 16 vezes por dia.

A questão é que tanto judeus como muçulmanos (sem falar em muitos outros povos) têm sua esperança em lugares terrenos, um erro que muitos cristãos também cometem. Existe uma corrente no cristianismo, compartilhada por muitos líderes norte-americanos (talvez até mesmo pelo presidente Bush) que considera obrigação do cristão implantar o Reino de Deus neste mundo. No caso particular dos Estados Unidos, existe até a crença no Destino Manifesto, segundo a qual o povo norte-americano foi escolhido por Deus para dominar o mundo. Sabendo disso fica fácil entender o ímpeto expansionista daquele país.

Não é muito diferente do que pensavam os católicos da idade média ou dos cruzados em seu afã de libertar Jerusalém. A idéia, às vezes chamada de Teologia do Domínio, é que quando o evangelho for pregado em todo o mundo e os cristãos dominarem o mundo, então o Rei voltará para reinar. Os cristão seriam assim como cruzados enviados, não a Jerusalém, mas ao mundo inteiro para literalmente conquistar o mundo e obter o domínio secular das nações para que o Rei possa reinar.

Essa idéia é um absurdo e basta estudar história (ou ler os jornais de hoje) para perceber quantas barbaridades são cometidas por cristãos, judeus e muçulmanos em seu afã de conquistar um pedaço de terra que, de importância de longo prazo, só irá servir de sepultura.

Para o cristão não existe um lugar na Terra para onde deva se dirigir em oração, "porque não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a futura". (Hebreus 13:14) O Senhor Jesus orava "levantando seus olhos ao céu" (João 17:1) e é para lá que o cristão também dirige suas orações, hoje contando com um Advogado diante de Deus, Jesus.

Ao contrário de qualquer um que dirija suas orações voltado para uma cidade deste mundo, o cristão tem o privilégio de poder orar de costas para o mundo e de frente para o céu, onde Cristo está. Orar para alguma cidade neste mundo, considerar qualquer lugar aqui santificado ou tentar conquistar um pedaço de terra com o argumento de estar empenhado numa missão divina é não entender o caráter celestial das promessas feitas ao cristão.

Você irá ler por aí coisas do tipo "O Brasil é de Jesus", "Marcha para Jesus", "Bancada Evangélica no Congresso" e até frases como "Deus é fiel" ou "In God we trust" impressas no dinheiro por pressão de cristãos. Isso nada mais é do que tentar fincar uma bandeira em um mundo que está reservado para o fogo; nada mais é do que negar o caráter de estrangeiro e peregrino do cristão e tentar, de alguma forma, alegar que tem direito a um pedacinho de um mundo cujo príncipe hoje é o diabo.

"Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo". Filipenses 3:20

Mais acessadas da semana