As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

A doutrina espírita é baseada na Bíblia?



https://youtu.be/-Nq1uAdWkZs

Quando você diz que a doutrina espírita não é baseada na Bíblia, estamos de acordo, pois você não crê na Bíblia como a Palavra de Deus e apenas selecionará as passagens que forem convenientes, deixando de crer no todo. Mas se assim é, o espiritismo não poderia nem mesmo querer utilizar outras passagens da Bíblia para comprovar suas teorias, porque não estaria diante de um livro confiável.

O uso dos Evangelhos por Allan Kardec teve o mesmo objetivo do uso das datas e deuses pagãos pelo catolicismo e do uso dos santos católicos pelo candomblé: criar um sincretismo, um referencial (que não existia) para o espiritismo pagão ser aceito pela sociedade ocidental cristianizada. Ao apelar para os Evangelhos Kardec tornou o espiritismo familiar e palatável.

Evidentemente ele usou os Evangelhos, que significam "Boas Novas", de modo perverso. Os evangelhos anunciam que Deus enviou um Salvador, que morreu por nós e que somos salvos se crermos nele. O "Evangelho Segundo o Espíritismo" não tem "Boas Novas" para anunciar. E como teria, se não dá uma saída para o pecador? "Ah, você é pecador? Então vai precisar reencarnar trocentas vezes, sem jamais ter certeza de que está na primeira ou na última fase do jogo!"

E quando digo que Allan Kardec se valeu dos Evangelhos apenas como forma de sincretismo para introduzir sua doutrina em um ocidente cristianizado, aqui vai para provar que ele próprio afirmou isso:

"...no Evangelho Segundo o Espiritismo (...), como nós nos limitamos às máximas morais que, com raras exceções, são geralmente claras, e não podem ser interpretadas de maneira diversa; e também não foram jamais sujeito de controvérsias religiosas. É por esta razão que nós começamos por aí, a fim de sermos aceitados sem contestação, aguardando de resto que a opinião geral se encontre mais familiarizada com a idéia espírita." (Allan Kardec, "Notices bibliographiques - LES ÉVANGILES EXPLIQUÉS" apud: Revue Spirite, Junho de 1866)

Espertinho, hein? Numa outra historinha o Lobo Mau vestiu-se de vovozinha para "ser aceito sem contestação" pela Chapeuzinho Vermelho.

Se alguém quiser fundar uma religião, aqui vai mais uma técnica do Allan:

"Se alguém tem uma convicção bem firmada sobre uma doutrina, ainda que falsa, necessário é lhe tiremos essa convicção, mas pouco a pouco. Por isso é que muitas vezes nos servimos de seus termos e aparentamos abundar nas suas idéias: é para que não fique de súbito ofuscado e não deixe de se instruir conosco. Aliás, não é de bom aviso atacar bruscamente os preconceitos. Esse o melhor meio de não se ser ouvido." (Allan Kardec, Livro dos Médiuns, FEB, 62a. edição, 2a. parte, Cap. XXVII no.301 pp.399-400.)

Isso aí tá parecendo aquele bispo no vídeo que passou na TV e está no Youtube ensinando seus lobinhos a tirarem dinheiro dos fiéis. Tudo é técnica, né? Ô cara, isso não lhe incomoda? Seria mais nobre admitir que Allan Kardek errou. Ele é só um homem falho como nós. Ou não é?

E o apóstolo Paulo, que "técnica" usava para pregar o Evangelho?

"E EU, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado. E eu estive convosco em fraqueza, e em temor, e em grande tremor. A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus." 1 Co 2

Ah, mas esse era o Super-Paulo! Era nada. Era um homem cheio de falhas que erra várias vezes em Atos. Pedro também, antes da cruz e depois, quando Paulo precisou repreendê-lo cara a cara porque estava segregando pessoas. Esta é uma das grandes evidências da Palavra de Deus. Ela não coloca homens no pedestal, não dá colher de chá. Errou está lá escrito. Se fosse um livro dos judeus, eles teriam tirado todas aquelas passagens vergonhosas de seus ancestrais e até de seus reis, como Davi e Salomão.

É isso que estou tentando dizer aqui, que o cristianismo coloca o homem no seu devido lugar e Deus acima de tudo. Se você é salvo pelas suas reencarnações, palmas para você. Se você é salvo pelas suas obras e pela sua igreja, palmas para os dois. Mas se você é salvo por Jesus, palmas SÓ PARA ELE! Qualquer religião, doutrina ou filosofia que exalte o homem, tô fora.

Mais acessadas da semana