As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

É pecado considerar-se salvo?



https://youtu.be/xV33p1SYD4o

Você disse que eu afirmar que estou salvo é "um erro gravíssimo; um pecado mortal" e que "ninguém pode afirmar a certeza de sua salvação" pois "a Ele cabe o julgamento de acordo com Seu perfeito discernimento".

Bem, se a justificação fosse por obras, aí sim seria um erro. Como não é, Deus quer que o cristão tenha a certeza. "...para que saibais que tendes a vida eterna". 1 João 5:13 A salvação cristã não é por mérito, como no islamismo, mas um resultado da obra de Cristo, do "sangue de Jesus Cristo, seu Filho, (que) nos purifica de todo o pecado" 1 Jo 1:7, portanto uma vez consumada a obra de redenção, essa salvação está disponível ao que crê. Talvez você deva ler o que respondi a um muçulmano.

Talvez o equívoco esteja em pensar que no juízo final Deus decidirá, mas o problema é que não há salvação no juízo final. É um juízo para distribuição de penas, pois é um julgamento baseado nas obras. E se Deus se basear em nossas obras, quem se salvará? "O mar entregou os mortos que nele havia; e a morte e o hades entregaram os mortos que neles havia; e foram julgados, cada um segundo as suas obras." Ap 20

Um cristão que não tem certeza de sua salvação, ou leva uma vida miserável, por perceber o quanto é falho, ou leva uma vida soberba, por achar que existe em si algo de bom que possa fazer para ser salvo. Caim ofereceu a Deus o fruto do seu trabalho, mas Abel ofereceu a Deus um cordeiro sacrificado. É do segundo que Deus se agradou. O cristão sabe que sua salvação depende do Cordeiro sacrificado, não das obras que são fruto de seu trabalho e de uma terra amaldiçoada por Deus.

>> Você escreveu: S. Tiago (2, 14 - 26): “... Vedes, pois, que o homem é justificado pelas obras; e não pela fé somente. Porque, assim como seu o espírito o corpo está morto, morta é a fé sem as obras".

Sim, o versículo que citou está correto. E tem mais: "Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque?"

Só que se formos a Romanos 4 vamos encontrar o contrário:

"Porque, se Abraão foi justificado pelas obras, tem de que se gloriar, mas não diante de Deus. Pois, que diz a Escritura? Creu Abraão em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça. Ora, àquele que faz qualquer obra não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida. Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça".

Será que existe uma contradição na Bíblia? Eu sei que, segundo a doutrina católica, se existir qualquer contradição entre a Bíblia e a Doutrina da Igreja, fica valendo a última (ou seja, a doutrina se sobrepõe em autoridade à própria Palavra de Deus). Mas quando encontramos uma contradição dentro da própria Bíblia, será que não está querendo dizer em Romanos que o assunto é a justificação diante de Deus e não diante dos homens? "Porque se Abraão foi justificado pelas obras, tem de que se gloriar, mas não diante de Deus". Hmmm... parece que sim. E Tiago, o que diz?

"Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras." Tg 2 Será que aqui não está falando do fruto visível da fé, que é a justificação perante homens (tu tens, eu tenho...)? Porque evidentemente Deus julga os corações e os homens julgam segundo podem ver. "mostra-me a tua fé... e eu te mostrarei...".

Mais acessadas da semana