As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Como as pessoas podiam viver centenas de anos no principio?



https://youtu.be/juY0lEWDqyo

Se ler o Antigo Testamento vai descobrir que essa longevidade desaparece após o dilúvio. Por que será? Provavelmente porque nunca tinha chovido antes do dilúvio, mas "um vapor, porém, subia da terra, e regava toda a face da terra". (Gn 2). A primeira chuva foi o dilúvio (começou pra valer, não é mesmo?)

Como seria a vida humana em um mundo com menor incidência de raios ultra-violeta, uma atmosfera menos sujeita a variações bruscas, um ar com uma composição diferente da atual? Sabemos que o sol envelhece as células, o oxigênio envelhece as células (é um oxidante que detona o corpo se inalado puro por muito tempo). Como seria um mundo com uma atmosfera diferente?

É difícil saber, porque seria preciso recriar essa atmosfera (mas como saber como?) em laboratório e colocar alguém para viver lá dentro. Portanto estamos falando de pessoas com uma constituição física diferente vivendo em um planeta diferente do nosso. Qualquer filminho do Discovery Channel diz que se encontrassem seres vivos em outros planetas eles seriam diferentes. Pense na Terra de então como um outro planeta.

Agora vamos à questão da antiguidade das coisas (vc falou de Adão e dos fósseis com milhões de anos). Não é possível datar pedras pelo método do Carbono 14, apenas substâncias orgânicas ou materiais contendo carbono 14 (diamante por ex.). O método mede a perda do C14 depois que o ser vivo pára de obtê-lo da atmosfera (ou algo assim). Ou seja, ele mede a deterioração de algo em termos de perda da radiação do C14. Como é empírico, ele leva em conta os volumes de C14 que um ser vivo obteria e perderia nas atuais condições de temperatura e pressão, mas isso seria diferente em outro planeta.

Portanto, considere o mundo antediluviano como outro planeta e muita coisa vai fazer sentido para você. Uma informação sobre a datação usando Carbono 14 com fundamentos mais científicos você encontra em inglês clicando aqui.

Mais acessadas da semana