As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

O cristão deve ser vegetariano?



https://youtu.be/7vcc8gTtH9Y

Essa dúvida costuma surgir naqueles que entram em contato com religiões como o Adventismo do Sétimo Dia, cuja profetisa-mór disse ter recebido uma revelação nesse sentido. Mas não existe base bíblica para isso. Pelo contrário, quando o Senhor apareceu a Abrão, foi recebido com um churrasco, que foi apreciado pelo Senhor e pelos anjos:

Gen 18:7-8: "Depois correu ao rebanho e escolheu o melhor novilho, e o deu a um servo, que se apressou em prepará-lo. Trouxe então coalhada, leite e o novilho que havia sido preparado, e os serviu. Enquanto comiam, ele ficou perto deles em pé, debaixo da árvore".

Algumas correntes do cristianismo tentam usar a Bíblia para endossar a alimentação vegetariana, mas isso cai por terra quando examinamos o texto. Um dos argumentos é que no princípio Deus deu as plantas e as sementes como alimento para Adão e Eva, mas basta virar algumas páginas da Bíblia para descobrir que, após o dilúvio, Deus deu também os animais como alimento. O texto diz também que Deus colocou medo nos animais para fugirem do homem.

"E abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra. E o temor de vós e o pavor de vós virão sobre todo o animal da terra, e sobre toda a ave dos céus; tudo o que se move sobre a terra, e todos os peixes do mar, nas vossas mãos são entregues. Tudo quanto se move, que é vivente, será para vosso mantimento; tudo vos tenho dado como a erva verde. A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis." Gênesis 9

Embora existissem restrições para determinados tipos de animais na lei dada através de Moisés, hoje entendemos que eram restrições cerimoniais e também figuras das coisas que seiam reveladas. No início da Igreja os apóstolos concluíram, em Atos 15:20, que os que se convertiam deviam se abster de comer carne de animais sufocados (que não foram sangrados) e sangue.

Quanto à dúvida de se comer algum animal que pudesse ter sido oferecido a algum ídolo, Paulo responde em 1 Coríntios 10:27  e também no capítulo 8 que deviam comer de tudo o que fosse servido quando visitassem a casa de algum incrédulo, porém se fossem informados de que se tratava de sacrifício a algum ídolo, então deviam evitar, não por causa de si mesmo, do que estariam comendo, mas por causa de outros que os vissem fazer aquilo e pudessem ser confundidos. As epístolas dos apóstolos trazem várias passagens que tratam de alimentos e, exceto no caso da glutonaria e embriagues, Deus não colocou restrições aos cristãos.

Outro argumento para se evitar carne é relacionado à saúde, e quanto a isso não há muito o que discutir. Ao adotar uma dieta vegetariana, a pessoa acostumada a uma dieta rica em carne e gordura animal percebe uma sensível melhora em sua saúde. Isso porque não somos totalmente carnívoros como o leão e o crocodilo, mas onívoros por natureza, como o porco e o urso, que comem de tudo.

Nossa arcada dentária possui dentes caninos, que não são tão desenvolvidos quanto os dos animais exclusivamente carnívoros, e incisivos e molares que também são menos complexos do os dos animais exclusivamente herbívoros. Os dentes já nos dão uma pista do tipo de alimentação que é adequada aos seres humanos, e em que porcentagem. É mais ou menos como a sabedoria de meu tio, que dizia que se Deus quisesse que o homem fumasse teria feito suas narinas viradas para cima, como chaminé.

Mais acessadas da semana