As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Devo me preocupar com os documentários sobre o fim do mundo?



https://youtu.be/K17LxBr1Q0c

A profecia bíblica está relacionada a Israel, e foi dada por Deus através dos autores inspirados. Qualquer coisa que não venha dessa fonte é duvidável. O estudo da profecia pode ser confundido com o estudo da curiosidade humana. Volta e meia o Discovery Channel, History Channel e outros Chanels apresentam algum documentário interessantíssimo sobre profecias, na Bíblia e fora dela. Onde está o problema? São dirigidos à carne e ao intelecto por não apresentarem Cristo como o alvo do documentário. Lembre-se sempre deste versículo:

Rev 19:10 "E eu lancei-me a seus pés para o adorar, mas ele disse-me: Olha, não faças tal; sou teu conservo e de teus irmãos que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; porque o testemunho de Jesus é o espírito de profecia".

Isso é dito quando João estava prestes a se ocupar com outro que não era Cristo, a saber, com o anjo que lhe trazia uma revelação. O objetivo da profecia é a ocupação com Cristo e qualquer coisa que nos distraia ou leve para longe dele deve ser vista com desconfiança. Teorias conspiratórias ou profecias escavadas de pirâmides por algum Indiana Jones são coisas extremamente cativantes e não demora para estarmos mais ocupados com a contemplação de eventos, pessoas ou fatos apresentados por essas fontes, do que com Aquele que deve estar no centro de nossas atenções.

O tema "fim do mundo" sempre atraiu as massas, porque causa comoção. O curioso é que o evangelho não exerce a mesma atração, talvez por revelar que somos pecadores necessitados de um Salvador. De nada adianta alguém se preocupar com o fim do mundo se ainda não resolveu a questão de seu destino eterno, pois o mundo, num certo sentido, pode acabar para qualquer um de nós no segundo se nosso coração parar de bater. Aí será o fim do mundo para mim, pois não estarei mais nele.

Mais acessadas da semana