As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Que diferenca existe entre a minha igreja e a sua?



https://youtu.be/RYknG27IohQ

Estamos falando de coisas completamente diferentes. Quando eu penso em palavras como "igreja" ou "assembléia", estou pensando no único significado que encontramos na Bíblia para estas palavras. As palavras perdem o significado com o passar do tempo, e não foi diferente com a palavra "igreja".

Veja, por exemplo, a palavra inglesa "gentleman", que hoje é sinônimo de gentil, cavalheiro, educado, honrado, fino, sofisticado etc. Mas na sua origem, "gentleman" era o senhor feudal, aquele dono de uma gleba de terra que tinha poder de vida e morte sobre os seus súditos. Não raro o gentleman exigia que toda virgem que se casasse em seu feudo desse a ele a honra da primeira noite, ao invés do marido. O "gentleman" original nada tinha de gentil.

Hoje a palavra "igreja" tem vários significados que seriam incompreensíveis para um cristão que vivesse no primeiro século. Por exemplo, o apóstolo Pedro jamais entenderia se você apontasse para um edifício de pedras ou tijolos e dissesse a ele que aquilo era uma igreja. Seria tão absurdo quanto você apontar hoje para um estádio vazio e dizer que aquilo é um time de futebol.

A palavra "igreja" que se originou do grego "eclésia" tinha simplesmente o significado de um ajuntamento de pessoas. A tradução mais próxima em nossa língua seria "assembléia", que nos lembra imedidatamente de uma reunião de pessoas. Algumas vezes mesma palavra grega "eclésia = assembléia" é usada indistintamente no Novo Testamento para indicar um ajuntamento ou reunião de pessoas.

Por exemplo, Atos 19:32 no original seria assim: "Uns, pois, clamavam de uma maneira, outros de outra, porque a assembléia (igreja) era confusa; e os mais deles não sabiam por que causa se tinham ajuntado". Veja que aí está usando "eclésia", que em outras passagens é traduzida como "igreja", para uma reunião de incrédulos. O mesmo acontece nos versículos 39 e 41.

Portanto, a menos que queira falar das coisas do mundo e inventadas pelos homens, as quais são estranhas ao que encontramos na doutrina dos apóstolos, esqueça interpretar a palavra "igreja" como um edifício, denominação, religião, organização, partido etc. Nada disso tem o significado bíblico.

Quando se referem aos que tinham sido salvos por Cristo, os apóstolos falam sempre "eclesia" (ou "igreja" ou "assembléia") no sentido do corpo de Cristo, NUNCA no sentido denominacional ou de um edifício. Neste sentido só existe uma igreja no Novo Testamento, e ela é o Corpo de Cristo, da qual fazem parte TODOS os salvos.

Talvez aqui você me pergunte como encontramos então sete igrejas em Apocalipse, ou igrejas como de Corinto, Éfeso, Roma etc. Simples. É sempre a mesma e única igreja que está em diferentes localidades. As cartas são endereçadas, por exemplo, "à igreja que está em Éfeso", "à igreja que está em Corinto" etc. Nunca são diferentes organizações com diferentes nomes.

Pense no exército brasileiro. Só existe um, mas mesmo assim ele está em diversas cidades brasileiras. Quando alguém se alista no exército brasileiro, ele passa a fazer parte do mesmo exército que está em todos os lugares, e não de diferentes exércitos. Se alguém tentar criar seu próprio exército será preso, pois é ilegal. Se alguém se alistar a um exército e depois descobrir que aquele não é a representação local de TODO o exército brasileiro, mas um "exército alternativo", deve sair correndo dali. Aquilo não tem reconhecimento oficial.

Então quando falo "assembléia de Deus", "assembléia dos santos", assembléia dos irmãos" etc., estou falando da assembléia, igreja ou reunião de TODOS os salvos por Deus, "A universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus" . Heb 12:23, nunca de uma denominação ou organização religiosa com um rol de membros aqui na terra.

Quando você diz que "a assembléia de Deus cometeu um erro no começo de sua história, que foi o de não patentear o nome da igreja", isso é um abusurdo dos absurdos se comparado ao que encontramos na doutrina dos apóstolos.

Acaso essa "assembléia de Deus" que você diz que devia patentear o nome é composta por TODOS os salvos por Cristo? Se não for, ela não é a igreja que encontramos no Novo Testamento, mas apenas uma agremiação criada por homens que, além de se arvorar como sendo a "assembléia de Deus", é excludente. Acaso quem não pertence ao seu rol de membros não faz parte da  "universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus"?

Aparentemente você entendeu mal o que eu escrevi por pensar que, quando falei de "assembléia dos irmãos", estava me referindo a mais uma denominação ou "igreja" no sentido jurídico da palavra. Eu estava dizendo apenas que na reunião dos irmãos com os quais me congrego cantamos tal e tal hino. Isto de modo algum se configura em uma denominação, mesmo porque nas assembléias dos irmãos que se congregam na Índia eles cantam outros hinos e, no entanto, estamos em perfeita comunhão.

Para tentar mostrar que tudo não passa da mesma coisa, você fez uma lista de similaridades:

- vocês fizeram uma seleção de hinos para louvar e adorar nas reuniões, a minha igreja também fez (Harpa Cristã)
- voces se reúnem para a ceia do Senhor, a minha igreja também se reúne.
- voces se reunem para a oração, a minha igreja também (é conhecido como circulo de oração)
- vocês se reúnem para o ministério da palavra, a minha igreja também.

Sabe onde está o X da questão? Na expressão "a minha igreja". Não existe tal coisa na Bíblia. Só existe "a igreja de Deus, que ele resgatou com o seu próprio sangue" Atos 20:28 Nem eu, nem você, temos uma igreja. Eu sei que parece difícil entender o que estou dizendo, mas procure pensar como um cristão do primeiro século que de repente viesse parar no século 21.

Assim que chegasse em nossa época você ficaria confuso. Veria tantas diferentes "igrejas", cada uma com um nome diferente e cada uma dizendo-se a certa, que não saberia o que fazer. Como você aprendeu que a única igreja que conhece é aquela que abrange TODOS os salvos, não poderia se congregar em nenhuma dessas porque elas se denominam "a igreja".

Quando você foi salvo lá no primeiro século, você imediatamente foi feito um membro do corpo de Cristo, da igreja, e não se tornou membro de organização alguma. Foi simples assim. Para quê agora você iria querer se fazer membro de alguma coisa além de já ser membro do corpo de Cristo? Onde se reunir então?

É provável que você acabasse encontrando cristão que pensassem o mesmo que você e que estivessem reunidos fora de toda essa confusão de "igrejas"; pessoas que simplesmente se encontrassem periodicamente para orar, louvar a Deus, adorá-lo, aprender da Sua Palavra e celebrar a ceia do Senhor para recordar Sua morte.

Você e esses cristãos não teriam a pretensão de criar mais uma "igreja", mas iriam querer se reunir simplesmente ao nome do Senhor, e não a uma "marca registrada", como você propôs para o termo "assembléia de Deus", nem ao nome de algum homem usado por Deus, como fizeram os Luteranos, ao nome de alguma doutrina específica, como fizeram os Batistas, ao nome de alguma característica organizacional, como fizeram os Presbiterianos, ao nome de algum país ou povo, como fizeram os da Igreja Anglicana etc.

Vocês nem teriam a petulância de adotar a alcunha "Universal", como se englobassem tudo, ou tampouco se denominariam a si mesmos de "Igreja de Cristo", "Igreja de Jesus", "Igreja de Deus", como se os outros salvos não fossem a igreja, o corpo de Cristo, o conjunto de TODOS os salvos por ele em seu sacrifício na cruz. Vocês entenderiam que tudo isso seria a mesma carnalidade da qual o apóstolo Paulo adverte em 1 Coríntios:

"Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu de Apolo, e eu de Cefas, e eu de Cristo. Está Cristo dividido? foi Paulo crucificado por vós? ou fostes vós batizados em nome de Paulo?... Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; porventura não sois carnais?"

Ao se reunirem em simplicidade, fora de toda essa confusão, vocês se considerariam simplesmente uma reunião (ou assembléia ou igreja) de irmãos reunidos ao nome do Senhor, e não "a igreja". Se vocês estivessem em Limeira (cidade onde moro), não se considerariam "a igreja que está em Limeira", mas apenas uma assembléia ou reunião de irmãos reunidos em Limeira.

Pois entenderiam que a igreja que está em Limeira é formada por todos os salvos que vivem naquela localidade, infelizmente vergonhosamente divididos por diferentes nomes. Vocês entenderiam que se o apóstolo Paulo enviasse hoje uma carta "à igreja que está em Limeira", ele estaria endereçando a TODOS os salvos de Limeira, e não a apenas um grupo de cristãos.

Será que desta vez fui claro? Você não entenderá isto se não passar uma borracha em tudo o que aprendeu sobre igreja dentro do sistema denominacional. Continuaremos falando línguas diferentes se antes não fizer a lição de casa, que é mudar seu "mindset", algo como "programação mental" ou "mentalidade", pois você sempre fala em termos da organização à qual pertence, sem conferir se é isso que a Palavra de Deus ensina.

Mais acessadas da semana