As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Como lidar com contradicoes na Biblia?



https://youtu.be/AiAwRFSi4CU

O caminho mais seguro é sempre partir do princípio de que estamos diante da Palavra de Deus, portanto sem contradições. Quando elas parecem existir devo sempre perguntar se o problema não está na tradução que estou utilizando ou em minha compreensão.

É importante também entender que quando Deus diz alguma coisa em Sua Palavra é o que ele está querendo dizer que importa, não exatamente os detalhes. Por exemplo, Deus não diz que fruta foi aquela que Adão e Eva comeram, mas os homens acabaram inventando que tinha sido uma maçã. Se Deus não disse qual era a fruta é porque isso não tinha importância alguma na mensagem que Ele queria nos passar.

No caso que citou, podemos aplicar outro princípio que é o da complementação. Às vezes uma passagem diz uma coisa e outra parece dizer outra, mas o que ocorre é uma complementação. Lendo as duas passagens (Mt 20:21 e Mc 10:35) podemos deduzir que a pergunta não era só da mãe de Tiago e João, mas dos três. Em Mateus é a mãe quem aparece perguntando e em Marcos são os dois, o que parece indicar que os três fizeram a pergunta, cada um do seu jeito.

Veja que interessantes estas passagens:

Ats 9:3 "E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu".


At 22:6 "Ora, aconteceu que, indo eu já de caminho e chegando perto de Damasco, quase ao meio-dia, de repente me rodeou uma grande luz do céu".


At 26:13 "ao meio-dia, ó rei, vi no caminho uma luz do céu, que excedia o esplendor do sol, cuja claridade me envolveu a mim e aos que iam comigo".

Quando o escritor (Lucas) do livro de Atos relata o encontro de Saulo com o Senhor, ele fala de "um resplendor de luz do céu". Quando Paulo conta a mesma história da primeira vez ele diz "uma grande luz do céu". Na segunda vez, ele diz "uma luz do céu, que excedia o esplendor do sol". A impressão que dá é que a luz vai ficando cada vez mais brilhante à medida que Paulo ganhava uma maior percepção de quem era o Senhor e da importância do que tinha acontecido a ele no caminho para Damasco.

Portanto, ao ler a Bíblia é preciso estar em sujeição ao Espírito Santo de Deus para entender onde está o foco de uma passagem e o que Deus quer nos ensinar por intermédio dela. A Bíblia não pode ser lida como um livro de ciências, pois seu foco não está nas coisas, pessoas e eventos deste mundo, mas em Cristo. Apenas quando as coisas, pessoas e os eventos têm alguma relação com Cristo, diretamente ou em figura, é que elas são trazidas à tona. Aquilo que não tem nada a ver com Cristo ou com a mensagem que Deus quer nos passar a respeito dEle não está nas páginas das Escrituras.

Mais acessadas da semana