As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Deus aboliu a diferenca homem-mulher?



https://youtu.be/LFI4-251llU

Sua dúvida tem a ver com o versículo Gál 3:28 "Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus". Com base nele você rejeita o que Paulo diz a respeito de como as mulheres devem proceder na reunião da igreja descrita em 1 Coríntios 14, alegando que tal passagem teria sido acrescentada depois da morte da Paulo por pessoas machistas.

É importante sempre buscarmos na Bíblia a resposta para nossas questões, e não o contrário. Digo isto porque muitos buscam na Bíblia uma comprovação daquilo que algum arqueólogo ou religioso declarou. Aí o resultado é confusão mesmo. A afirmação (feita no outro email) de que "estudos de especialistas afirmam que os textos negativos à presença das mulheres nos púlpitos foram acrescidos depois da morte de Paulo, alterando o conteúdo da Bíblia" não tem fundamento.

Qualquer afirmação desse tipo deve vir acompanhada do nome dos especialistas, da referência aos estudos e dos fundamentos para tal afirmação. Esse tipo de afirmação é refutada por bons jornalistas para matérias baseadas em fatos, mas é comum ser usada por pessoas que desejam plantar uma idéia sem precisar apresentar as provas. Por isso usam expressões como "sabe-se que...", "estudos comprovaram...", "cientistas afirmam..." etc.

Mas vamos à Palavra de Deus. Toda discussão do tipo "este trecho foi alterado" só teria fundamento se fosse mostrado o trecho original em um manuscrito mais antigo do que o utilizado na confecção do cânon. Há passagens em que isso pode ser visto comparando-se manuscritos, como é o caso de Atos 8:37, que não consta em algumas traduções da Bíblia, ou é colocado entre chaves para indicar que falta em alguns manuscritos.

Você escreveu comparando I Cor 11.2-16 e I Cor 14.34,35: "creio ainda que o segundo versículo não foi escrito por Paulo, pois, não é plausível que o I Cor 11.5, se refira somente a atividades fora da igreja".

Essa é uma suposição sua por ter uma opinião formada (não pela Palavra de Deus, mas pelos ditos "especialistas"). Como já expliquei, as passagens não são conflitantes. 1 Co 11 é a regra. 1 Co 14 é a exceção. Se eu disser a você que nas estradas brasileiras a velocidade máxima é de 120 km por hora você certamente entenderá que estou falando da regra geral, pois na situação particular encontrará placas com diferentes limites de velocidade em diferentes ruas e estradas. Dizer que a passagem de 1 Co 14 é espúria porque em 1 Co 11 diz que a mulher que ora ou profetiza deve cobrir a cabeça é o mesmo que desrespeitar todas as placas de velocidade inferiores a 120 km. Uma coisa é a regra, outra a exceção.

Você escreveu: "não é plausível que o I Cor 11.5, se refira somente a atividades fora da igreja. A menos que o sr. creia que igreja é uma construção de pedra ou tijolos para as reuniões oficiais da cristandade. Como já o ouvi dizer o contrário, creio que o sr. acredite que quando dois ou mais pessoas se reunirem em nome de Jesus, Ele estará no meio dessas pessoas e assim formada esta oficialmente uma Igreja de Cristo. Por tanto a mulher que ora ou profetiza para o número mínimo de 1 pessoa, o faz oficialmente na igreja do Senhor Jesus. E como o sr. mesmo diz, de maneira sábia, não dá para discutir com Jesus não é mesmo?"

Não é assim. O fato de dois ou três cristãos se encontrarem em um vagão do metrô não significa que esteja ocorrendo ali uma "assembléia" ou reunião da Igreja ao nome do Senhor, para o que Jesus prometeu se colocar no meio. A reunião (ou assembléia) de dois ou três é um momento solene com o objetivo de resolver questões referentes à casa de Deus (como é o caso previsto em Mt 18:20) ou de fazer as atividades previstas em Atos 2:42: "E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações."

Em 1 Co 14 temos instruções específicas para a reunião de ministério (doutrina e comunhão dos apóstolos) e em 1 Co 11:20 em diante temos instruções para a reunião da ceia do Senhor. Em 1 Co 5 temos instruções quanto à tomada de decisão referente a conservar a mesa do Senhor livre de contaminação. Você há de concordar que nenhum destes casos poderia acontecer em um vagão do metrô. A passagem que fala da mulher cobrir a cabeça quando ora ou profetiza é no sentido geral do comportamento da mulher cristã, não no particular de uma reunião da assembléia.

Quanto à sua última citação:

Gál 3:26-28 "Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus; porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus".

O contexto (veja os versículos anteriores) nos fala da Lei e de como ela fazia distinção entre pessoas, por exemplo, judeus e gentios. Uma oração comum entre os judeus era mais ou menos assim: "Obrigado, Deus, por eu não ter nascido gentio, escravo ou mulher". Agora o apóstolo explica que, em Cristo, temos todos os mesmos direitos, a mesma posição. Ele está falando da POSIÇÃO em que o crente é visto por Deus, não da CONDIÇÃO em que se encontra. No que diz respeito à CONDIÇÃO do crente ainda neste mundo, Deus a Palavra de Deus dá instruções claras para os diferentes sexos e até mesmo para o comportamento distinto entre senhores e servos, respeitando assim essas diferenças na prática.

Usando seu argumento (de que agora não há mais homem nem mulher, portanto não se aplica a passagem de 1 Co 14 de que a mulher deve ficar calada nas igrejas) alguém poderia afirmar que já não é filho de seus pais naturais, já que aqui diz que ele é filho de Deus. Um judeu convertido a Cristo poderia contestar sua nacionalidade e querer viajar sem passaporte, um empregado (servo) estaria à vontade para desrespeitar seu patrão (senhor) e estaríamos livres para casar com pessoas do mesmo sexo, já que Deus não reconheceria quaisquer diferenças entre homem e mulher. Mas sabemos que não é assim.

Por esta razão 1 Co 11 deixa clara a ordem existente enquanto estamos neste mundo. Há homens e mulheres, e ali diz que as mulheres devem se submeter aos homens cabeça, do mesmo modo como ali também diz que Deus é a cabeça de Cristo, e da mesma forma como há senhores e servos e essa relação não deve ser desprezada. Portanto, o versículo em Gálatas que afirma não existir mais homem nem mulher está falando de nossa posição diante de Deus, do lugar que já temos por direito no céu, onde seremos como os anjos. Mas enquanto estamos na terra (nossa condição), essa distinção é mantida.

Para entender POSIÇÃO X CONDIÇÃO, pense em um rei no exílio. Quando seus súditos vencem o usurpador e recuperam para o rei o seu trono, sua POSIÇÃO já é de rei, mas sua CONDIÇÃO não. Ele precisará voltar ao seu país para começar a reinar.

Mais acessadas da semana