As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Satanas pode ler nossos pensamentos?



https://youtu.be/B-IY4poYpfc

A dúvida de um leitor estava relacionada a um determinado "pastor" que era capaz de fazer revelações incríveis sobre a vida das pessoas, além de fazer previsões de coisas que só aconteciam algum tempo depois.

No entanto, o leitor sabia que a vida do suposto "profeta" estava totalmente contrária à vontade de Deus, por isso queria saber se suas "profecias" e "revelações" tinham origem satânica. Daí sua preocupação se Satanás era capaz de ler pensamentos, pois o tal "profeta" havia revelado coisas da vida e dos pensamentos do leitor que não seria possível outro conhecer.

Satanás não é onisciente, mas ele tem a seu serviço milhares e milhares de anjos que formam uma verdadeira rede de informantes. Por isso, embora não possa estar em todos os lugares ao mesmo tempo, ele pode ter espiões espalhados por aí. Satanás também é especialista em psicologia humana, e qualquer um de nós também seria se tivéssemos a oportunidade de observar os seres humanos durante milhares de anos.

Portanto as "revelações" mencionadas poderiam ser de origem satânica, mas também poderiam ser um exemplo de charlatanismo. Há situações em que pessoas se dizem incorporadas por espíritos de mortos e dão prova disso contando detalhes que apenas o cônjuge ou alguém muito próximo do falecido poderia saber. Antes de acreditar no suposto "médium", a pessoa devia lembrar que demônios são anjos e invisíveis. O "espírito" incorporado no médium pode ser, na realidade, um demônio com informação suficiente sobre alguém que morreu que o torna capaz de se fazer passar pelo falecido.

Mas no caso de meu leitor, creio ser mais um caso de charlatanismo, algo que acontece todos os dias em milhares de púlpitos de igrejas ditas evangélicas em todo o mundo. Um exemplo muito bom de como é possível ter "revelações" acerca de pessoas em um auditório foi a experiência feita na TV pelo Fantástico usando um falso vidente com treinamento em psicologia e leitura fria, além do suporte de especialistas que lhe davam dicas por um fone de ouvido oculto.

A idéia da TV Globo não é nova. Há muitos anos o programa Flávio Cavalcante colocou no palco um ator no papel de um falso curandeiro e plantou entre a audiência falsos cegos, aleijados, mudos etc. Todos foram "curados" durante o programa e o público queria invadir o palco para também receber a cura de suas doenças, tamanha a influência que aquela armação teve na crença das pessoas.

Uma vez peguei um táxi em Fortaleza para me levar ao aeroporto e, quando dei ao motorista um folheto evangelístico, este contou que um dia pegou um passageiro no aeroporto e o levou para o hotel. O passageiro pediu que o motorista fosse pegá-lo no hotel à noite e o taxista voltou lá no horário combinado. O homem saiu do hotel com um par de muletas na mão e entrou no táxi.

Quando chegaram ao endereço que o passageiro deu, o taxista viu que era uma igreja evangélica. Qual não foi sua surpresa quando viu o passageiro, que até ali não demonstrou qualquer dificuldade para caminhar, abrir a porta e sair de muletas, fingindo-se aleijado e arrastando os pés na calçada.

Veja os vídeos da "Operação Bola de Cristal":




Mais acessadas da semana