As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

O que fazer para me congregar ao nome do Senhor?



https://youtu.be/arWNozuMyC4

O primeiro passo é pedir o seu lugar à comunhão à mesa do Senhor numa assembléia mais próxima de onde você vive. Já escrevi alguma coisa sobre a mesa do Senhor e há também links de terceiros que vou colocar no final desta mensagem.

Provavelmente você visitará os irmãos nessa assembléia ou eles visitarão você para conversarem mais e se conhecerem melhor. Não se espante se parecer que existe um zelo excessivo, mas isso não significa que você não seja bem vindo ou amado, mas apenas que no atual estado de ruína e confusão da cristandade é importante que aqueles que são responsáveis por manter a santidade da casa de Deus sejam criteriosos quanto ao recebimento à comunhão.

Cabe à assembléia local receber alguém à mesa do Senhor, e isso é feito com base na análise dessa pessoa para saber se está contaminada moral ou doutrinariamente. Da mesma forma, alguém que já está em comunhão pode ser excluído da comunhão caso caia em pecado ou contaminação (as instruções para isso você encontra em 1 Co 5). Mesmo uma exclusão tem o caráter de disciplina e restauração, não de rejeição ou ódio. Um pai não ama menos um filho de põe de castigo, apesar de deixar de conversar com ele e impor certas restrições quanto ao convívio com os outros membros da família.

Normalmente as denominações enxergam apenas a ceia, não a mesa, e utilizam o batismo como forma de ingresso à comunhão daquela denominação em particular, o que não tem base nas escrituras.

No princípio da igreja a coisa era mais simples, pois não havia heresias ou divisões. Então quando alguém se convertia era logo recebido à comunhão desde que desse provas de estar limpo das práticas que tinha em sua incredulidade (idolatria, por exemplo). Hoje, com a confusão que há na cristandade, é preciso ser mais cauteloso, pois não sabemos quem é a pessoa que está vindo participar da ceia. Há hoje pessoas que se dizem cristãs e negam a divindade de Cristo. Outras afirmam que Jesus poderia ter pecado. Há ainda quem acredite que a salvação seja pelas obras. É preciso ter essas questões claramente resolvidas antes da pessoa estar em comunhão, pois a mesa é o lugar de comunhão e ao comer assim com alguém estou me associando a essa pessoa.

Além desses erros doutrinários, o fato de uma pessoa partir o pão em uma denominação e ao mesmo tempo querer partir o pão com irmãos reunidos ao nome do Senhor cria uma incoerência. Ela não pode, ao mesmo tempo, dar um testemunho prático de que os cristãos fazem parte de um só corpo, enquanto comunga com as idéias e princípios de uma denominação, que divide os crentes por um nome que não é o de Jesus e não é inclusivo o suficiente para ser compartilhado por TODOS os salvos.

Algumas coisas são essenciais que você reconheça, quando falamos do lugar de reunião que Deus institui na Sua Palavra: a base ou fundamento é reconhecer o corpo de Cristo como um só e que todos os salvos são membros desse mesmo corpo, e reconhecer a autoridade do Senhor delegada à assembléia quando esta está reunida ao Seu nome. Outra coisa essencial é o julgamento de pecado (com a autoridade do Senhor conforme vemos em 1 Co 5). Um grupo de cristãos que não reconheça o princípio da unidade do corpo (isto é, que não reconheça TODOS os salvos como membros da única Igreja) e que deixe o pecado passar sem julgamento não pode ter a mesa do Senhor.

Outro ponto importante a ser reconhecido é que não pode existir independência num corpo que é todo interligado. Eu entendo que o recebimento de alguém à mesa do Senhor é feito através da autoridade do Senhor dada à assembléia local. Uma vez tomada uma decisão de receber (ligar) alguém, essa decisão deve ser respeitada por todas as assembléias em comunhão, o mesmo acontecendo com a decisão de "desligar", que é excluir (ou "excomungar" = excluir da comunhão, como se dizia no passado) alguém por algum pecado. Não pode existir independência quando a decisão é tomada com a autoridade do Senhor. Um criminoso em uma cidade é criminoso na outra, segundo a lei de nosso país. Não fica a cargo de cada prefeito em cada cidade decidir.

Assim, uma pessoa recebida à comunhão à mesa do Senhor estará em comunhão à mesa do Senhor onde quer que essa mesa esteja estabelecida. Se ela viajar a uma localidade onde não é conhecida deve levar consigo uma carta de recomendação da assembléia onde costuma se reunir. Cartas de recomendação podem ser encontradas na Palavra de Deus. Uma pessoa excluída da comunhão à mesa do Senhor estará excluída em qualquer lugar onde a mesa do Senhor estiver estabelecida, e as assembléias que aquela pessoa eventualmente frequentasse são avisadas também.

Antes que me pergunte, assim como acontece com toda autoridade delegada, as decisões tomadas em nome do Senhor têm o respaldo do Senhor ("será ligado no céu"), porém não são infalíveis como não é infalível a decisão de qualquer juiz humano. Pode ocorrer de uma assembléia se equivocar e precisar depois voltar atrás. Quando isso acontece, a "vítima" do equívoco deve simplesmente aguardar que o Senhor esclareça as coisas. Neste caso enxergue o próprio Senhor como a "instância superior" à qual podemos apelar.

http://www.respondi.com.br/2005/05/o-que-significa-mesa-do-senhor.html
http://www.respondi.com.br/2005/05/como-celebrar-ceia-do-senhor.html
http://www.respondi.com.br/2005/05/onde-celebrar-ceia-do-senhor.html
http://www.respondi.com.br/2005/05/qual-o-verdadeiro-lugar-de-adorao.html
http://www.respondi.com.br/2008/12/devemos-voltar-ao-cristianismo.html
http://www.stories.org.br/textos/vpp.html
http://www.stories.org.br/doze5.html

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana