As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Por que solteiros nao podem ter relacoes sexuais?



https://youtu.be/W_TAFkm10tU

Só temos um lugar para buscar as respostas às nossas dúvidas: A Bíblia, a Palavra de Deus. Se sairmos fora dela acabamos perdidos em conjecturas e devaneios. Você escreveu: "Deus criou o amor, nosso corpo com instintos animais que inclui atração fisica, ou seja, ingredientes para um relacionamento bom."

Você pode olhar o sexo de duas formas: Sexo como expressão de um relacionamento, ou um relacionamento como expressão do sexo. Para o cristão o sexo é a expressão de um relacionamento que atingiu o mais alto grau de intimidade e de vulnerabilidade em relação à outra pessoa. Na sua concepção, o relacionamento aparece como conseqüência de instintos animais, ou seja, da atração e ato sexual.

O ato sexual e todas as carícias que o acompanham são uma expressão de total entrega, total confiança na outra pessoa; é quando duas pessoas se despem total e literalmente numa expressão de que não há mais segredos entre elas. É o ato mais íntimo que qualquer ser humano pode atingir em relação a outra pessoa, e é também a figura que o próprio Deus usa para expressar o relacionamento de Jesus com a Igreja, sua noiva, que culmina nas bodas do Cordeiro. A Igreja não se une a Cristo para só depois iniciar um relacionamento. Embora o livro de Cantares represente a relação de Deus (o amado) com Israel (a amada), ele expressa bem que a união que Cristo terá com sua noiva, a Igreja, tem os mesmos elementos de uma união entre marido e mulher.

Analise se você seria capaz de dizer a alguém algo assim:

"Quero me despir para você, me abrir completamente, me revelar sem segredos e sem reservas, deixar exposto cada centímetro de meu corpo e me unir com você a ponto de nos tornarmos um só corpo, compartilhando até mesmo nossas entranhas... porém não quero me casar com você, não quero ter um compromisso duradouro, não quero ter consequências dessa nossa união, não quero que isso dure".

É um absurdo, não acha? Dizer que está disposto a chegar a um tal grau de intimidade e, mesmo assim, querer permanecer independente, é contraditório. É como o sapato dizer ao pé, "Ok, pode me calçar, mas não me amarre", ou a calça ao cinto, "Ok, pode passar por minha cintura, mas não feche a fivela".

Portanto, entenda que o sexo é a expressão de um relacionamento, o resultado de um relacionamento que já existe, não o contrário. É o ápice de um processo no qual tudo já é comum aos dois e faltava apenas a comunhão de corpos. Tentar criar um relacionamento a partir do sexo é o que fazemos com o gado, buscando obter resultados e dividendos a partir da cópula.

O problema de se considerar o sexo como o ponto de partida de um relacionamento é que quando este faltar - e um dia ele vai faltar - iremos imediatamente procurar por outra experiência sexual como forma de iniciar um novo relacionamento. O processo não tem fim, porque se o relacionamento começa a partir da experiência e satisfação física, com a idade essa satisfação irá desaparecer para um ou para outro, porque fisicamente um casal pode envelhecer a um ritmo diferente.

Você pergunta por que o cristão não pode ter relações sexuais antes do casamento, e eu pergunto por que o cristão não pode se casar antes de ter relações sexuais. Até hoje ninguém morreu por esperar. Mas vamos ao que diz a Palavra de Deus:

Mat 19:4-6 "Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que, no princípio, o Criador os fez macho e fêmea e disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem".

Estamos tão acostumados a ler esta passagem pensando no contexto do divórcio, que nos esquecemos de que ele está reafirmando a ordem de um matrimônio segundo o projeto original ("no princípio") de Deus. Se fôssemos chamar estes versículos de um "passo-a-passo" do casamento, teríamos:

1. Este é o projeto original de Deus. "No princípio".
2. Um casamento é feito de um homem e uma mulher. "o Criador os fez macho e fêmea"
3. O mesmo Criador estabeleceu como devia ser essa união. "E [Deus] disse..."
4. O homem deixa o pai e a mãe, ou seja, se desliga daquele casal ou célula familiar. "Portanto, deixará o homem pai e mãe"
5. O homem se une à sua mulher, criando uma nova célula familiar como aquela de onde veio, isto é um homem + uma mulher = um filho. "e se unirá à sua mulher"
6. A união chega ao extremo quando atinge o físico e dois corpos se transformam em um. "e serão dois numa só carne"
7. Essa aliança, que ajunta esse casal, não é algo que o homem criou, mas Deus. "o que Deus ajuntou não separe o homem".

Esse é o passo-a-passo para quem crê na Palavra de Deus e a respeita.

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana