As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Estas passagens afirmam que podemos perder a salvacao?



https://youtu.be/Gtntc3BwhU4

Você enviou uma extensa lista de versículos alegando que são usados por aqueles que não acreditam na salvação eterna e exclusivamente por fé na obra de Cristo. São pessoas que acham que o sacrifício de Cristo não foi totalmente "consumado" (teria Ele se enganado na cruz?!) e que foram deixadas coisas para nós mesmos fazermos.

As pessoas que alegam isso podem até ter boas intenções, mas não percebem o quanto estão denegrindo o sacrifício perfeito do Cordeiro de Deus. Se ficou algo para fazermos, então Cristo não fez tudo o que veio fazer. Se formos salvos pela fé nEle e em Sua obra, mas só continuarmos salvos pela nossa própria perseverança, então Deus não é poderoso para evitar que Suas ovelhas sejam arrancadas de Suas mãos. Vou transcrever os versículos com as devidas explicações.

Êxo 32:32-33 Agora, pois, perdoa o seu pecado, se não, risca-me, peço-te, do teu livro, que tens escrito. Então disse o SENHOR a Moisés: Aquele que pecar contra mim, a este riscarei do meu livro.

Esta passagem não fala de perda de salvação, mas perda de privilégio. Moisés pede a morte (física), mas não é o que Deus lhe dá. No versículo 35 Deus pune o povo que havia feito o bezerro de ouro, pelo qual Moisés não era o responsável.

Eze 18:24-26 Mas, desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo a iniqüidade, fazendo conforme todas as abominações que faz o ímpio, porventura viverá? De todas as justiças que tiver feito não se fará memória; na sua transgressão com que transgrediu, e no seu pecado com que pecou, neles morrerá. Dizeis, porém: O caminho do Senhor não é direito. Ouvi agora, ó casa de Israel: Porventura não é o meu caminho direito? Não são os vossos caminhos tortuosos? Desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo iniqüidade, morrerá por ela; na iniqüidade, que cometeu, morrerá.

Mais uma vez o assunto aqui não é a salvação eterna, mas a vida física. A Lei prometia a vida perene a quem guardasse a Lei, mas como ninguém seria capaz de guardar a Lei esta logo mostrou que não poderia ser o remédio contra o pecado, pelo qual a morte entrou no mundo. A paga pela desobediência e impiedade sempre foi, segundoa a Lei, a morte. Mas o assunto aqui não é a condenação eterna, mas a morte física.

Mat 12:31-32 Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens. E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro.

Aqui sim está falando de perdição eterna pela ausência de perdão, e isso por blasfêmia como a que os fariseus estavam praticando, que era dizer que Jesus fazia os seus milagres e expulsava demônios por Belzebu, o príncipe dos demônios. Certamente não poderia haver salvação para pessoas assim que consideravam o próprio Salvador um emissário de Satanás. Este tipo de blasfêmia só poderia existir enquanto o Senhor estava neste mundo.

Gál 5:1-4 Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão. Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. E de novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei. Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído.

Aqui está dizendo o óbvio: todo aquele que confiar ser salvo com base na guarda da lei ou por uma vida correta certamente nega a graça de Deus, portanto não pode haver salvação para tal pessoa. Na passagem ele começa falando dos salvos em Gálatas para depois falar dos não salvos: "Vós que vos justificais pela lei". Considerar que esta passagem poderia significar que um salvo pode perder a salvação seria contradizer as passagens que dizem claramente que isto é impossível, como João 3:16, 36; 5:24; 6:47; 10:28.

Col 1:23 Se, na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé, e não vos moverdes da esperança do evangelho que tendes ouvido, o qual foi pregado a toda criatura que há debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, estou feito ministro.

A condição não é para os salvos, mas tão somente confirma a salvação daqueles que permanecem, por graça, fundados e firmes na fé sem se moverem da esperança do evangelo. Em 1 Coríntios fica claro que manter o salvo irrepreensível até o o fim é tarefa do proprio Senhor e é graças à fidelidade de Deus, e não a nossa, que podemos ficar seguros e confiantes: 1Co 1:7-9 De maneira que nenhum dom vos falta, esperando a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, O qual vos confirmará também até ao fim, para serdes irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor.

2Pe 1:10-11 Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis. Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Aqui nos fala do andar e vida prática do cristão que foi salvo por Cristo, a qual deve ser condizente com a posição que agora ocupa em Cristo. É fácil ver que está falando do andar porque fala de tropeçar. Não é colocada em dúvida a entrada no reino eterno, mas sim como será essa entrada, amplamente ou não. Algumas traduçõs trazem "ricamente", "abundantemente", ou seja, são adjetivos de uma entrada que já foi obtida pelo sacrifício de Cristo. A tradução na Linguagem de Hoje está errada por dizer que "receberão todo o direito de entrar no reino eterno". Ela supõe que a salvação é obra de nossos próprios esforços, o que não é verdade e ainda por cima invalida o sacrifício de Cristo.

Rom 8:12-14 De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne. Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus.

O contexto do capítulo está falando claramente da vida que tínhamos na carne, a qual não poderia levar a outra coisa senão à morte. Somente aqueles que têm o Espírito de Cristo, ou seja, são realmente convertidos, são filhos de Deus. João 1:13 explica que estes "não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus". Portanto, continua sendo verdade que os que ainda estão na carne (não nasceram de novo) não estão salvos e, portanto, não podem perder uma salvação que nunca tiveram.

Rom 11:20-23 Está bem; pela sua incredulidade foram quebrados, e tu estás em pé pela fé. Então não te ensoberbeças, mas teme. Porque, se Deus não poupou os ramos naturais, teme que não te poupe a ti também. Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado. E também eles, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; porque poderoso é Deus para os tornar a enxertar.

O assunto do capítulo não é a salvação individual, mas o testemunho coletivo, comparando Israel com Gentios. Israel, os "ramos naturais", foram cortados para dar lugar aos Gentios. No seu devido tempo esses "ramos naturais" serão enxertados, após o arrebatamento da Igreja, quando Deus colocar neles um coração de carne para que se convertam.

1Tm 1:18-20 Este mandamento te dou, meu filho Timóteo, que, segundo as profecias que houve acerca de ti, milites por elas boa milícia; Conservando a fé, e a boa consciência, a qual alguns, rejeitando, fizeram naufrágio na fé. E entre esses foram Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para que aprendam a não blasfemar.

O apóstolo não está falando de perda de salvação, mas da perda da vida por naufrágio na fé. Os apóstolos tinham um poder e autoridade que não existe hoje, ou seja, entregar a Satanás aqueles que estivessem andando deliberadamente no erro após terem conhecido a verdade, para a destruição da carne (morte). Sabemos pela história de Jó como Deus entregou Jó a Satanás para que fosse tocado em todos os aspectos de sua vida (menos que fosse morto) porque Deus tinha algo a ensinar a Jó (Jó caps. 1 e 2). Sabemos também que Ananias e Safira caíram mortos quando mentiram aos irmãos e ao Espírito Santo (Atos 5). E também vemos Paulo dizendo aos Coríntios que aquele que andava pecando deveria ser entregue a Satanás para a destruição da carne, para que o espírito fosse salvo na vinda do Senhor (1 Coríntios 5). Tudo isso é o "pecado para morte" de que fala 1 João 5:16, porém não morte eterna, mas do corpo. São pessoas que estão neste mundo atrapalhando o testemunho de Deus e precisam ser tiradas daqui.

2Tm 4:7-8 Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.

Aqui não fala de salvação, mas de galardão por bons serviços prestados.

Heb 3:6 Mas Cristo, como Filho, sobre a sua própria casa; a qual casa somos nós, se tão somente conservarmos firme a confiança e a glória da esperança até ao fim.
Heb 3:14 Porque nos tornamos participantes de Cristo, se retivermos firmemente o princípio da nossa confiança até ao fim.

Aqui ele fala o óbvio, considerando que é o Senhor quem "vos confirmará também até ao fim, para serdes irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo." 1 Co 1:7-9

Heb 10:26-27 Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, Mas uma certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários.

Aqui fala de pessoas que receberam o conhecimento apenas (sem fé), e a conclusão do discurso diz tudo: Heb 10:39 Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a perdição, mas daqueles que crêem para a conservação da alma.

1Jo 5:16 Se alguém vir pecar seu irmão, pecado que não é para morte, orará, e Deus dará a vida àqueles que não pecarem para morte. Há pecado para morte, e por esse não digo que ore.

Esta "morte" é a do corpo, conforme expliquei com os casos de Ananias e Safira, do homem imoral de 1 Coríntios 5 e ainda de 1 Tm 1:18-20.

Apo 3:3 Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei.

Isto não está sendo dirigido a pessoas individualmente, mas a um testemunho coletivo, representado aqui pela igreja em Sardes que profeticamente e cronologicamente nos fala das igrejas originadas com a Reforma Protestante. Mesmo assim o Senhor avisa que em meio a esse testemunho ele tem (agora sim, indivíduos) "algumas pessoas que não contaminaram suas vestes, e comigo andarão de branco; porquanto são dignas disso".

Apo 3:11 Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.

Coroa não significa salvação, mas galardão (recompensa) pela fidelidade.

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana