As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Mulheres podem ensinar na escola dominical?



http://youtu.be/eIVzDoL8KJg

Mas nada de errado ela ensinar na escola dominical, se os que aprendem são crianças e isto for feito em ambiente separado do ambiente público onde ficam os demais. O que a Bíblia é clara em proibir é que a mulher ensine, obviamente não crianças porque até a mãe e avó de Timóteo são citadas por terem feito um bom trabalho com o filho e neto. É comum hoje as pessoas seguirem a própria opinião sem antes buscarem na Palavra, e aqui vai o que diz a Palavra de Deus:

"A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido [homem], mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão." 1 Tm 2:11-14

A passagem é muito clara: o lugar da mulher é aprender em silêncio e sujeição, não ensinar e nem usar de autoridade sobre o homem, pois o versículo 12, no original, diz "sobre o homem" e não "sobre o marido".

Outro ponto importante é que Deus proíbe que a mulher fale nas igrejas, portanto isso já exclui uma boa parte do que vemos por aí, e neste caso não se trata apenas de ensinar, mas de pregar, falar, dar opiniões, fazer perguntas, conversar etc.

"As vossas mulheres estejam caladas nas igrejas; porque não lhes é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei. E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é vergonhoso que as mulheres falem na igreja." 1 Co 14:34-35

Como que sabendo que isto daria "pano pra manga" e alguns interpretariam como apenas uma questão de costumes e cultura da época, o apóstolo acrescenta: "Porventura saiu dentre vós a palavra de Deus? Ou veio ela somente para vós? Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor." (1 Co 14:36). E se alguém contestar, dizendo que isto se restringia à igreja de Corinto, por causa de problemas locais, então basta ler no envelope o destinatário da carta:

"À igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso" 1 Co 1:2

As passagens que mostram que Deus proíbe que a mulher ensine falam obviamente de doutrina, de explicar a Palavra de Deus. Isto porque encontramos Jesus mandando Maria Madalena levar o anúncio de sua ressurreição aos outros discípulos, o que nos leva a pensar que não está errado a mulher falar de Cristo em particular com alguém, no sentido de anunciar sua morte e ressurreição.

É claro que se existir um irmão junto é melhor que este tome a dianteira, pois do simples anúncio do evangelho pode ser que seja preciso passar para o ensino da Palavra. Além disso encontramos Priscila ajudando seu marido a esclarecer melhor as coisas para Apolos, o que demonstra que na esfera do lar e sob a autoridade do homem a mulher possa também ajudar neste sentido.

"[Apolo] começou a falar ousadamente na sinagoga; e, quando o ouviram Priscila e Áqüila, o levaram consigo e lhe declararam mais precisamente o caminho de Deus." At 18:26

A mulher certamente não poderia ensinar na escola dominical na igreja, isto é, na presença de adultos, por duas razões: em público ela deve permanecer calada e na escola dominical ela acabaria ensinando doutrina, duas coisas não permitidas na Palavra de Deus (afinal, não é o que "achamos" que vale, mas o que está escrito com letras bem claras).

Se um incrédulo pergunta algo a uma mulher cristã, ela certamente deve falar de Cristo a ele (transmitir o anúncio de Sua morte e ressurreição), mas tendo o cuidado de não entrar no terreno do ensino. O melhor é que, uma vez falado do caminho da salvação ela pode muito bem pedir ajuda de um irmão para entrar em contato com o incrédulo e dar sequência no sentido de tirar suas dúvidas. Afinal, o que interessa ao incrédulo é o puro evangelho, que Paulo resumiu em 1 Coríntios 15, "que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras" (1 Co 15:3-4). De nada adianta se aprofundar no assunto com um incrédulo, porque ele ainda não está capacitado a entender as coisas de Deus. "O homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente" (1 Co 2:14).

Veja que esta ordem das coisas de Deus tem também o outro lado, ou seja, não é em todas as situações que um homem pode ensinar. Por exemplo, Paulo não disse a Tito para ensinar as irmãs jovens coisas relacionadas ao comportamento da mulher cristã, mas disse às irmãs anciãs para fazerem isso. Por isso é errado e perigoso um homem tornar-se "conselheiro" de irmãs jovens quando o assunto vai além do evangelho e da doutrina, e passa às coisas relacionadas à sua vida íntima. Veja que o que Paulo ordena que seja ensinado pelas mulheres idosas, e não por Tito são questões relacionadas ao matrimônio:

Tit 2:3-5 Quanto às mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias em seu proceder, não caluniadoras, não escravizadas a muito vinho; sejam mestras do bem, a fim de instruírem as jovens recém-casadas a amarem ao marido e a seus filhos, a serem sensatas, honestas, boas donas de casa, bondosas, sujeitas ao marido, para que a palavra de Deus não seja difamada.

Sempre que um irmão precisar aconselhar uma irmã jovem sobre assuntos relacionados a casamento, filhos, relacionamentos com o marido etc. ele deve procurar a ajuda de sua esposa ou de uma irmã anciã, nunca fazê-lo sozinho. Grande parte dos casos de adultério ocorridos dentro de igrejas começa com o irmão que aconselha envolvendo-se emocionalmente com a jovem que está fragilizada e carente em razão dos problemas que enfrenta no lar.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana