As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE "assunto"+"mario persona" NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

Pesquisar este blog

Qual deve ser minha prioridade: Deus, família ou igreja?



https://youtu.be/vtQ2JF8WFvA

Você pergunta qual a ordem das prioridades na vida do cristão: Deus, família ou igreja. em dúvida alguma, primeiro vem Deus, porque nada podemos sem ele. Você será capaz de entender isso se completar a passagem que diz: "Buscai primeiro ....." (Mt 6:33). Quanto ao lugar que deve ocupar a igreja, é difícil responder com precisão, pois quando você fala "igreja" pode estar se referindo a uma organização religiosa. Neste caso não é bíblico servir uma organização religiosa, qualquer que seja seu lugar nas prioridades, pois igrejas fundadas por homens nem deveriam fazer parte de sua lista de prioridades. E muito menos ficar acima de suas responsabilidades com a família.

Às vezes vejo gente tirar da boca dos filhos para engordar o bolso do pastor que viaja de helicóptero, usa ternos importados e mora numa mansão na Flórida. Isso nada tem a ver com a Bíblia e quem prejudica sua família para sustentar esses mercenários está pecando. O mesmo se pode dizer de pessoas que deixam de pagar suas prestações e compromissos alegando que precisam dar o dinheiro "para a igreja". Não é pecado comprar com pagamento parcelado, porque isso é um contrato feito de comum acordo entre comprador e vendedor, mas é pecado deixar de pagar quando se tem recursos para isso e esses recursos são desviados para outra finalidade. "A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros" (Rm 13:8).

Suponhamos que por "igreja" você esteja se referindo à assembleia congregada ao nome do Senhor segundo o modelo bíblico. Perguntar em que lugar vem a família nessa ordem continua sendo difícil de responder, porque o contexto pode variar. Digo isto porque são muitas as questões envolvidas e nem todos tem a mesma energia de fé para tomar decisões. Em coisas assim eu sei para mim como devo agir, mas posso fazer outro tropeçar se tentar fazê-lo agir na minha fé.

Quer um exemplo? Um marido incrédulo impede sua esposa crente de congregar. Deve ela desobedecer a seu marido ou não? A Bíblia ordena que ela deve se sujeitar ao marido, o mesmo com respeito aos filhos que devem estar sujeitos aos pais. Então deve ser um exercício da esposa ou do filho menor de idade saber se deve ou não praticar sua fé em comunhão com os irmãos. Neste caso a esposa deveria continuar sua comunhão com Deus em casa ou quando for possível, enquanto ora para que o Deus abra o coração de seu marido. Mas se um marido pagão exigir que sua esposa crente ofereça sacrifícios aos ídolos pagãos, neste caso ela deve colocar a obediência a Deus em primeiro lugar e se negar a atender seu marido.

Diga a uma esposa crente que ela deve partir para a briga e desobedecer o marido indo congregar quer ele goste, quer não, e você poderá destruir uma família. Diga a ela que congregar não é o mais importante e ela pode cair no comodismo e também negligenciar sua comunhão com o Senhor. Percebe como existem áreas onde precisamos depender do Senhor? (Ou melhor dizendo, TODAS as áreas). Portanto cabe a cada um ter discernimento para agir em cada situação. Por exemplo, ainda que o homem seja cabeça da mulher, ela não irá obedecê-lo se ele ordenar algum ato contrário às ordens de Deus, como matar alguém.

Entenda que submissão é uma ação de repouso em uma situação, porém um ato que seja em contrário à vontade de Deus é desobediência ativa. Um presidiário não irá fugir da cadeia, e assim transgredir a lei, alegando que Deus quer que ele vá às reuniões da igreja.

Então, entendendo que Deus tem o primeiro lugar na lista, podemos sim colocar a família em seguida por causa do exemplo que Deus dá em sua Palavra, onde a igreja ocupa o lugar de noiva ou esposa do Filho de Deus. E sabemos que a prioridade de Cristo é sua esposa, a Igreja, como ensina a Palavra:

"As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor; porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo este mesmo o salvador do corpo. Como, porém, a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo submissas ao seu marido. Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra,  para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito. Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama. Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja; porque somos membros do seu corpo. Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne. Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja. Não obstante, vós, cada um de per si também ame a própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite ao marido." (Ef 5:22-33).

Os filhos podem ser incluídos nesse mesmo círculo em que estão marido e mulher, pois são sua geração. "Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente." (1 Tm 5:8). A família da fé, isto é, os irmãos, vem depois, antes mesmo que as outras pessoas incrédulas, como podemos aprender desta passagem: "E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos. Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé." (Gl 6:9-10). Então pense duas vezes antes de fazer caridade para incrédulos quando tiver irmãos passando necessidade. O melhor é fazer uma coisa sem deixar de fazer a outra.

Repare que quando a Palavra de Deus apresenta as credenciais dos que devem zelar pela casa de Deus há pistas do que se espera deles (e delas também, porque as irmãs auxiliam nesse trabalho), e nestas pistas encontramos que o cuidado com a família aparece como parte do currículo que se exige desses.

"Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento; QUE GOVERNE BEM SUA PRÓPRIA CASA, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia (Porque, SE ALGUÉM NÃO SABE GOVERNAR A PRÓPRIA CASSA, TERÁ CUIDADO DA IGREJA DE DEUS?)" (1 Tm 3:2-5).

Repare que neste contexto, saber governar primeiro sua própria família vem antes de estar em condições de zelar pela casa de Deus. E nosso trabalho não aparece como prioridade competindo com Deus, família e assembleia porque o trabalho deve ser não mais que o meio que permite obter provisão para a família. Quando o trabalho deixa de ser um serviço para a família e passa a ser o objetivo da vida do cristão, então essa ordem é destruída.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana