As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

Irei para o inferno por ser homossexual?

Vi que você chegou até mim depois de ler outro texto sobre o assunto, que tenho neste blog. Você escreve que é homossexual, não por opção, mas porque nasceu assim, com atração por pessoas do mesmo sexo. Deus criou o homem e a mulher com papéis claros e definidos. Sei que existem mulheres com excesso de hormônios masculinos e homens com mais hormônios femininos, uma condição que poderia às vezes causar alterações físicas e, talvez, de comportamento. Mesmo assim continua valendo o que Deus criou desde o princípio.

Você escreve como se o homossexualismo fosse alguma espécie de droga da qual o usuário não tem como se libertar, uma atração que governa sua própria vida. Oras, eu sinto atração por muitas mulheres bonitas que passam pela rua, mas isso não quer dizer que eu esteja livre para ir para a cama com elas. Como diz o ditado, "você não pode evitar que as andorinhas voem sobre sua cabeça, mas pode impedi-las de fazer ninhos em seus cabelos".

Você diz que lutou muito contra esse sentimento e, pelo jeito, sucumbiu ao desejo e arranjou um namorado. E se aplicássemos o mesmo raciocínio para outras áreas da vida? O homem casado, que deseja outra mulher, ou o homem violento, que deseja quebrar a cara de quem encontra (sim, há pessoas que dizem não poder controlar seu desejo de ver sangue), o pedófilo, que sente uma atração irresistível por crianças... e por aí vai. Somos seres racionais, guiados pela razão que é capaz de controlar nossos instintos.

Instintos e desejos nós todos temos. Quem nunca teve vontade de dar uns tapas naquele sujeito que nos fecha no trânsito, fura a fila do banco na nossa frente ou fica buzinando atrás de nós no semáforo? Mesmo assim controlamos nossos impulsos, nossos instintos e não saímos por aí mordendo, defecando em qualquer lugar e acasalando com qualquer parceiro como fazem os animais. Somos seres humanos, criados à imagem e semelhança de Deus.

Meus exemplos podem parecer meio extremos e você até achar que não se aplicam ao seu caso, mas meu ponto aqui é mostrar que não podemos dar a desculpa de sermos controlados por algum instinto, sentimento ou atração. Somos seres humanos e racionais, capazes de exercer auto-controle sobre nossos atos. Ao contrário dos animais irracionais, que precisam desesperadamente acasalar no cio, nós somos capazes de exercer o auto-controle.

Mesmo assim, todos nós estamos sujeitos a desejos e atrações das mais extremas. A questão é: você aceita a Palavra de Deus? Você crê em Jesus como seu Salvador? Você tem um compromisso com Deus, de adorá-Lo e viver segundo a Sua Palavra? Você é um cidadão do céu?

Se sua resposta a todas estas perguntas for "sim", então você está sendo responsável, perante Deus, por falhar em fazer a Sua vontade. Se for "não", o que posso dizer? Se você não aceita o que Deus diz em Sua Palavra, então não há limites para o que você acredita poder fazer. A questão é que, mesmo não acreditando, a responsabilidade existe e a obrigação permanece e um dia Deus irá cobrar isso de você. Mais uma vez, ao contrário dos animais irracionais, que agem por instinto, somos seres responsáveis que devem prestar contas ao Criador.

Sou homem, hetero, sem inclinações ou desejos homossexuais, mas sei muito bem que qualquer pessoa está sujeita a ser irresistivelmente atraída a fazer coisas que são contra a vontade de Deus, seja com pessoas do mesmo sexo ou não. Sentir atração é uma coisa. Ceder e passar da atração à ação é outra.

Sei de homens que foram homossexuais em suas práticas e hoje são convertidos a Cristo. Abandonaram suas antigas práticas e levam uma nova vida de obediência à Palavra de Deus. Se eles continuam sentindo a mesma atração? Pode ser que sim, precisaria perguntar a eles. Como também deve sentir-se o diabético, atraído por doces e sorvetes. Alguns se controlam. Outros cedem e pagam caro por isso.

Você perguntou se irá ao inferno por ser homossexual. Antes que me interprete mal, é bom que entenda que as pessoas não vão para o inferno por serem homossexuais, mas por serem pecadoras, uma condinção na qual todos nós nascemos antes mesmo de praticarmos qualquer pecado. Por outro lado, deixar as práticas homossexuais não garante o céu a ninguém. É a fé em Cristo, a conversão a Ele, antes mesmo de deixar qualquer prática, que garante a salvação. Uma vez sob "nova gerência", aí você saberá o que fazer, aí você terá a Sua Palavra para guiá-lo e o Espírito Santo habitando em você para lhe dar o poder para viver a nova vida.

Talvez eu possa explicar melhor. Primeiro, tenha em mente que você não precisa fazer coisa alguma para ser condenado por Deus. Todo ser humano já nasce condenado, é sua condição default por causa do pecado. Esqueça aquela idéia de que quem fizer coisas boas vai para o céu e quem fizer coisas más vai para o inferno. Isso não existe.

Nascemos condenados porque nascemos pecadores. Não nos tornamos pecadores por pecar, mas pecamos por sermos pecadores. Tipo assim: Uma árvore não se transforma em limoeiro por produzir limões, mas ela os produz por ser essa a sua natureza, é limoeiro.

Então, ainda que eu ou você tivéssemos uma vida toda certinha, dentro dos padrões aceitos pela Bíblia, iríamos para o inferno assim mesmo, a menos que tivéssemos nascido de novo. Nascer de novo, obviamente, não é reencarnar (isso não existe), mas receber uma nova vida de Deus e crer em Cristo como seu Salvador, ganhando dEle o perdão dos seus pecados, a quitação de sua dívida.

Não se trata, como você alegou, de confiar em Deus e ter Deus presente em sua vida. A maioria das pessoas diz isso. Obviamente Deus está em toda parte, e até mesmo um pagão acredita em algum tipo de Deus ou força superior. Não é o caso. Estamos falando aqui do Deus, único e verdadeiro, que Se revelou por intermédio de Sua Palavra e na Pessoa de Jesus, Deus e homem. Por não querer condenar a você e a mim no lago de fogo por toda a eternidade, Deus proveu uma saída: transferiu para o Seu Filho Jesus a culpa dos pecados daqueles que crêem, e O condenou na cruz como se fosse Ele o culpado.

Aqueles que crêem em Jesus recebem o benefício dessa transferência, têm seus pecados perdoados (todos eles) por Deus e já desfrutam da salvação assegurada, aqui e agora, e por toda a eternidade. Estão salvos, portanto, e podem ter a certeza disso pela fé nAquele que morreu por eles. Então, se me perguntar para onde vou se morrer agora, respondo que vou para o céu, não por ser bonzinho ou coisa do tipo, mas porque Cristo pagou pelos meus pecados na cruz.

Na Sua Palavra, a Bíblia, Deus colocou um padrão para que todo homem viva segundo esse padrão. É claro que ninguém consegue viver pelo padrão que Deus estabeleceu, por tratar-se de um padrão perfeito. Se conseguíssemos viver segundo esse padrão, não precisaríamos de um Salvador, não é mesmo? Portanto, neste particular a Bíblia (estou falando aqui das coisas do tipo "não faça isto ou aquilo") é como se fosse uma placa de contra-mão. Ela não ajuda em nada o motorista que já está na contra-mão em uma rua estreita demais para manobrar seu carro. Será multado por isso. E todos nós nascemos na contra-mão.

Ao se deparar com as placas de contra-mão que Deus colocou em Sua Palavra, você percebe que é culpado e precisa buscar uma solução para si. Quando percebe que é incapaz de “manobrar seu carro”, aí começa o processo que, se você acatar a voz de Deus, resultará em uma ação do Espírito Santo em sua vida transformando-o em nova criatura (seu carro é imediatamente virado por Deus).

Mesmo assim, esses padrões continuam valendo para você conhecer o que agrada e o que não agrada a Esse Deus que o salvou. O que a Bíblia diz, por exemplo, sobre o adultério. Agrada a Deus? Não. Fornicação? Não. Homicídio? Não. E por aí vai, até chegar no homossexualismo, que é condenado das primeiras às últimas páginas da Bíblia. Algumas coisas são chamadas ali de “pecado”, outras de “abominação”. É o caso. Levítico 18:22 diz: “Com homem não te deitarás como se fosse mulher; é abominação .

Há quem argumente que, ao contrário do homicídio, da pedofilia e de outras práticas, o homossexualismo não causa dano a ninguém, já que é praticado por duas pessoas de comum acordo. Mas a questão não é se trata-se de algo que ofende nosso semelhante, mas de algo que ofende nosso Criador. Como saber se o homossexualismo ofende o Criador? Oras, a melhor maneira é ir à fonte, ao livro que diz ser a Sua Palavra e através do qual aprendemos a maioria das coisas que sabemos sobre Deus, o céu, o inferno, os anjos, Jesus, etc.

Para que você tenha uma idéia de como Deus vê o homossexualismo e outras práticas, aqui vai um breve resumo do que é o ser humano aos olhos de Deus, e Ele não usa de meias palavras:

"Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.” Romanos 1

Mesmo assim, é importante que você entenda que existe uma diferença entre homossexualismo (a prática) e o homossexual (a pessoa). Deus odeia o homossexualismo, mas ama o homossexual. Sobre isto eu já escrevi no outro texto que leu, portanto vamos agora passar às suas afirmações:

>> Somente sinto atração por homens e, não por mulheres...

Ok, mas isso não resolve a questão. Se sinto atração por leite condensado e sou diabético, o que fazer? Tá bem, me sinto livre para fazer o que quero e me encho de leite condensado. Bem, sofrerei as conseqüências de meu ato impensado, pois estou transgredindo uma lei da natureza. Sentir atração é uma coisa, pois não temos controle sobre nossos pensamentos. Ceder à atração é outra e aí entra a responsabilidade para com Deus, que é o autor das regras do jogo da vida. Recebemos vida dEle? Então...

>> Estou pecando por isso? estarei condenado ao inferno por isso? Você pode achar que sim... Mas eu tenho certeza que não...

Primeiro, se você tivesse tanta certeza de que a vida que leva está correta não teria feito buscas no Google, chegado àquele outro texto de meu blog, que costuma ser encontrado por quem busca por "homossexualismo + bíblia", e enviado sua opinião fazendo a pergunta acima. Será que estava curioso por saber o que Deus diz a respeito dessa prática? Pode ser. Quanto a eu achar ou não achar algo a respeito do assunto, isso de nada vale. Até eu me atrapalho quando tento seguir minhas próprias opiniões. Mas se Deus achar que sim, então a coisa é séria.

O que você acha? Deus condena suas práticas ou não? Como saber? Bem, só temos um livro que se diz a Palavra de Deus. Ou ele é o que diz ser, ou então é uma enganação das piores, por afirmar ser a Palavra de Deus. Qual das opções você crê ser a verdadeira? Por favor, não diga que é uma questão de interpretação. Pelo que leu da passagem de Romanos que citei acima não há nada para ser interpretado ali que possa fazer o texto significar o contrário do que diz.

Você menciona um conhecido seu, casado, pai de filhos, que mantinha uma relação homossexual e acabou sendo descoberto pela esposa. Do jeito que escreve, parece querer demonstrar que sua forma de assumir isso sem tentar levar uma vida falsa que depois prejudique a outros é como se, ele sim, estivesse fazendo algo errado ao enganar sua família. Essa sua reação é típica de todo ser humano. Costumamos nos comparar a outros achando que isso nos justifica. Nos sentimos bem fazendo isso, porque obviamente sempre procuramos por algum padrão que seja inferior ao nosso. Então, se fumo, digo que não sou como aquele pinguço que bebe. Se bebo, digo que não poluo o ambiente como aquele sujeito que fuma. E assim por diante. Veja qual a atitude correta diante de Deus:

“E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado”. Lucas 18

Você falou em alguma forma de libertação, mais como uma curiosidade do que como algo que realmente desejasse. Não tem como você se libertar de moto próprio, mas se a sua vida estiver entregue a Cristo, aí é outra história. A partir do momento em que você nascer de novo, passará a contar com um verdadeiro Pai, o qual cuidará disso. Não que seja um passe de mágica, pois enquanto tivermos um corpo feito de carne e ossos estaremos sujeitos às mais diversas tentações, sejamos ou não convertidos a Cristo. A diferença é que o cristão tem o poder para superá-las, o que já é uma grande diferença. Embora mesmo ele nem sempre irá querer superá-las, devo reconhecer.

Você alega que o homossexualismo sempre existiu na história da humanidade. Sim, como tudo mais. O tempo não é juiz. Pode curar as feridas, como diz o ditado, mas não transforma algo errado em certo e vice-versa, muito embora às vezes acreditemos assim e acabamos indo pela opinião pública. Todas as práticas humanas sempre existiram. Você praticaria todas elas por isso?

Então, se o ato de extrair uma criança do ventre da mãe e matá-la podia ser uma prática cruel no passado, nas sociedades “mais desenvolvidas”, isso está se tornando uma prática comum. Conheço uma pessoa que tirou um filho porque estava com um cruzeiro para a Europa marcado e não queria ter aborrecimentos. Na volta engravidaria novamente para ter filhos. Hoje parece ser mais normal do que há cem anos, mas o que Deus diria de tal ato?

Na Bíblia as primeiras referências condenando o homossexualismo aparecem no Pentateuco, os cinco primeiro livros de Moisés, escritos há alguns milhares de anos. A mais recente, há dois mil anos, é a referência feita pelo apóstolo Paulo no trecho que transcrevi acima, em Romanos. O homossexualismo ritual era uma prática comum entre as religiões pagãs, e chegou até a ser introduzido no judaísmo. Há referências a isso na Bíblia e Deus condena isso também.

Você cita ainda os animais, e que a prática homossexual é comum entre muitas espécies. Sim, entre os animais há também o incesto, matricídio, infanticídio, canibalismo etc. Seriam os animais o nosso padrão de comportamento?

Outra menção que fez foi de uma suposta diferença genética nos homossexuais, que os tornariam uma classe diferente de pessoas. Já li sobre isso. Esse estudo foi feito em 1993, mas não passou de uma teoria e nunca foi confirmado. Ao contrário, mesmo depois de 2004, quando completaram o seqüenciamento do genoma, ninguém encontrou evidências dessa influência genética no comportamento. Isso é encontrado em vários artigos na Web. Procure por "gay gene" para saber mais.

Mesmo assim, digamos que descobrissem que alguns homens (e mulheres) nascem geneticamente propensos para a homossexualidade. Será que isso os livraria da responsabilidade perante o que diz a Palavra de Deus? Se amanhã descobrirem que alguns nascem geneticamente propensos à infidelidade e ao adultério, iria Deus publicar uma versão corrigida de sua opinião também a esse respeito?

A grande questão é que, primeiro, não somos meros animais, portanto não serão os animais e suas práticas que irão nos guiar. Aliás, no Pentateuco também era previsto e condenado o sexo de humanos com animais, mostrando que isso também é prática antiga. Deveríamos adotá-las por terem sido comuns na antiguidade?

Segundo, Deus criou o homem e a mulher com funções específicas e o homossexualismo arruína esse projeto inicial. Se todos decidissem que o homossexualismo é o melhor caminho, quem iria procriar? Vejo a questão muito como uma busca de prazer próprio, sem ligar muito para as conseqüências que isso trará a outros ou, o que é mais importante, o que Deus pensa do assunto.

Há também um aspecto simbólico na coisa toda, que é Cristo, apresentado na Bíblia como o Noivo, e a Igreja (o conjunto dos que crêem), apresentada como Sua noiva. Aparentemente, a própria criação do homem e da mulher, e da relação que deveriam manter, já apontava para isso:

Gen 2:24 Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.
Efe 5:27 Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.... Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne. Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja.


Aí está. Existe uma intenção muito maior para o plano original de Deus, que transcende o animal e sensorial. Quando vejo homossexuais fazendo de sua prática uma bandeira de vida, me entristeço. Que bandeira pequena essa, que pode durar no máximo algumas poucas dezenas de anos. Quão maior bandeira é possível empunhar, quando conhecemos a Cristo, o Salvador, e quando passamos a desfrutar daquilo que Ele preparou para meros pecadores como nós.

Essa bandeira que você está empunhando é tão importante assim para impedi-lo de ir a Cristo e receber dEle a salvação eterna? Você deve ir a Ele assim como está (não se preocupe em se livrar disso ou daquilo, é Ele quem irá fazer isso depois). Sua condição de homossexual não é o que o levará para o inferno, mas sim sua condição de ser humano pecador, uma condição que é também a minha por natureza. Foi por você e por mim que...

"...Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas". João 3

Acho que ficou bem claro que existe um amor que transcende o sensorial, um amor maior, que vem de Deus. Será que existe alguma coisa nesta vida tão importante e valiosa para estarmos dispostos a abrir mão dos resultados do amor de Deus?

P.S. Resposta a um comentário de leitor:

Sua crença em Deus está sim sujeita a "mensagens escritas" pois toda a sua vida e cultura foram influenciadas pelo cristianismo que, por sua vez, tem sua origem na Bíblia. É impossível negar. Sua concepção de certo e errado vem daí.

Deus não criou os homossexuais como pessoas nessa condição, mas trata-se de uma tendência que você escolheu colocar em prática. Todos temos tendências das mais diversas, porque nascemos com o gérmem dessas tendências (lembre-se de que nascemos pecadores). Assim, eu e você somos tudo em potencial. Alguns colocam esse potencial em prática, outros não.

Eu poderia aplicar o mesmo raciocínio do "reprimido" que você apresentou para pessoas com outras tendências sexuais contra a natureza. Ou para outras tendências, como roubar, matar, beber etc. Todos nós as temos. Devemos deixar de reprimi-las para evitar efeitos "catastróficos"? Sim, Deus certamente ama você e o considera especial, mas Ele tem um padrão e isso não deve ser diluído na palavra "amor".

A tentativa de considerar sua prática lícita aos olhos de Deus, por existirem outras como "orgias, adultérios, pedofilias", é um artifício comum a nós, humanos, que sempre procuramos encontrar pessoas "mais erradas" para justificar nossos próprios erros. Foi o que fizeram aqueles homens que levaram a Jesus uma mulher pega em "flagrante adultério", esperando que Ele a apedrejasse, como ordenava a lei de então. Se ela foi pega em "flagrante adultério", onde estava o homem? Talvez eles considerassem que o adultério de uma mulher fosse pior que o adultério de um homem. Jesus mandou que os que estivessem sem pecado atirassem as pedras, esvaziando a praça.

Deus é o padrão. Meus erros não podem ser diminuídos pelos seus, ou vice-versa. O que Deus pensa do homossexualismo? É isso que você deve ter em mente, porque um dia este será um assunto a ser tratado entre você e esse mesmo Deus que você afirma conhecer. Em Sua Palavra Ele condena as "orgias, adultérios e pedofilias" tanto quanto condena o homossexualismo. Não há como negar isso.

Mais acessadas da semana

Loading...