As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Pesquisar este blog

Carregando...

A Bíblia foi realmente inspirada por Deus?



https://youtu.be/A8BcKWTYyyM

Você disse que "só podemos acreditar que, se ouve uma inspiração para escreverem a Bíblia, o ser que inspirou isto era totalmente ignorante". Bem, nada melhor do que apertar o tubo para sair a pasta. Sob pressão revelamos o que há em nosso coração. Você quer se livrar de Deus e colocar-se, a si mesmo - sua lógica, sua razão, seu bom senso - como padrão.

"Os reis da terra se levantam e os governos consultam juntamente contra o SENHOR e contra o seu ungido, dizendo: Rompamos as suas ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas. Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles". Salmos 2

Você continua dizendo que "por isto que os espíritas não aceitam tudo que está na Biblia; obviamente procuramos amealhar o que há de bom deixando de lado o que foge a lógica, a razão e ao bom senso".
Em outras palavras, você considera o Deus que inspirou a Bíblia ignorante, e considera a si mesmo sábio, capaz de julgar todas as coisas. Oras, o quanto sabe você? O quanto ignora você? Baseado em que padrão você julga "o que há de bom"?

O cristão, ao sujeitar-se à Palavra de Deus e à orientação do Espírito Santo coloca-se na condição de um ignorante incapaz de discernir as coisas por si só. Precisa de Deus. Seu padrão está fora de si. O homem não está no centro do universo. Para o espírita basta a lógica, a razão, o bom senso e a ciência.

Você ainda não percebeu, mas ao norter-se pela sabedoria humana, acaba colocando o homem no lugar de deus. Obviamente isso já era previsto:

"Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível" Rm 1

Você argumenta que fugi do assunto sobre "como se deu a formação da terra e em quanto tempo". Bem, então vamos lá:

"NO princípio criou Deus os céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo". Gn 1:1,2

O versículo 1 é a criação original. Entre o versículo 1 de Gênesis e o 2 você pode imaginar zilhões de anos atuais e não temos idéia do que aconteceu nesse período.

Provavelmente foi nesse intervalo que ocorreu a queda de Lúcifer e seus anjos, o que acabou transformando a criação original de Deus em um verdadeiro caos. Daí "sem forma e vazia", "trevas" e "abismo", coisas estranhas Criação, já que "Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas". 1 Jo 1:5 Considerando que antes das coisas virem à existência só existia Deus, fica fácil concluir que não havia trevas.

Além disso há outra referência de que Deus não teria criado a terra "vazia" em Isaías 45, e as referências a Lúcifer existentes na Bíblia apontam para uma época anterior ao estado caótico e às etapas de criação, que poderíamos chamar de restauração da criação, descritas a partir de Gênesis 4.

Você reclamou também que não respondi "todas as outra perguntas pertinentes ao mesmo assunto que acima fiz... que a terra não é o centro do universo? ...a terra não fica apoiada sobre estacas? ...que a terra gira em trono do sol? ...que a lua não tem luz própria?"
Não me lembro de falar da Terra como centro do Universo, apoiada sobre estacas ou girando em torno do Sol. Mesmo assim, a Bíblia é escrita do ponto de vista da Terra, portanto ela pode ser adotada como centro. Quando aprendemos na escola que ela gira em torno do Sol é porque este é tomado como referencial, mas o Universo todo é relativo.

A mosca que voa dentro de um avião a 980 km/h está voando a que velocidade? Não é errado dizer que a Terra gira em torno da Lua, se esta for seu referencial.

Quanto a estar apoiada sobre estacas, não me lembro, mas pode existir algum verso, já existem "colunas do céu" em Jó 26 e a linguagem poética faz parte da Bíblia. Hoje ouvi:

“Mas se ela voltar, se ela voltar/ Que coisa linda, que coisa louca/ Pois há menos peixinhos a nadar no mar/ Do que os beijinhos/ Que darei na sua boca."
Vinícius e Tom certamente não sabiam quantos peixes há no mar, não é mesmo. Oh! Esses ignorantes!

Sobre a terra ser plana (você não perguntou?!), "E ele o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e o desenrola como tenda para nela habitar". Is 22
Xiii... me enrolei agora, por que como explicar a você que os céus não são cortina e nem tenda?!

Quanto à Lua, Gênesis diz que foi colocada junto com o Sol para iluminarem a Terra. Acaso suas noites de Lua são escuras? Se estudar iluminação irá aprender algo sobre "luz incidente" e "luz refletida". Qualquer bom fotógrafo sabe disso. Talvez, se consultar um "expírito" que tenha sido fotógrafo em outra vida... Hmmm, talvez não encontre um.

Curiosamente é fácil encontrar Napoleão, Sinhá-Moça, Preto Velho... sempre arquétipos. Como dizem os americanos, será que isso não "ring the bell"?

Você continua indagando a razão de a Bíblia não ensinar coisas que você considera importantíssimas para o homem:

Como falar aos homens de então, da pluralidade dos mundos? ... que a terra é esférica? ... que esta mesma terra flutua no espaço? ... que a terra gira em torno de si mesma e em trono do sol? e aí você me pergunta; o que tem isto a ver? È a mesma questão com a relação a Nicodemos, pois se não entendem as coisas materiais, como então entender as coisas Espirituais que são muito mais transcendentes?

Não, a questão com Nicodemos era outra. Nicodemos devia saber das coisas terrenais, a saber, o reino, a vinda do Rei e Messias etc., e não ciência quântica. Era um mestre religioso em Israel, portanto versado nas coisas terrenas relativas ao povo terreno de Deus. As coisas celestiais diziam respeito ao novo nascimento, o tema de Jo 3.

Quanto aos conhecimentos astronômicos que citou, aqui vai uma história. Era uma vez um professor que alugou um barco para atravessar um rio. Cheio de si, começou a tirar uma do barqueiro, homem humilde.

"E aí, barqueiro, você sabe matemática?"
"Sei não, dotô, nunca estudei"
"Então você perdeu dez anos de sua vida. Sabe Física?"
"Sei não, dotô".
"Perdeu mais alguns anos de sua vida. Sabe Química?"

E por aí foi a conversa. Chegou uma hora o barqueiro interrompeu o doutor e, no meio do rio, perguntou:

"O dotô sabe nadar?"
"Não, só me preocupo com coisas realmente importantes, como física, matemática, fisica...".
"Então o sinhô perdeu a vida inteira, porque o barco tá afundando".

Mais acessadas da semana